Promessa é dívida

Editorial de O Estado do Maranhão

Imagem da posse do governador Flávio Dino em janeiro de 2015

Quando em 2014 Flávio Dino foi eleito governador do estado do Maranhão, já havia à época a obrigação legal imposta a todos os candidatos a chefe do Executivo de registrar o seu plano de governo (promessas de campanha) perante a Justiça Eleitoral.

Com efeito, desde o ano de 2009 foi introduzido na Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições) o inciso IX ao artigo 11, §1°, que tem o seguinte teor: o pedido de registro de candidatura deve ser instruído com as propostas defendidas pelo candidato a prefeito, governador de estado e a presidente da República.

Logo, ao registrar as suas promessas de campanha na Justiça Eleitoral, Dino assim fazia não por mera liberalidade, não apenas por capricho ou vontade própria, mas, sim, para atender a um requisito para o deferimento do registro de sua candidatura. É dizer: se as suas promessas não fossem encaminhadas para a Justiça Eleitoral o comunista não teria o registro da sua candidatura deferido.

E quantas promessas de campanha ele fez em 2014? Não se pode ter a menor dúvida de que foram 65, número este, inclusive, que tinha apelo simbólico, já que 65 também era o seu número na urna eletrônica.

Ou seja, Dino resolveu fazer 65 promessas não de forma à toa, mas tão somente para confundir o eleitor, o que significa dizer que esse número é fantasioso desde a sua origem.

Quem ainda tiver dúvida quanto ao número de promessas feitas pelo governador – se 65 ou 37, como acabou sendo de forma imoral por ele mesmo afirmado em suas redes sociais -, basta ir ao sítio eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral e acessar o link “DivulgaCand”.

Pronto! Mentira comprovada, pois lá estarão divididas e caracterizadas as 65 (sessenta e cinco) promessas feitas por Flávio Dino à Justiça Eleitoral.

Isso significa dizer que Flávio Dino não é o governador que mais cumpriu promessas de campanha como falsamente foi alardeado por ele e seus asseclas no mundo virtual. Em realidade, se as 65 promessas tivessem sido levadas em consideração, o comunista seria um dos governadores que menos cumpriu o que prometeu.

Mas, não é só a busca da realidade por meio dos números que estão à disposição na Justiça Eleitoral que atestam a mentira governamental.

É, igualmente, a própria realidade dos maranhenses quem indica isso. Em três anos de governo comunista houve aumento considerável do número de pessoas que passaram a viver na linha da miséria – 312 mil indivíduos, segundo o IBGE. Somam-se a esse cenário os numerosos escândalos, inclusive de corrupção, que marcam o governo até aqui.

Chegou-se ao último ano do governo que até hoje não mostrou a que veio. O povo, esperançoso, ainda tem alguma expectativa das promessas de mudança elaboradas por Dino serem efetivadas, até porque, promessa é dívida.

Por enquanto, no mundo real, o que se vê são apenas notícias mentirosas (fake news) espalhadas com facilidade pela internet para fundamentar as mudanças prometidas, mas não percebidas.

Nova promessa…

Deputados federais e estaduais estiveram pela enésima vez vistoriando as obras de duplicação da BR-135, na última segunda-feira. E maios uma vez ouviram do DNIT a promessa de entrega, de pelo menos um trecho de 7 quilômetros, em até 10 dias.

Já tem um sem-número de vezes que o Ministério dos Transportes e o seu braço local, o DNIT, prometem entregar a obra, que deveria ter ficado pronta ainda em 2014. São três anos de atraso, portanto.

A duplicação da BR-135 – no trecho entre São Luís e Miranda do Norte, passando por Bacabeira, Santa Rita e Itapecuru-Mirim – é, na verdade, uma batalha antiga da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), desde o seu primeiro mandato, ainda nos anos 90. A confirmação da obra foi uma luta intensa também do ex-deputado e ex-senador Chiquinho Escórcio (PMDB), que pressiono tanto o ministério dos Transportes quanto o DNIT para a realização da duplicação.

Desde que a obra começou, nos idos de 2010, apenas parlamentares ligados ao grupo da ex-governadora – primeiro Chiquinho, depois Hildo Rocha e Pedro Fernandes – têm se desdobrado na pressão aos órgãos interessados. Outros que mobilizam céus e terra são os deputados estaduais Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso (PP).

Curiosamente, não se viu nenhuma mobilização do governador Flávio Dino (PCdoB) e, principalmente, do prefeito Edivaldo Júni9or (PDT) em torno da obra. Mas certamente os dois estarão presentes na inauguração deste trecho de 7 km. Isso se ocorrer, de fato.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

“Se prometeu, não vai cumprir”, diz Edilázio sobre programa de Flávio Dino

Deputado Edilázio Júnior

Deputado Edilázio Júnior

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) expôs hoje, na Assembleia Legislativa, sentimento de descrença que paira sobre o Governo do Estado.

Ele ouvia o apelo do deputado Wellington do Curso (PPS) ao governador Flávio Dino (PCdoB), para que o comunista cumpra a promessa de campanha e implante o programa “Água para Todos”, quando pediu o aparte:

“Se ele [Flávio Dino] prometeu, não vai cumprir. Tudo o que falou na campanha depois de eleito foi mudado totalmente. Foi assim com a PEC 300 e assim com a questão dos 21,7%. Isso é notório para quem o apoia e para quem não o apoia. Todos sabem do descaso e da falta de responsabilidade que o governador Flávio Dino tem para com os mais humildes, os mais carentes”, disse.

Edilázio afirmou que também recebido denúncias a respeito da precariedade na prestação dos serviços de água e esgoto em Paço do Lumiar e se colocou à disposição do colega Wellington do Curso – que coordenou audiência pública ontem -, para tratar da questão.

A promessa do Pericumã

Flávio Dino é governador do Maranhão

Flávio Dino é governador do Maranhão

No dia 28 de setembro de 2014, no auge da campanha eleitoral, o então candidato a governador Flávio Dino (PCdoB) fez o seguinte discurso em Guimarães, na presença de prefeitos e populares de vários municípios da Baixada.

“Eu posso garantir que aplicando bem o dinheiro público é possível sim concluir o sonho desta região e fazer a famosa ponte sobre o rio Pericumã. Eu assumo esse compromisso pela primeira vez. E graças a Deus estou sendo filmado, e quero que vocês me filmem, para me cobrar. Quando vocês estiverem passando por cima da ponte, vocês irão lembrar deste dia aqui em Guimarães”.

O tempo passou e chegou a hora da cobrança. Quase dois meses depois de assumir, e após intensas gestões do prefeito de Mirinzal, Amaury Almeida, que preside o Consórcio dos Guarás, a Secretaria de Infraestrutura não demonstra encaminhamento algum para o projeto.

Ontem, após visita no dia anterior ao local da futura obra ­ em que os prefeitos já disponibilizaram máquinas para o trabalho ­, o deputado José Inácio Rodrigues foi à tribuna da Assembleia Legislativa para lembrar do compromisso de Dino.

“Coloca­-se agora nas mãos do governador Flávio Dino a execução desse importante projeto que é a ponte sobre o Rio Pericumã ligando Bequimão a Central do Maranhão. Inclusive registrando também aqui que o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, já assinou a ordem de serviço que garante a realização do projeto técnico que vai dizer o custo dessa ponte sobre o Rio Pericumã”, disse o deputado.

Os prefeitos já começaram obras para melhorar a estrada que chega até o rio. Tudo na esperança de que a promessa de campanha de Dino ­ gravada, como ele próprio pediu ­ seja, de fato, cumprida.

Da coluna Estado Maior

SET define nova data para a entrega de 250 ônibus em São Luís

Frota da capital está velha e sucateada

Frota da capital está velha e sucateada

Somente no mês de março, os 250 novos ônibus, que deveriam ter sido entregues no dia 31 de janeiro pelas empresas de transporte coletivo e pela Prefeitura de São Luís, que é a gestora do sistema de transporte, estarão disponíveis para a população. Até lá, os usuários de ônibus da capital maranhense continuarão sendo prejudicados com a precariedade de grande parte da frota de coletivos em operação atualmente por ruas e avenidas.

Após o descumprimento de um acordo firmado no ano passado, que previa a aquisição de 250 novos coletivos até o dia 31 de janeiro deste ano, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) apresentou na tarde de ontem um novo calendário para a entrega desses veículos.

Segundo a entidade, até a primeira quinzena deste mês, 110 novos ônibus já estarão nas garagens das empresas e prontos para serem entregues à população. De acordo com Gilson Neto, vice-­presidente do SET, alguns desses coletivos já estão nas garagens de empresas. Segundo ele, a 1001 Expresso dispõe hoje de 45 ônibus; a Primor, de 15; Ratrans, de 10; e a Taguatur, de nove veículos. Porém, nenhum deles está em circulação.

O empresário afirmou também que, até o fim do mês, outros 50 coletivos estarão disponíveis. “A logística para trazer os coletivos é complicada. Mas o acordo que foi feito vai ser cumprido”, garantiu Gilson Neto. Ele disse ainda que em meados do mês de março todos os 250 coletivos que foram prometidos estarão disponíveis para a população.

Resta a população, que sofre diariamente com o precário sistema de transporte público, aguardar…