PF prende quatro assessores do Procon/Viva

A Polícia Federal prendeu hoje quatro funcionários do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon-MA).

As prisões ocorreram no bojo da Operação Seguro Fake. Foram alcançados pela PF e presos preventivamente os assessores senior Herbert Reis e Rosenir Hungria. Já Ananda Morais Ribeiro e Geordana de Brito Ramos foram presos temporariamente. Todos lotados no Viva, órgão vinculado ao Procon-MA.

A operação é uma ação coordenada entre policiais federais e servidores do Ministério do Trabalho, especializados em rastrear as inclusões fraudulentas de benefícios do Seguro Desemprego.

Os investigados responderão por estelionato qualificado, inserção de dados falsos em sistemas de informações e associação criminosa, com penas que podem ultrapassar vinte anos de reclusão.

Outro lado

O Governo do Estado informa que o VIVA é um balcão de serviços, por isso disponibiliza, sem qualquer custo, toda sua estrutura para que órgãos da esfera federal, estadual e municipal prestem serviços públicos com qualidade, conforto e segurança ao cidadão, sem, no entanto, ter qualquer ingerência sobre o mérito administrativo dos atos de órgãos parceiros. Por essa razão, a Operação Seguro Fake não diz respeito aos serviços prestados pelo Viva ou por qualquer órgão estadual, e sim por órgão federal.

Destacamos que, por meio de monitoramento, identificamos algumas suspeitas de irregularidades e, imediatamente, acionamos as autoridades competentes.

Em colaboração com as investigações, a direção comunica que continua cooperando com todos as solicitações da Polícia Federal para o total esclarecimento dos fatos.

Por fim, reforça seu compromisso com a manutenção de uma gestão transparente, ética a eficiente.

Quadrilha de Barra do Corda consegue habeas corpus

Do blog de Décio Sá – O prefeito foragido de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), acusado pela Polícia Federal de comandar uma “organização criminosa” que desviou mais de R$ 50 milhões dos cofres do município nos últimos anos, conseguiu habeas corpus junto ao STJ.

Prefeito Nezim está foragido

A informação é do advogado José Duarte Júnior. Ele atua no caso junto com o colega Eduardo Alckmin. Segundo Duarte, o ministro Teori Albino Zavascki concedeu ontem a liberdade para a nora do prefeito, Janaína Maria Morena Simões de Sousa, que estava presa em Pedrinhas.

Hoje os advogados pediram extensão da medida aos outros acusados, sendo deferida pelo ministro. Duarte contou ao blog que o habeas corpus foi concedido sob a argumentação que ninguém pode ser preso para ser investigado.

Chefe da “Operação Astiages”, que prendeu a quadrilha, o delegado Victor Mesquita disse ao blog não ter informações sobre a soltura dos presos. Ele reafirmou a consistência das provas que constam no inquérito.

Além de Nenzim, passaram quatro dias foragidos a mulher dele, Francisca Teles de Sousa, a Santinha, e o lobista João Batista Magalhães. A PF prendeu ainda dois filhos, um genro, e mais cinco “laranjas” da “organização criminosa”, totalizando nove pessoas. Todos serão soltos nas próximas horas.

A população de Barra do Corda está programando para esta segunda-feira uma grande manifestação na cidade contra o prefeito.

A direção nacional da PV  pressiona o Diretório Estadual do Maranhão no sentido de que expulse Nenzim de suas fileiras. As lideranças locais esperam que ele tome a iniciativa de se licenciar do partido imediatamente até explicar todas as acusações feitas pela PF.