Governistas em disputa pelo Senado

A definição do governador Flávio Dino (PCdoB) pelo apoio ao deputado federal Weverton Rocha (PDT) como sua primeira opção de pré-candidato a senador nas eleições de 2018 – declaração oficial do comunista a favor do pedetista foi dada há dez dias, em evento do PDT -, acirrou a disputa entre outros aliados pela indicação ao segundo posto na chapa majoritária governista.

No ano que vem haverá eleição de dois senadores e, no Maranhão, após o apoio formal de Dino a Weverton, intensificaram as agendas políticas os deputados federais José Reinaldo Tavares (ainda no PSB) e Eliziane Gama (PPS), ambos também pretensos candidatos ao Senado.

No sábado, 9, Gama reuniu-se com jornalistas em São Luís e garantiu que sua pré-candidatura é “irreversível”. Ela garantiu que segue em conversas com o governador, mesmo após notícias dando conta de que ele teria definido Zé Reinaldo como seu segundo candidato.

“Aqueles que falam em distanciamento de Flávio Dino desconhecem minha aproximação política com o governador em diversos momentos. Ele continuará contando com meu apoio”, disse.

A parlamentar também mandou uma espécie de recado a Weverton Rocha, ao citar “grandes estruturas de campanha”. O pedetista é quem tem mobilizado maior militância, em eventos por todo o estado, para reforçar seu projeto.

“Estamos firmes nesta meta, principalmente por corresponder às expectativas. Não vou me acovardar diante das grandes estruturas de campanha que turvam as escolhas do eleitorado”, declarou Eliziane.

Suplência – Tratado como prioridade no DEM – partido para o qual deve migrar assim que oficializar sua saída do PSB -, Zé Reinaldo já trabalha na montagem da sua chapa própria.

Ontem ele esteve em Teresina, na residência do empresário Dedé Macedo (PDT). Na ocasião, fechou-se questão sobre dois pontos: o apoio da família do pedetista à pré-candidatura do parlamentar em troca de uma vaga de primeiro suplente.

O mais cotado para o posto é Hernando Macedo, ex-prefeito de Dom Pedro, mas não se descarta o nome do próprio empresário como companheiro de chapa.

Acompanharam o encontro o suplente de deputado estadual Rafael Leitoae o ex-deputado Chico Leitoa, ambos também do PDT.

Dedé Macedotem fortes ligações com o próprio governador Flávio Dino e ganhou notoriedade nas eleições de 2014, quando foi um dos principais financiadores da campanha.

De O Estado.

Edivaldo é reeleito prefeito de São Luís

Caminhada de Edivaldo no Caratatiua (19)O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato da coligação “Pra Seguir em Frente”, foi reeleito para mais 4 anos de mandato em São Luís.

Ele derrotou o adversário Eduardo Braide (PMN) na disputa de segundo turno.

O pedetista obteve 53,94% dos votos válidos, contra 46,06% do seu adversário. Ao todo, 285.242 eleitores optaram pela reeleição de Edivaldo. Outros 243.591 votaram em Eduardo Braide.

Depois de 100% das urnas apuradas, o sistema de divulgação de resultado das eleições do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentou um comparecimento às urnas de 553.535 (83,90%) eleitores em São Luís, de um total de 659.779 aptos ao voto. Do total de eleitores que compareceram às urnas, 8.758, ou 1,58% votaram ‘Branco’ e outros 15.944, ou 2,88% optaram por anular o voto.  A abstenção foi de 16,10%, com 106.244 eleitores faltosos.

Cabo Campos declara apoio a Edivaldo Júnior

cabo-campos-com-edivaldoO deputado estadual Cabo Campos (DEM) declarou, na manhã de hoje, apoio à reeleição do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PDT), da coligação “Pra Seguir em Frente”. De acordo com o parlamentar, neste segundo turno, Edivaldo é o melhor candidato para governar a capital do Maranhão.

Segundo Campos, durante os quase quatro anos que esteve à frente da administração municipal, Edivaldo soube superar as dificuldades dos dois primeiros anos e depois a crise econômica que se abateu em todo o país, que afetou principalmente as finanças municipais.

“Caminharei com Edivaldo neste segundo turno, porque temos que continuar com que está dando certo. Ele tem feito uma boa administração e agora está preparado, mais experiente, para o segundo mandato”, destacou o deputado estadual Cabo Campos.

No primeiro turno, Campos estava na campanha da deputada federal Eliziane Gama (PPS).

Expectativa para o debate da TV Mirante

debate-mirante

Militantes do PDT, do candidato Edivaldo Júnior, estão na porta da TV Mirante desde às 18h

A TV Mirante realiza daqui a pouco, às 22 horas, o debate entre os candidatos a prefeito da capital.

Serão cinco os candidatos: Edivaldo Júnior (PDT), Wellington do Curso (PP), Eliziane Gama (PPS), Eduardo Braide (PMN) e Fábio Câmara (PMDB).

O debate será mediado pelo jornalista Tonico Ferreira, da Rede Globo, que está desde ontem na capital.

Militantes do PDT, de Edivaldo Júnior, estão na porta do Grupo Mirante desde às 18 horas. É a tradicional movimentação de militância que ocorre a cada realização de debate, nas ruas.

É provável que daqui a pouco cheguem os militantes dos demais candidatos.

O debate da TV Mirante fecha o período de campanha eleitoral.

É o momento mais aguardado pelo eleitorado ludovicense. A “hora da verdade”…

MP recebe denúncia contra Edivaldo

edivaldoO Ministério Público recebeu ontem denúncia contra o Município de São Luís, administrado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e contra o Instituto Superior de Educação Continuada (Isec), por suspeita de desvios de recursos públicos.

A denúncia foi formulada na 28ª Promotoria de Justiça Especializada de Improbidade Administrativa por funcionários do Isec e diz respeito a um contrato de R$ 33,2 milhões firmado entre a Prefeitura e o instituto.

Em setembro de 2015 o deputado estadual Wellington do Curso (PP) havia levantado a denúncia na tribuna da Assembleia Legislativa. O deputado acompanhou os funcionários numa audiência junto ao MP.

“Estamos diante da aplicação arbitrária do dinheiro público e é por isso que nos colocamos a disposição dos funcionários do ISEC e os acompanhamos junto ao MP para prestar esclarecimentos. E a pergunta se repete: para onde essa verba foi? Ou o porquê de o dinheiro não ter sido utilizado para o pagamento dos funcionários, ou, então, por que não ter sido destinada para a construção da maternidade prometida para o bairro da Cidade Operária. Porque o Prefeito não construiu, com esse dinheiro, as 25 creches que ele anunciou desde fevereiro de 2014? Isso é inadmissível! Um prefeito dizer que preza pela honestidade, pelo respeito, e trata essas centenas de funcionários desta forma. Hoje, eles estão desempregados, sem ter como pagar suas contas, sem ter como arcar seus compromissos. Sem levar encontra os que foram contatados para receber dinheiro sem trabalhar”, destacou Wellington.

Na audiência, Wellington também pediu investigação do MP contra o prefeito Edivaldo, por suposta improbidade administrativa.

O órgão, contudo, ainda não se posicionou sobre o caso.

É justo que o PT fique com a vice, diz Monteiro

MonteiroO presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Raimundo Monteiro, afirmou com exclusividade a O Estado ontem, que apesar da aproximação do Partido Socialista Brasileiro (PSB) ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), a sigla ainda espera ser contemplada com a indicação do candidato a vice na chapa do pedetista.

No início da semana o senador Roberto Rocha (PSB) se reuniu com o governador Flávio Dino (PCdoB) e com Edivaldo Júnior, em diferentes ocasiões, para definir o apoio do PSB à reeleição do prefeito.

A articulação de Rocha é para que a sigla tenha a prerrogativa de indicação do candidato a vice do pedetista para o pleito de outubro.

Ocorre que o PT já havia pleiteado o espaço na semana passada, quando definiu apoiar a reeleição do prefeito da capital.

A legenda trabalha com dois nomes: o deputado estadual Zé Inácio (PT), que acabou perdendo força nas últimas duas semanas, e o advogado Mário Macieira, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Maranhão. Macieira é “bancado” pelo governador Flávio Dino, numa articulação de poder que visa o pleito de 2018.

“Nosso pleito não muda em nada em decorrência da chegada do PSB junto ao prefeito. Vamos continuar pleiteando a vice. Acredito que o PT pode alcançar o espaço”, disse.

Monteiro afirmou que os principais partidos da base aliada de Edivaldo e Flávio Dino possuem espaços de representatividade no cenário político, tese que será levantada pelo PT durante a formação da coligação pedetista para justificar a vice.

“Acho que é importante o espaço de vice para o PT, uma vez que o PCdoB possui o Governo do Estado, o PDT tem a Prefeitura e o PSB tem o Senado da República. Por isso é mais do que justo solicitar a vice da Prefeitura”, explicou.

Diálogo – Raimundo Monteiro afirmou ter sido informado da aproximação PSB ao prefeito e da intenção também de indicar o candidato a vice. Ele ponderou, contudo, que o tema será definido, de forma democrática, junto às legendas.

“O PSB está aquinhoado no cenário, possui o Senado da República. O PCdoB também está aquinhoado no Governo do Estado, então nós queremos discutir a vice, mesmo que esse não seja um ponto determinante, mas nós queremos discutir com todos a participação na chapa”, completou.

O petista finalizou, afirmando que caberá ao prefeito conduzir a articulação da chapa.

“Vamos esperar a dinâmica do prefeito. O que sei é que vamos pleitear. Temos argumentos fortes dentro dessa conjuntura ”.

Informações de O Estado

Após fracasso em pesquisas, Edivaldo prepara lançamento de pré-candidatura

Edivaldo articulaçãoApós aparecer em desvantagem para a deputada federal Eliziane Gama (PPS) e empatado tecnicamente – em alguns cenários -, com o deputado federal Wellington do Curso (PP) em duas pesquisas de intenções de votos registradas na Justiça Eleitoral, o prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (PDT) adiantou o lançamento de sua pré-candidatura.

O ato, comandado pelo PDT, será realizado na próxima sexta-feira, na capital. Uma espécie de pré-convenção, que é o que define, oficialmente, as candidaturas partidárias.

O objetivo do prefeito é reunir representantes de outras 14 legendas e iniciar, definitivamente, um trabalho mais intenso em busca da reeleição. O deputado federal Weverton Rocha é quem deve coordenar as atividades.

“Estamos com Edivaldo para vencer. A cidade deve e merece continuar a ter este trabalho sério que ele vem realizando. Ele sabe de cada problema e de cada desafio da cidade, tem feito o possível para resolvê-los e está conseguindo. É preciso que esta militância permaneça unida e mobilizada, como sempre foi, em torno deste projeto”, afirmou a O Estado o deputado Weverton Rocha.

“Não se perde o que não se tem”, diz Weverton Rocha sobre pasta do Governo

weverton rochaO deputado Weverton Rocha (PDT) rechaçou hoje ao blog, a tese de que o PDT perdeu espaços no Governo Flávio Dino (PCdoB), depois da queda de Áurea Prazeres da Secretaria de Estado da Educação. Prazeres, que havia sido indicada pelo partido em 2015, foi substituída por Felipe Camarão.

“Não se perde o que não se tem! Faz tempo que a Áurea não representava mais o partido”, disse, com exclusividade ao blog.

Apesar de no discurso, Weverton sustentar que a legenda nada perdeu com a queda de Áurea, houve sim baixa para o partido.

O PDT tinha como prerrogativa, após firmar acordo político com Flávio Dino ainda em 2014, de apontar eventuais substitutos para os membros de primeiro escalão que tivessem sido indicados pela legenda.

Ocorre que Dino trava uma disputa política com Weverton e o PDT em alguns dos principais municípios do estado. Na capital, o PDT praticamente “tomou” Edivaldo Holanda Júnior (PDT) de Dino. Em Imperatriz, Weverton apoia a candidatura de Rosângela Curado, enquanto Dino banca o deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB). Em Paço do Lumiar, outra disputa entre o PCdoB e o PDT.

O PDT trabalha pela reeleição de Josemar Sobreiro, enquanto o PCdoB lançou a pré-candidatura de Domingos Dutra.

PDT vai perdendo espaços no Governo…

Weverton tem divergência com Flávio por disputa política em municípios

Weverton tem divergência com Flávio por disputa política em municípios

A mudança promovida por Flávio Dino (PCdoB) na Secretaria de Estado da Educação só fez deixar em maior evidência a crise entre o PDT e o Governo do Estado. O partido perdeu a pasta quatro dias depois de um pedetista, secretário municipal em Paço do Lumiar, ter apontado fracasso da agenda política de Dino no município.

Áurea Prazeres havia sido indicada pelo comando estadual do PDT em 2015, quando houve a formação do secretariado de Dino. A ex-secretária, contudo, entrou em divergências e rompeu com o deputado federal Weverton Rocha, presidente do PDT no Maranhão.

Ela passou a ser pressionada pelo comando da legenda e não conseguiu administrar a crise com o partido e a relação com o chefe do Executivo, e por isso pediu para deixar a Educação.

Como ela saiu do primeiro escalão do Governo, o PDT tinha como prerrogativa – levando-se em consideração um acordo político firmado entre Dino e a sigla entre outubro de 2014 e janeiro de 2015 -, indicar um novo nome para o lugar.

O comunista, contudo, trabalhou rápido e anunciou Felipe Camarão para o lugar da pedetista, não dando possibilidade ao partido de reocupar a pasta. A legenda perdeu espaços na administração comunista.

A crise já havia ampliado no fim de semana, quando o secretário de Agricultura de Paço do Lumiar, Rodrigo Costa (PDT), aliado do deputado federal Weverton Rocha (PDT), apontou fracasso da agenda política de Dino no município. Na ocasião, Dino lançou a pré-candidatura de Domingos Dutra (PCdoB) à Prefeitura de Paço.

A declaração do pedetista provocou forte repercussão na base governista, sobretudo entre o PCdoB e o PDT. Weverton trabalha pela reeleição de Josemar Sobreiro em Paço do Lumiar. Dino, contudo, já articula e fortalece a pré-candidatura de Dutra.

O resultado da disputa, que também se estende a São Luís e Imperatriz, resultou no enfraquecimento do PDT no Governo.