Rodoviários asseguram paralisação de 100% da frota de ônibus em São Luís

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão assegurou há pouco paralisação de 100% da frota de ônibus em São Luís.

Na noite de ontem, uma decisão da Justiça do Trabalho determinou circulação de 60% da frota, sob pena de multa ao sindicato.

Não adiantou.

Os trabalhadores prometem ignorar a decisão e manter a “greve geral” até às 18h de hoje.

Até o momento, 7h30, não há registro de ônibus em circulação na capital. A mobilização faz parte da “Greve Geral” do país, uma forma de protesto contra as reformas da Previdência e Trabalhista.

Desde às 5h, manifestantes bloquearam a Barragem do Bacanga e a entrada e saída de São Luís na BR-135.

 

Com Júlio Pinheiro fora do comando, Sinproesemma articula paralisação

Júlio PinheiroA direção do Sinproesemma no Maranhão divulgou uma nota oficial na noite de ontem, em que confirma uma paralisação dos professores da rede pública estadual em todo o Maranhão.

Motivo: o não cumprimento, por parte do Governo Flávio Dino (PCdoB), da campanha salarial 2016 e da não instituição do piso estipulado pelo Ministério da Educação (MEC) – já pago em quase todo o país -.

A paralisação ocorre justamente após a saída de Júlio Pinheiro do comando do sindicato. Filiado ao PCdoB e aliado do governador Flávio Dino, Pinheiro tenta agora elevar-se a condição de candidato a vice-prefeito de Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

No comando do Sinproesemma, ele conseguia neutralizar movimento dos dirigentes que sugeriam uma paralisação. Agora, ligado declaradamente ao jogo político, pouco, ou nada pode fazer para evitar uma possível greve.

Leia também:

Bastou Júlio Pinheiro Júlio Pinheiro sair para Sinproesemma articular paralisação no MA

Sinproesemma confirma paralisação estadual na educação

Greve: São Luís pode ficar sem ônibus durante o Carnaval

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário anunciou há pouco que fará uma paralisação geral das atividades durante o período do carnaval.

A “greve” foi decidida pela categoria após o Sindicato das Empresas de Transportes (SET) ter comunicado que em decorrência da falta de recursos, que as empresas somente poderão efetuar o pagamento do mês de janeiro após o Carnaval.

Isaias Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Rodoviários, afirmou que o comunicado revoltou a categoria.

“Já informamos nosso posicionamento ao SET. As empresas não podem causar esse tipo de transtorno aos seus colaboradores. Não vamos mudar nossa postura. Isso é um desrespeito a classe. Os empresários têm sempre essa conduta toda vez que se aproxima a data-base, período que é negociado o reajuste salarial da categoria. Estamos cansados desse tipo de situação. Se o dinheiro não cair na conta dos trabalhadores até essa sexta-feira (5), toda a categoria irá cruzar os braços, durante o período carnavalesco, isso significa que não haverá ônibus circulando em São Luís”, disse.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes ainda não se posicionou sobre a polêmica.

 

UPAs suspendem atendimentos por causa de salários atrasados

Médicos sem saláriosProfissionais da área da Saúde que atuam nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de São Luís, suspenderam desde ontem o atendimento a pacientes em decorrência do atraso de quase dois meses de salários.

O pagamento deveria ter sido feito pelo Instituto Cidadania e Natureza (ICN), que acabou com o contrato rompido pelo Governo do Estado por determinação judicial, tomada no bojo da operação “Sermão aos Peixes” da Polícia Federal.

Ontem, o blog mostrou em primeira mão documento assinado pelo secretário de estado da Saúde, Marcos Pacheco, [reveja aqui] informando aos médicos que a SES não iria arcar com os débitos salariais deixados pelo ICN.

O comunicado provocou revolta na classe médica, que ameaçou, ontem mesmo, paralisar todas as atividades.

Foi o que ocorreu. As UPAs da Cidade Operária, Vinhais, Itaqui-Bacanga, Araçagi e Parque Vitória, permanecem, até o momento, sem atender pacientes.

Policiais civis decidem iniciar greve no dia 3 de agosto

Policiais civis se deslocaram até o Palácio dos Leões para protestar na manhã de hoje

Policiais civis se deslocaram até o Palácio dos Leões para protestar na manhã de hoje

Policiais civis decidiram hoje, em assembleia geral realizada na Associação Comercial do Maranhão, por iniciar movimento grevista no dia 3 de agosto.

Após o ato, os policiais caminharam até a frente do Palácio dos Leões, sede da administração pública estadual, para protestar contra o reajuste salarial concedido á categoria pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Os civis reclamam que com o reajuste de apenas 5%, os policiais passarão a receber apenas 20% – em termos de comparação -, o equivalente ao que recebe um delegado de polícia.

A insatisfação se dá justamente a diferenciação gigantesca entre as duas categorias: policial x delegado.

Flávio Dino ainda não sabe o que fazer em relação ao assunto.

Ônibus vão circular normalmente amanhã em São Luís

NOTA SOBRE OPERAÇÃO DE ÔNIBUS NESTA QUINTA–FEIRA

O SET – Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luis informa que o sistema de transporte coletivo vai operar normalmente nesta quinta – feira (02.10.14) em São Luís.

Em reunião realizada na Secretaria de Segurança do Estado do Maranhão, o SET foi informado da prisão dos autores  dos incêndios ocorridos hoje (01.10.14).  Considerando a  resposta  imediata do Sistema de Segurança do Estado, o SET recomendou às  empresas que retomem os serviços amanhã (02.10.14) na sua totalidade.

 

Profissionais do Município, Estado e União devem substituir motoristas de ônibus em greve

Imagem meramente ilustrativa

Imagem meramente ilustrativa

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) encaminhou ofício para órgãos e pastas do Município, Estado e da União, para que estes cedam motoristas por um período de curto e médio prazo que substituam motoristas de ônibus em greve na capital.

Os profissionais solicitados devem começar a ser apresentados no SET amanhã, e iniciar de imediato a prestação do serviço à população. A medida visa atender a decisão judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que decretou a ilegalidade da greve e determinou que os grevistas voltassem ao trabalho, o que não foi cumprido pelos rodoviários.

O secretário municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), Canindé Barros, afirmou há pouco que todas as negociações com os rodoviários foram esgotadas.

Os empresários, que alegam prejuízos financeiros – mas não apresentam a planilha de custos -, cruzaram os braços desde a semana passada e sequer se manifestaram sobre o tema, com o objetivo de pressionar o prefeito a conceder aumento da tarifa de ônibus.

Com o desenrolar dos fatos, é provável que apenas o SET no lucro.

Enquanto isso, Edivaldo Holanda Júnior, “o novo” e a “mudança”, evita realizar a licitação das linhas de ônibus da capital. Porque será?

Prefeitura entra na Justiça e TRT decreta ilegalidade da greve de ônibus

Imagem meramente ilustrativa

Imagem meramente ilustrativa

A Prefeitura de São Luís obteve parecer favorável do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) 16ª região quanto à ilegalidade do movimento grevista dos rodoviários na capital. A decisão do TRT determina a retomada da circulação de pelo menos 70% da frota a partir de hoje. A declaração ordena ainda que o Sindicato dos Rodoviários contrate força de trabalho que substitua temporariamente motoristas, cobradores e fiscais no desempenho das atividades, caso necessário à operação do serviço.

“Desde o início da greve, mantivemos diálogo permanente com as partes para o retorno do serviço de transporte público aos mais de 700 mil usuários. Propusemos uma reestruturação global, o que trará maior equilíbrio e organização ao sistema. Além de assegurar a circulação dos ônibus, buscamos a manutenção do valor da passagem, sem que haja aumento para a população. Nosso foco é a ampliação da qualidade da mobilidade urbana da cidade”, afirmou o prefeito Edivaldo.

A decisão judicial leva em conta o caráter de essencialidade e continuidade dados ao serviço de transporte público. No texto, a desembargadora Solange Cristina Passos Cordeiro expôs que a paralisação infringiu o princípio constitucional que proíbe a suspensão completa dos serviços essenciais. “Sua prestação [do serviço público] deve ser adequada, não podendo sofrer interrupção, isto porque, importaria em prejuízos de toda ordem, à coletividade, que dele depende para satisfazer seus legítimos interesses e necessidades inerentes a todo cidadão”, aponta trecho do documento.

O texto ainda comprova a desobediência à liminar que fixou limites de funcionamento dos ônibus para atendimento dos usuários. Agora, caso haja descumprimento à decisão emitida pelo Tribunal que ordena o imediato retorno dos empregados ao trabalho, haverá multa diária estipulada em R$ 100 mil.

A exigência do Sindicato das Empresas de Transporte (SET) de aumento da passagem e repasse de R$ 4 milhões para custeio de despesas motivou ainda a realização de perícia contábil para conhecimento da realidade do contrato de concessão do serviço de transporte em São Luís.

 Secom

Greve de ônibus: reunião de rodoviários e SET acaba sem acordo

Frota de ônibus deve continuar 100% parada

Frota de ônibus deve continuar 100% parada por causa de greve

Acabou há pouco a reunião entre o secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, membros da direção do Sindicato em Transportes Rodoviários e do sindicato patronal (SET), sobre a greve de motoristas, cobradores e fiscais de ônibus na capital.

Sem consenso entre as partes, a greve foi mantida e todos os ônibus continuarão parados nas garagens. Soma-se ao movimento o prejuízo o caos na cidade provocado aos mais de 800 mil usuários do transporte público na Região Metropolitana de São Luís.

Até quanto Edivaldo Holanda Júnior…?

Rodoviários ameaçam parar 100% da frota de ônibus em São Luís

Frota de ônibus deve parar 100% amanhã

Frota de ônibus deve parar 100% amanhã

Toda a frota de ônibus de São Luís poderá deixar de rodar amanhã, caso as negociações sobre aumento salarial, entre rodoviários e empresários não avancem. Foi o que disse ontem o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema), Gilson Coimbra, sobre a greve da categoria, que começou na quinta-feira, dia 22. Na capital, atualmente, operam 1.107 ônibus e o número de pessoas que utilizam esse tipo de transporte chega a 740 mil.

Motoristas e cobradores protestam por reajuste salarial de 16% e reclamam de não ter recebido contraproposta de reajuste até agora. Ontem, o percentual de ônibus que circulou foi 50%, o que circula normalmente aos domingos. Hoje, no entanto, 70% da frota deve circular, conforme determinação da Justiça.

Mas o Sttrema afirma que, caso não haja nenhuma contraproposta dos empresários até a noite de hoje, a categoria poderá paralisar 100% das atividades amanhã, mesmo com a multa de R$ 4 mil por hora, em caso de descumprimento de percentual determinado pela Justiça do Trabalho.

De acordo com Gilson Coimbra, o maior empecilho para as negociações é a Justiça do Trabalho, que atrapalha as reivindicações. “Por um lado, nos dão o direito de fazer greve. Por outro, nos impedem de protestar”, frisou Coimbra, afirmando que as negociações não avançaram de sexta-feira até ontem.

Ele afirmou, ainda, que nenhuma reunião foi marcada pelos representantes do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís (SET), o qual alega que a falta de lucratividade do setor é o motivo para a inexistência de uma proposta aos rodoviários. Desde 2006, o maior aumento salarial conseguido pelos trabalhadores desse setor foi de 8,3% (2011).

Nas ruas, a população reclama por ser prejudicada. Na quinta e sexta-feira, os pontos de ônibus ficaram lotados de passageiros, o que também aconteceu nos terminais de integração. Aulas foram canceladas em instituições de ensino e muitos funcionários de repartições públicas e privadas não compareceram em seus locais de trabalho.

Informações de O Estado