Arnaldo Melo assegura: assumirá o Governo no início de dezembro

Arnaldo Melo assumirá governo após renúncia de Roseana

Arnaldo Melo assumirá governo após renúncia de Roseana

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), confirmou ontem a O Estado que assumirá o comando do Governo do Maranhão no dia 5 de dezembro. O peemedebista ocupará o posto da governadora Roseana Sarney (PMDB) que renunciará o mandato eletivo para cuidar da saúde e tratar de questões pessoais.

Melo chegou a afirmar durante a sessão ordinária de ontem que poderia assumir o Executivo, caso Roseana optasse pela renúncia antes do fim do mandato. Após os trabalhos no Legislativo, no entanto, em conversa por telefone com O Estado, o parlamentar confirmou um encontro com a governadora no último sábado, no Palácio dos Leões, onde houve o acerto de como se dará todo o processo.

De acordo com o peemedebista, já há definição por parte de Roseana em relação a data em que ocorrerá a renúncia. “Conversei com ela no sábado sobre o assunto. Ela me comunicou que deixará o cargo no dia 5 de dezembro, então eu assumirei o Governo do Estado. É uma questão que está sim acertada”, confirmou.

A discussão da possibilidade de renúncia da governadora ganhou força logo após as eleições gerais deste ano. Na Assembleia Legislativa deputados da base governista e de oposição discutiam o tema com a imprensa. Em duas ocasiões, vistoria das obras do Espigão e na inauguração, que ocorreu na semana passada, questionada sobre o tema, Roseana Sarney não confirmou, mas também não descartou deixar o comando do Executivo antes do fim do seu mandato.

Foi o que motivou a discussão no Legislativo sobre a eleição indireta para governador, prevista na Constituição Estadual e sobre a presidência da Casa. Após assumir o  Governo do Estado, Arnaldo Melo pode decidir pela renúncia do mandato de deputado estadual e abrir a possibilidade de uma nova eleição para o comando da Mesa Diretora da Assembleia.

Propostas – Já tramitam no Legislativo, duas matérias sobre a eleição indireta para governador. A primeira é uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de autoria do deputado Carlos Alberto Milhomem (PSD), que trata sobre a possibilidade da eleição indireta ser realizada em 10 dias, e não somente em 30 como determina a Constituição e a segunda é de autoria do deputado Alexandre Almeida (PTN), uma alternativa à matéria de Milhomem e  que acrescenta a possibilidade de o presidente da Assembleia assumir o Governo sem a necessidade de eleição indireta.

   O Projeto de Lei de Almeida e a PEC de Milhomem estão sob a análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Com a garantia de que Melo de fato assumirá o Executivo, as matérias devem ser votadas até o início de dezembro na Casa.

Washington renuncia ao cargo de vice-governador; posse no TCE deve ocorrer na próxima semana

Washington atuará no TCE

Washington não é mais o vice-governador

O vice-governador Washington Luiz confirmou há pouco ao blog a sua renúncia ao cargo no Executivo para assumir, já na próxima semana, a função de conselheiro de contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão. A informação foi dada em primeira mão pelo jornalista Jorge Aragão.

De acordo com Washington, a sua saída do Partido dos Trabalhadores (PT) também foi confirmada hoje. “Encaminhei à Assembleia Legislativa a minha carta de renúncia ao cargo de vice-governador, que ocupava desde 2010. Na segunda-feira já tenho encontro marcado com o presidente do tribunal de contas, conselheiro Edmar Cutrim, para tratar especificamente de minha posse. A previsão é que eu assuma a a cadeira no TCE já na próxima semana”, afirmou ao blog.

Washington oficializou a sua saída do Governo do Estado logo após o desembargador Guerreiro Júnior, presidente do TJ, confirmar a eleição da Assembleia para o TCE, que ocorreu ontem.

Ele foi eleito ontem com 29 votos favoráveis e apenas quatro contrários. Outros oito deputados não participaram da votação e apenas um [Marcelo Tavares], se absteve ao voto.

Prefeito de Ribamar Fiquene renuncia ao cargo

ribamar fiqueneJorge Aragão – A cidade de Ribamar Fiquene foi pega de surpresa nesta sexta-feira (11), com a decisão de renuncia do prefeito da cidade, Israel Ribeiro de Vasconcelos (PSB), mais conhecido como Vasco.

O prefeito decidiu renunciar ao seu mandato iniciado em 1º de janeiro deste ano na noite de ontem, mas oficializou sua decisão na manhã de hoje ao presidente da Câmara de Vereadores de Ribamar Fiquene.

A notícia pegou a classe política de surpresa. Vasco, entre outros motivos, alegou problemas de saúde e que a decisão tomada era irreversível e pessoal. Com a decisão, quem assume a prefeitura de Ribamar Fiquene é o vice-prefeito, Edilomar Miranda (PCdoB).

No entanto, o mandato do novo prefeito pode não durar muito, pois o prefeito eleito e o agora prefeito estão tendo seus mandatos questionados na Justiça Eleitoral e já perderam na primeira instância, mas permaneceram no comando do município graças a uma liminar, só que o processo deve ser julgado até o fim deste ano.

De fato algo raro de acontecer, um político renunciar ao seu mandato e principalmente se ele estiver no início.