Wellington questiona aplicação provas do concurso da PM fora do MA

O deputado estadual Wellington do Curso (PP), voltou a utilizar a Tribuna da Assembleia Legislativa para fazer outra grave denúncia sobre a suposta desorganização do concurso público da Polícia Militar do Maranhão.

De acordo com o parlamentar, haverá aplicação de provas em Teresina, no Piauí. No edital, contudo, segundo o deputado, há discriminação apenas relacionadas a provas em São Luís, Caxias e Imperatriz.

“Trago mais uma denúncia gravíssima do Governo Flávio Dino. Nós pedimos aqui a ampliação dos locais de provas do concurso da PM, pois seria apenas em São Luís. Houve uma pouca mudança e o edital 002 modificou ampliando o local de prova para Imperatriz e Caxias. Só que fui surpreendido com a confirmação de que tem candidato que fará prova em Teresina. Pergunto, por que vai ter prova em Teresina? Todo e qualquer alteração no edital, tem que ser mediante retificação do edital, isso é gravíssimo. Fizeram uma alteração no edital e nós não estamos sabendo ou não fizeram alteração no edital? Há indícios de ilícito e por que beneficiar o piauiense? Candidato Eduardo Rogério Silva Andrade, vai fazer prova na Faculdade Santo Agostinho. Outro candidato lá no bairro Uruguai. Outro candidato na Faculdade Santo Agostinho, outro candidato na Maurício de Nassau. Eu liguei ontem para a Faculdade Santo Agostinho perguntando se neste final de semana teria prova para a Polícia Militar do Maranhão e confirmaram que neste domingo terá prova da Polícia Militar do Maranhão”, disse.

O Governo do Maranhão ainda não se posicionou sobre o tema…

Policiais em greve vão atrás de Flávio Dino até no Piauí

dino1Nem mesmo fora do estado o governador Flávio Dino (PCdoB) tem conseguido escapar da cobrança dos policiais civis do Maranhão, que, em greve desde a segunda-feira, 3, seguem firmes no movimento.

Na quarta-feira, 5, no mesmo dia em que a Justiça determinou a suspensão da mobilização a categoria decidiu manter a paralisação.

Ontem, com a greve ainda em pleno vapor, o comunista foi surpreendido por um grupo de policiais civis em Teresina.

Na cidade, o governador foi proferir palestra na abertura do 5º Congresso de Ciência Política e Direito Eleitoral do Piauí, realizado na sede da Ordem dos Advogados do Piauí (OAB-PI). E foi abordado por um grupo de grevistas.

Eles sentaram praça em frente à sede da Ordem. Com faixas e carros de som, mobilizaram-se como se no Maranhão estivessem.

Na saída do evento, Dino dois líderes do movimento conseguiram abordar o governador. Cobraram dele reajuste salarial, mas ouviram do chefe do Executivo que, agora, não há o que se possa fazer por suas reivindicações.

O mesmo que têm ouvido em sucessivas reuniões com representantes do Palácio dos Leões.

Em tempo: investigadores, comissários e escrivães da Polícia Civil tiveram reajuste salarial de apenas 5% e nenhuma proposta salarial para os demais anos, como ocorreu com os policiais militares – que tiveram previsão de aumento até 2018 –; e com os delegados, que tiveram um reajuste de cerca de 70% até junho de 2016.

Os policiais querem algo pelo menos próximo de uma equiparação…

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

‘Concurseiros’ do Piauí ocupam espaços no Maranhão

Lista de candidatos convocados para concurso da PM nos municípios de Timon e Caxias

Lista de candidatos convocados para concurso da PM nos municípios de Timon e Caxias

23,65% de candidatos aprovados e que foram convocados para a Polícia Militar do Maranhão, são naturais de outros estados; a maioria absoluta é do Piauí

Não é de hoje que muito se comenta em bancas de cursos preparatórios para concursos públicos situados em São Luís, a determinação e o desempenho de “concurseiros” do nosso estado vizinho, Piauí.

E a cada concurso público realizado no Maranhão, essa tese acaba sendo confirmada.

O resultado da convocação do Governo do Estado de aprovados no concurso da Polícia Militar, realizada na última segunda-feira, também pode servir de parâmetro para esta análise.

De um total de 389 candidatos convocados para a escola de formação da PM, 92, ou 23,65%, é natural de outros estados, a maioria absoluta do Piauí.

A convocação para dois municípios específicos, chama mais atenção ainda. Em Timon, onde funciona o 11º Comando da PM, de um total de nove candidatos do sexo masculino aprovados, oito são piauienses e apenas um maranhense.

Já no município de Caxias, de um total de 13 aprovados – também do sexo masculino -, dois são maranhenses, um é pernambucano e 10 são do estado do Piauí. Uma marca impressionante e que comprova o excelente desempenho destes “concurseiros”.

Boa parte dos candidatos de outros estados e que foram aprovados no concurso, é bem verdade, já reside no Maranhão e até frequenta concursos preparatórios em São Luís e em outros municípios. E basta ir a uma sala de aula em alguns dos cursos preparatórios de maior referência na capital, para observar isto.

É inegável, no entanto, independentemente disso, que os estudantes de nosso estado vizinho parecem determinados e têm obtido êxito no desafio de ocupar os espaços no serviço público maranhense. E os méritos são deles.