Rede recorre de decisão que arquivou representação contra Aécio Neves

O partido Rede Sustentabilidade acaba de protocolar, na Secretaria do Conselho de Ética do Senado Federal, um recurso contra a decisão do presidente do Conselho, senador João Alberto Souza (PMDB-MA), que decidiu não admitir a representação em desfavor do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

João Alberto apontou que faltavam provas suficientes para a admissibilidade da representação.

O recurso contra a decisão do senador maranhense foi assinado pelos senadores titulares João Capiberibe (PSB-AP), José Pimentel (PT-CE), Pedro Chaves (PSC-MS), Lasier Martins (PSD-RS) e Antônio Carlos Valadares (PSB/SE).

O presidente do Conselho de Ética informou que irá cumprir o regimento e convocar reunião do colegiado com 48h de antecedência para a votação do recurso da Rede.

Caso o plenário do Conselho decida pela reprovação do recurso, a representação é arquivada em definitivo no Conselho de Ética.

Caso o plenário do Conselho aprove o recurso, a representação contra o senador Aécio Neves é admitida automaticamente e o presidente deverá notificar o representado para apresentar defesa prévia no prazo de 10 dias úteis.

Comunidade do Cohatrac representa ao MP contra bloco de pré-Carnaval apoiado por Astro de Ogum

 

Anúncio do evento destaca apoio do vereador Astro de Ogum

Um grupo de moradores do Residencial Primavera, conjunto habitacional vizinho ao Cohatrac III, denunciou ao Ministério Público uma série de abusos cometidos aos domingos de pré-Carnaval, durante a programação do Blocão do Cohatrac, realizado na Avenida Norte-Sul. A festa tem o apoio do presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR).

Segundo moradores que solicitaram a intervenção do MP, integrantes do bloco costumam urinar na frente das casas e cometem atentado ao pudor, pois, em muitos casos, os indivíduos não conseguem ocultar suas partes íntimas, de acordo com a denúncia.

Também é comum foliões estacionarem seu carros de forma indevida sobre calçadas ou em frente as garagens das casas. O barulho excessivo é outra queixa de que se opõe ao bloco, motivo de perturbação do sossego público para muitos cidadãos e que no último domingo reuniu cerca de 20 mil pessoas, de acordo com os organizadores.

Acidentes

A combinação perigosa de álcool e direção é outra violação recorrente entre os participantes do bloco, segundo os moradores, e já teria causado alguns acidentes, dois deles com quebra de poste da rede elétrica e transtorno a milhares de pessoas, que tiveram o fornecimento de energia para suas casas interrompido por várias horas. Apesar de todas as infrações denunciadas, a brincadeira conta com licença e fiscalização da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT).

O blog tentou entrar em contato com a produção do evento, por meio de um número de telefone disponibilizado em rede social, mas não obteve resposta.

Eliziane Gama ingressa com nova representação contra Eduardo Cunha

eliziane gama congressoA deputada federal Eliziane Gama (Rede) criticou na tarde de ontem, as ações e medidas protelatórias dos aliados de Eduardo Cunha (PMDB) para atrasar os trabalhos do Conselho de Ética no processo contra ele.

 “É inaceitável esta ação protelatória desta ‘tropa de choque’ favorável ao deputado Eduardo Cunha aqui no Conselho de Ética com o objetivo de evitar a cassação do presidente da Câmara. Uma demonstração clara de que ele não pode continuar na direção desta Casa, pois o conselho precisa ter autonomia”, enfatizou.

 Para a deputada maranhense, a utilização do cargo de presidente para benefício próprio ficou ainda mais evidente após a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados substituir o relator do processo contra Cunha.

 Ela informou que apresentará aditamento na representação que entregou no último dia 25 de novembro na Procuradoria Geral da República acrescentando mais este fato.

“Amanhã [hoje] vamos apresentar um aditamento na representação que encaminhamos à Procuradoria Geral da República quando pedimos o afastamento imediato do presidente”, esclareceu.

Flávio Dino é representado pelo MPE

Flávio Dino é representado pelo MPE

Flávio Dino é representado pelo MPE

Ministério Público Eleitoral representou hoje o pré-candidato ao Governo do Estado Flávio Dino, por propaganda eleitoral antecipada.

O MPE usou como base um vídeo publicado neste e em outros blogs,  em que ele aparece pedindo votos e se declarando “servo do Senhor”, em um evento em São Luís.

Para o procurador eleitoral Juracy Guimarães Júnior, Dino cometeu crime eleitoral, ao pedir votos durante o evento, fora do prazo legal para isso.

A princípio, todos pensavam, inclusive o titular da página, que o vídeo era da campanha de 2010, em algum evento no interior do estado. Na verdade, o vídeo foi gravado no dia 29 de maio, no Rio Poty Hotel, em São Luís.

Por conta da publicação do vídeo no blog [reveja aqui], Flávio Dino entrou com ação na Justiça Eleitoral, pedindo a retirada imediata do post. Não conseguiu. Teve liminar negada pelo desembargador Raimundo Barros.

Agora, no entanto, ele terá de explicar porque pediu votos fora do prazo legal determinado pela Justiça Eleitoral…

editado às 14h54

Flávio Dino: muito a explicar ao MP

Flávio Dino kitsFotos distribuídas pela própria Secretaria Municipal de Comunicação da Prefeitura de São Luís comprovam que o presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), fez a entrega de material esportivo a crianças carentes matriculadas em 60 escolinhas de futebol da capital, no último sábado de agosto, no Estádio Nhozinho Santos. As imagens constam na representação dos deputados Roberto Costa (PMDB) e Alexandre Almeida (PSD) na Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão contra o comunista.

Flávio Dino participava do evento da Prefeitura, como convidado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), assim como secretários municipais e aliados políticos do gestor. Mas só o comunista teve direito a ser clicado em todas as fotos do evento – inclusive entregando material ás crianças.

Segundo Roberto Costa e Alexandre Almeida, o comunista fez uso da máquina pública para promoção pessoal e se beneficiou de abuso de poder político, ao entregar os kits e ser destacado pelo próprio cerimonial da Prefeitura, como a principal figura do evento – além de a Secom distribuir somente fotos em que o pré-candidato aparece.

Além de entregar o material esportivo, Dino ainda carregou nos ombros uma criança, ato que chegou a ser reprovado por aliados após o evento.

“A distribuição do material esportivo é até louvável, o crime está no uso eleitoreiro da reunião de beneficiários de uma ação paga com dinheiro público. A presença ali do presidente da Embratur, Flávio Dino, que nada tem a ver com a Prefeitura, é uso indevido da máquina pública em favor de uma candidatura explícita”, assegurou Roberto Costa.

Flávio terá muito o que explicar ao Ministério Público Eleitoral.