PSL adia convenção de Maura Jorge e conversa com o PMN de Eduardo Braide

O Partido Social Liberal (PSL), que tem como pré-candidata ao Governo a ex-deputada Maura Jorge, decidiu adiar a sua convenção partidária.

O ato, previsto na Legislação Eleitoral para a definição das chapas majoritárias e coligações proporcionais, estava previsto para ocorrer no dia 28 de julho, mesma data da convenção do PCdoB, sigla que lançará Flávio Dino à reeleição.

O PSL tem mantido conversas com o PMN, do deputado estadual e pré-candidato ao Executivo, Eduardo Braide.

A expectativa é de que o parlamentar abra mão de sua pré-candidatura para apoiar Maura Jorge, e lidere uma coligação para a disputada de vagas na Câmara Federal.

O Podemos, o PSC e o PSDC também integram as negociações.

Vale aguardar.

Eduardo Braide é eleito membro da Executiva Nacional do PMN

Oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB) e bem colocado em todas as pesquisas de intenções de votos na capital para a disputa do Governo do Estado nas eleições 2018, o deputado estadual Eduardo Braide ocupa agora lugar de maior destaque no PMN.

Ex-candidato a prefeito de São Luís – com votação expressiva, diga-se -, Braide foi eleito ontem membro da Executiva Nacional do PMN, durante convenção da legenda que reuniu, em São Paulo, representantes do partido de todo o país.

“Agora o Maranhão terá voz nas decisões nacionais do partido e, mais que isso, o nosso estado dará a sua contribuição para um Brasil melhor. É isso que todos nós queremos”, afirmou.

Para Eduardo Braide, o momento nacional exige compromisso maior de todos.

“O Brasil pede que estejamos atentos, focados e, sobretudo, comprometidos com o país. Não há mais espaço somente para discursos. É preciso prática, ação. E é isso que queremos, que sempre fizemos e continuaremos a fazer”, finalizou o deputado.

Eduardo Braide afirma que debate o credenciou ao segundo turno

braideO candidato a prefeito Eduardo Braide (PMN) afirmou ontem, logo após o término da votação, num pronunciamento feito aos militantes do PMN e apoiadores, no Comitê Central, no Olho d’Água, que os debates foram decisivos para a sua ida ao segundo turno nas eleições municipais.

Ele citou os debates da TV Guará e da TV Mirante. Este último, da afiliada à Rede Globo, que ocorreu na última quinta-feira, para analistas políticos foi o que o credenciou ao segundo turno.

“Nada substitui o debate. Na propaganda política se você erra, tem como gravar novamente. Há uma equipe técnica e vários assessores o auxiliando. No debate não. É você e os seus adversários. Lá o eleitor conhece quem é quem de verdade”, disse.

Eduardo Braide afirmou que participará de todos os debates possíveis no segundo turno e assegurou estar confiante da vitória sobre Edivaldo Júnior (PDT). “Hoje [ontem] o povo de São Luís fez história. Escolheu um candidato que tinha apenas 10 segundos na propaganda política. Escolheu um candidato que saiu sozinho, pelo PMN, sem coligação ou apoio político. O povo de São Luís tomou uma decisão importantíssima hoje [ontem]”, finalizou.

Braide disputará o segundo turno contra Edivaldo no dia 30 de outubro.

Eduardo Braide surpreende e garante espaço no segundo turno

eduardo braide comitêO deputado estadual Eduardo Braide (PMN) surpreendeu na eleição de hoje e garantiu espaço no segundo turno em São Luís.

Até o momento, com mais de 99,90% das urnas apuradas, Braide ficou na segundo colocação com 21,35% dos votos válidos.

Edivaldo Holanda Júnior (PDT) ficou na primeira posição, com 45,66% dos votos.

Eduardo Braide desbancou Wellington do Curso (PP), que até o debate da TV Mirante figurava na segunda posição em todas as pesquisas de intenções de votos.

Braide termina o primeiro turno como o grande vencedor. E vai para o segundo com muito gás…

PPS perde sem fusão

Eliziane Gama é presidente do PPS

Eliziane Gama é presidente do PPS no MA

A direção nacional do Partido Popular Socialista (PPS) lamentou ontem, em nota oficial assinada pelo presidente da Executiva Nacional da legenda, deputado federal Roberto Freire, o fim das conversas pela fusão com o Partido da Mobilização Nacional (PMN) e criação do Mobilização Democrática (MD).

Os popular-socialistas afirmaram, ainda, respeitar a decisão, mas ressaltaram, no entanto, que a fusão representaria, “em nosso entendimento, o surgimento de uma nova formação política que possibilitaria um maior protagonismo da oposição ao atual governo e revigoraria a própria democracia brasileira”. “A mobilização democrática do PPS não cessará e, ao contrário, se intensificará. O PPS segue seu caminho e permanece firme na luta por uma esquerda democrática forte e por uma oposição firme ao governo Lula-Dilma”, completa o comunicado.

No Maranhão, a informação sobre o fim dos entendimentos pela fusão foi confirmada no domingo pelo deputado estadual Eduardo Braide (PMN). E o resultado disso deve levar a reflexos maiores no PPS – em constante “guerra” interna desde que a deputada Eliziane Gama chegou ao comando da legenda – do que no PMN, que deve seguir sem problemas com a base governista. Em resumo: sem a fusão, o PMN segue unido no Maranhão, enquanto o PPS continuará com seu futuro absolutamente imprevisível.

O deputado estadual Othelino Neto já afirmou que sairá do PPS. Outro que não deve permanecer é o deputado federal Simplício Araújo.

Da coluna Estado Maior, com edição

Eduardo Campos perde com o fim do MD

Eduardo Campos é governador de Pernambuco

Eduardo Campos é governador de Pernambuco

Para o deputado estadual Othelino Neto (PPS), quem mais deve perder no âmbito nacional com o fim da fusão entre o seu partido político e o PMN – que resultaria na criação do Mobilização Democrática (MD) – é o pré-candidato a Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), que governa Pernambuco.

“Na minha avaliação o MD estava dentro de uma conjuntura de apoio ao Eduardo Campos. E se por um lado a oposição ganhou com essas manifestações em todo o país, o Eduardo perde com o fim dessa articulação”, disse e completou. “O MD teria um tempo de televisão razoável, teria uma bancada de deputados federais dos dois partidos e de outros que já estariam em direção a ele. Então neste aspecto tem essa importante modificação”, acrescentou.

Othelino lembrou, no entanto, que no Maranhão o MD estaria na base do governo. “Como o partido ficaria sob o comando do deputado Eduardo Braide (PMN), a oposição perderia um aliado, uma vez que a tendência era de composição do MD com o governo. Não acontecendo, as coisas permanecem como estavam. PMN é governo e PPS oposição”, completou o parlamentar, que já garantiu, deixará de fato o PPS.

Rogério Cafeteira diz que Roberto Rocha não pode dar exemplo ao MD

rogeriocafeteiraO deputado estadual Rogério Cafeteira (MD) criticou forte o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB) pela articulação do chamado “Pacto Pela Vida” junto a deputada estadual Eliziane Gama (MD).

Segundo Cafeteira, Rocha nada tem a ensinar a Mobilização Democrática, com o projeto apresentado à imprensa. “Eu acho que o Roberto deveria colocar em prática esse pacto é na Prefeitura. Ele quer vir dar aula para a gente enquanto não colocou nada em prática no Município? Essas questões administrativas, essas aulas de administração, ele poderia é dar para o prefeito, que parece perdido, meio sem rumo. Essa seria uma boa contribuição para Edivaldo”, afirmou.

Rogério Cafeteira também rechaçou qualquer tipo de aproximação partidária entre o MD e o PSB no Maranhão. Ele considerou o ato uma tentativa de levar o partido à força parao campo da oposiçao. “Há um acordo nacional para que o comando do MD no estado fique com os membros do PMN e não do

Roberto Rocha articulou pacto com Eliziane

Roberto Rocha articulou pacto com Eliziane

PPS. Nesse sentido, o partido deve se alinhar à base do governo. Iremos em 2014 com o candidato do Governo do Estado. Não existe pacto algum com o PSB”, rechaçou.

Cafeteira também condenou a iniciativa de Eliziane Gama. A parlamentar, por sua vez, disse ao blog que o pacto foi feito pelo PPS e não pelo MD, como apresentou a sua assessoria. “O MD ainda está em construção, não existe. A minha ação foi como presidente estadual do PPS”, afirmou.

Eduardo Braide confirma: PMN comandará MD no Maranhão

Eduardo Braide

Eduardo Braide confirma acordo nacional no MD

O deputado estadual Eduardo Braide (MD) confirmou a existência de um acordo nacional da cúpula que coordena a criação do MD – partido fundado a partir de uma fusão entre o PMN e o PPS, para que o comando da sigla no Maranhão fique com o PMN. O parlamentar é um dos cotados para presidir a legenda. Com isso, torna-se inevitável a saída da deputada Eliziane Gama (MD) do partido, situação que ela já havia tornado pública na semana passada. Isso porque a tendência é de que a sigla atue no campo governista e não na oposição, como esperava a parlamentar. A intenção de Eliziane agora é passar a integrar o Rede, partido criado pela ex-ministra Marina Silva.

De acordo com Eduardo Braide, há um acordo consolidado desde a fusão entre os dois extintos partidos, de que o comando da nova legenda nos estados, seria dividido. O PMN deve ficar com nove unidades federativas, a exemplo do Maranhão. “Existe sim esse acordo, e isso nos foi passado pela direção nacional já há algum tempo. Estamos conversando com os membros, discutindo a construção do partido de maneira democrática e coerente”, afirmou.

O parlamentar, no entanto, nega que esteja confirmado na presidência do MD no estado. “Não há nada definido quanto à presidência. O momento é de pensarmos o partido, de discutirmos o formato, a estruturação partidária, de sentarmos com os membros. Ainda não existe presidência do partido no Maranhão, até porque o MD ainda aguarda definição do TSE”, acrescentou.

Eliziane quer criar observatório

Eliziane deve sair do MD

Questionado se o posicionamento de Eliziane – de não permanecer na legenda caso ele seja escolhido como presidente – traria algum tipo de mal-estar para o recém-criado partido, ele afirmou acreditar que não. Ele disse que já havia conversado com a parlamentar sobre o acordo nacional. “Fui pessoalmente conversar com a Eliziane e mostrar que o acordo nacional é para que o PMN comande a legenda no estado. Em momento algum tentei esconder isso. Espero inclusive poder contar com a deputada, à qual respeito bastante por sua atuação na Assembleia”, afirmou.

Eliziane explicou porque não deve permanecer na sigla. “Admiro bastante o Eduardo, acredito inclusive que ele é um dos melhores deputados que temos no Maranhão, no entanto, estamos em campos políticos opostos. Sou de oposição e ele apoia a governadora Roseana Sarney (PMDB). Eu não poderia agora, de uma hora para a outra, passar para o campo governista por conta do partido. Se isto se confirmar infelizmente não poderia permanecer”, disse a parlamentar.

Eliziane pode sair do MD caso o comando seja dado a Braide

Eliziane aguarda definição no MD

Eliziane aguarda definição no MD

A deputada estadual Eliziane Gama ainda aguarda a definição da direção nacional do partido Mobilização Democrática (MD) – criado a partir de uma fusão entre o PPS e o PMN -, para decidir sobre a sua permanência na sigla. Ela espera que a nova legenda se mantenha no campo da oposição no estado, mas com a possibilidade de o comando do partido ser entregue ao deputado estadual Eduardo Braide (PMN), aliado da governadora Roseana Sarney (PMDB), é real a possibilidade de sua saída.

A preocupação de Eliziane se dá após ser divulgado na imprensa nacional, um acordo entre o presidente do MD e que também comandava o PPS, deputado federal Roberto Freire, e a presidente do PMN, Telma Ribeiro. Pelo acordo, membros do PMN deverão comandar o MD em nove estados. Maranhão seria um destes.

“Admiro bastante o Eduardo, acredito inclusive que ele é um dos melhores deputados que

Eduardo Braide

Eduardo Braide

temos no Maranhão, no entanto, estamos em campos políticos opostos. Sou de oposição, não poderia agora, de uma hora para a outra, passar para o campo governista por conta do partido. Acredito que o MD tem de manter a posição nacional que é a de oposição”, disse a parlamentar.

Eliziane afirmou que aguardará o posicionamento de Freire e caso o comando do MD seja dado a Eduardo Braide, ela deve procurar espaço no Rede [partido criado por Marina Silva]. “Se isto ocorrer, eu vou sentar e conversar abertamente com o Braide, para saber qual será o rumo da legenda no nosso estado. Então, se me for colocado que o partido apoiará a governadora, não terei outra decisão a não ser deixar a legenda amistosamente”, afirmou.

Presidente nacional da legenda afirmou que ainda não há definição quanto ao diretório nacional do partido. Ele disse que o momento é de pensar na estrutura da legenda e não na situação pessoal de cada membro.

O blog não conseguiu falar com Eduardo Braide,