O pai da criança…

edivaldo-caminhadaDesde o fim das eleições de São Luís iniciou-se uma intensa discussão nos bastidores da prefeitura sobre os responsáveis pela reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

O PDT, obviamente, atribui a recuperação de Edivaldo – que apresentava rejeição de quase 50% no início da campanha – ao presidente do partido, Weverton Rocha, e à garra da militância. Para os pedetistas, foi a injeção de gás imposta pelo partido que construiu a imagem de coragem e pulso firme que o prefeito não tinha até o início de 2016.

Para o publicitário Evilson Almeida, no entanto, a vitória se deve ao trabalho de marketing de campanha, com programas otimistas e foco nas obras do prefeito, que, juntadas todas nas mesmas esquetes, deram o volume necessário para a imagem de prefeito trabalhador que Almeida buscou construir.

Até o pai do prefeito, deputado estadual Edivaldo Braga (PTC), que andou incógnito na gestão do filho durante os quatro anos, reclama para si a responsabilidade da vitória. Para Edivaldo-pai, foi ele o responsável pela virada na área Itaqui-Bacanga, feito que, diz, já havia conseguido também em 2012.

E é claro que o governador Flávio Dino (PCdoB) também se acha pai da vitória do prefeito, embora só tenha aparecido nos últimos cinco dias do segundo turno, quando gravou vinheta dizendo que iria votar em Edivaldo.

E é claro que cada “pai” quer o seu quinhão no futuro da criança que nasceu em 30 de outubro e vai se desenvolver ao longo dos próximos quatro anos.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão