Edilázio afirma que Dino cometeu crime de responsabilidade

O deputado estadual Edilázio Júnior (PSD), autor do pedido de impeachment contra o governador Flávio Dino (PCdoB), protocolado na semana passada na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, afirmou que a peça aponta crime de responsabilidade cometido pelo chefe do Executivo.

Ele pediu celeridade no encaminhamento do pedido aos órgãos técnicos da Casa, a fim de que sejam considerados todos os requisitos de admissibilidade e abriu espaços para que outros colegas, se assim desejarem, subscrevam o pedido.

“Em conversa com um decano na advocacia do Estado do Maranhão, dr. Pedro Leonel Pinto de Carvalho, mostrei todas as notícias que haviam sido dadas pelos meios de comunicação, blogs, jornais e quando ele olhou ele ficou pasmo, com essa situação, com essa limitação de ir e vir, desse monitoramento que a oposição vem sofrendo no estado. Ele fez uma peça muito bem fundamentada, uma peça muito rica, processualmente falando e que foi protocolada por mim aqui na última quinta-feira”, disse.

De acordo com Edilázio, o crime de responsabilidade está caracterizado no caso – do monitoramento da Polícia Militar a adversários do comunista -, sob aquilo que determina a Lei do Senado 1.090, de 1950.

“A lei é bem clara quando diz no seu artigo 7º, com relação aos crimes de responsabilidade, que servir-se da autoridade – no caso o governador -, com os seus subordinados, e usar dessa subordinação para praticar o abuso de poder, e no caso foi isso que o governador fez quando deixou haver uma interferência da Polícia Militar, o crime está caracterizado”, explicou.

Ele ainda citou o depoimento de oficiais e a falta de transparência da PM na condução da sindicância – que até o momento não teve o resultado publicado -, fortalecem o pedido de impeachment.

“Fica aqui o meu apelo para que [o pedido] possa tramitar pela parte técnica da Casa o quanto antes e que possamos colocar em votação e, assim, saber o que cada parlamentar acha de o governador autorizar a Polícia Militar a investigar, fichar e perseguir aqueles que não rezam a sua cartilha”, finalizou.

Saiba Mais

O pedido de impeachment de Edilázio aponta ato de improbidade administrativa de Flávio Dino e crime de responsabilidade, no episódio que ganhou repercussão nacional e ficou conhecido como “espionagem da Polícia Militar” a adversários políticos do chefe do Executivo. Ele tomou como base ofícios da PM que ordenavam o monitoramento da oposição. A Circular n° 098/2018 determinava o fichamento de lideranças de oposição que pudessem provocar “embaraços” no pleito eleitoral de outubro.

OUTRO LADO

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (DEM), repudiou o pedido de impeachment e classificou o ato como uma manobra de “desespero” por parte da oposição. De acordo com Cafeteira, o pedido não dispõe de qualquer fundamento jurídico.

Governo recua e inclui artistas maranhenses no São João 2018

Acabou com importante resultado a pressão de artistas maranhenses e a bancada de oposição na Assembleia Legislativa, imposta ao governador Flávio Dino (PCdoB).

A cobrança era para que a programação do São João 2018 valoriza-se artistas locais, e não apenas nacionais, como Agnaldo Timóteo, contratado para as festividades.

Na tarde de ontem o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (DEM) admitiu o recuo.

Ele informou que o Governo decidiu incluir cantores e compositores locais e revelou uma reunião marcada para hoje entre o secretário de Cultura, Diego Galdino com representantes de Danças Portuguesas – também para a participação nas festividades -.

“Beto Pereira, Mano Borges, César Nascimento… todos confirmados no nosso São João. Amanhã o Sec Diego Galdino terá reunião com os grupos da Dança Portuguesa e, dessa forma, as atrações estarão todas confirmadas”, informou.

O imbróglio sobre a programação das festas juninas começou quando artistas maranhenses renomados protestaram por estarem de fora. Ao mesmo tempo, se descobriu que dentre os contratados estava Agnaldo Timóteo, cantor de bolero.

Inicialmente, Timóteo estava escalado para apresentar-se no Arraial do Ipem. Mas, diante da pressão, o governo acabou modificando a agenda do artista, e colocando-o na programação do Arraial dos Aposentados, na Casa das Dunas.

Leia também: “São João 2018: Edilázio repudia desvalorização aos artistas locais”

Corpo de Epitácio Cafeteira é sepultado no Cemitério do Gavião em São Luís

Foi sepultado na manhã de hoje, no Cemitério do Gavião, em São Luís, o corpo do ex-governador do Maranhão Epitácio Cafeteira (PTB). O corpo havia desembarcado na tarde de ontem na capital, transladado de Brasília, onde o líder político morreu no último domingo, aos 93 anos de idade, em virtude de seu estado delicado de saúde.

O corpo de uma das maiores lideranças da história política do estado foi levado ao cemitério num carro do Corpo de Bombeiros com as honras de um ex-chefe de Executivo.

Cortejo foi feito por familiares, amigos, ex-secretários da gestão Cafeteira, admiradores, eleitores e políticos do estado – da Assembleia Legislativa -, onde estava ocorrendo o velório, até o local do sepultamento, no bairro da Madre Deus.

Viúva de Cafeteira, Isabel lamentou a perda. Bastante comovida e amparada por familiares, ela agradeceu o carinho e a solidariedade no momento de dor.

“Eu tenho certeza que ele está em paz e a gente também fica em paz de poder ter trazido ele para cá [São Luís]”, disse.

Sobrinho do ex-governador, o deputado Rogério Cafeteira (DEM) agradeceu aos profissionais da imprensa e aos amigos que se solidarizaram à família.

“Eu queria só agradecer a atenção de vocês e o carinho de todos que de ontem para cá estiveram conosco e mais uma vez repito: com certeza se o governador Cafeteira pudesse deixar uma mensagem era de agradecimento ao povo do Maranhão pelo carinho e pela confiança que sempre depositaram nele. Mais uma vez obrigado a todos pela atenção e pelo carinho”, finalizou.

Cafeteira foi governador, senador e prefeito de São Luís

O ex-governador Epitácio Cafeteira (PTB) consolidou-se na política maranhense na década de 1960 com uma das principais lideranças do estado. Natural da Paraíba, ele exerceu o primeiro mandato entre os anos de 1965 e 1969 na Prefeitura de São Luís.

De 1975 a 1987 exerceu mandato de deputado federal. Foi senador da República entre os anos de 1991 e 1999 e depois de 2007 a 2014.

Sua eleição como governador, em 1986, foi uma das mais tranquilas na história do Maranhão: apoiado pelo então presidente da República José Sarney (MDB), ele obteve 81,03% dos votos, contra apenas 16,52% de João Castelo, então no PDS.

Em 2006, também ao lado de Sarney – como companheiro de chapa da ex-governadora Roseana -, voltou a derrotar Castelo, na disputa pelo Senado.

Essa eleição, por sinal, marcou o definitivo estreitamento dos laços entre o ex-senador e o ex-presidente da República.

Cafeteira era contabilista e bancário, tendo sido funcionário do Banco do Brasil.

Foi dele, à frente do executivo Estadual, a obra de revitalização da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís. O chamado “Projeto Reviver” alicerçou o processo que levou a capital do Maranhão, anos mais tarde, a ser reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Apreensão de veículos: O constrangimento de Rogério Cafeteira

Deputado Wellington, Ex.ª hoje, infelizmente, tem levantado uma bandeira que pode ser até simpática para alguns, mas não cabe, sinceramente, deputado, a um parlamentar. V. Ex.ª hoje incentiva a que não se pague impostos no Maranhão“, Rogério Cafeteira, líder do Governo na Assembleia Legislativa, no dia 9 de abril de 2018.

O líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa, deputado estadual Rogério Cafeteira (DEM), é sem dúvida o parlamentar da base governista que saiu mais constrangido com o recuo do governador Flávio Dino (PCdoB) em relação a decisão reduzir drasticamente a apreensão de veículos com atraso no licenciamento no Maranhão.

Antes defensor árduo das ações ostensivas da BPRv e com discussões ásperas na tribuna do Legislativo com deputados contrários às apreensões, a exemplo de Wellington do Curso (PSDB), coube a Cafeteira a missão de apresentar aos colegas o Decreto que disciplina este tipo de ação no Maranhão e que substitui as apreensões de veículos por medidas educativas, exatamente aqueles defendidas pela oposição e que ele rebatia.

Cafeteira utilizava o discurso de que a oposição era contrária a blitze de lei seca [o que não é verdade], quando admitia, ao mesmo tempo, que a defesa da oposição pelo não recolhimento de veículos era um “incentivo à sonegação de impostos“.

Se não, vejamos um trecho do que disse Cafeteira na sessão do dia 9 de abril deste ano, há exatos 30 dias -, na tribuna da Assembleia Legislativa.

Deputado Wellington, por incrível que pareça, V. Ex.ª não faz parte, mas V. Ex.ª era principal personagem de um grupo, Deputado Carlinhos Florêncio, que se comunica quando tem blitz de combate ao álcool da Lei Seca, que V. Ex.ª hoje, infelizmente, tem levantado uma bandeira, que pode ser até simpática para alguns, mas não cabe, sinceramente, deputado, a um parlamentar. V. Ex.ª hoje incentiva a que não se pague impostos no Maranhão. Eu, daqui a pouco, temo que V. Ex.ª… V. Ex.ª hoje tem feito uma apologia à sonegação em todos só sentidos. Eu, daqui a pouco, temo que V. Ex.ª chegue aqui e defenda um médico que dá o preço de uma consulta ou de uma cirurgia com recibo ou sem recibo. De um dentista que faça um tratamento em seu dente com recibo ou sem recibo com preços diferentes. Deputado, eu vejo que V. Ex.ª insiste em uma questão… em legislar sobre uma questão que eu de novo reitero aqui, nós, V. Ex.ª não tem competência para legislar. É competência da União. É competência federal a legislação sobre trânsito”, disse Cafeteira, no tempo da liderança do partido.

Agora, depois do recuo de Flávio Dino a 5 meses das eleições, diante do forte desgaste a imagem do comunista, Cafeteira foi obrigado a mudar de posicionamento. Trata a nova postura [de não mais recolher veículos mediante o não pagamento de licenciamento e do IPVA] como medida como educativa, só não consegue explicar porque o Governo não adotou essas mesmas medidas desde 2015, quando deu início à atual gestão.  

Cafeteira garante ida de Felipe Camarão à Assembleia Legislativa

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSB), assegurou disposição do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, em prestar esclarecimentos aos deputados.

Na sessão de ontem, dois requerimentos de autoria do deputado Wellington do Curso (PP) foram indeferidos pela Mesa Diretora. Os requerimentos solicitavam informações a respeito de obras de reforma e construção de escolas em todo o estado.

“Talvez tenha acontecido algum ruído na comunicação. O próprio secretário Felipe Camarão pediu que o requerimento nem fosse votado, para que ele pudesse ir pessoalmente responder aos questionamentos. Ele já garantiu que irá a Assembleia Legislativa, vamos só agendar uma data”, afirmou Cafeteira.

Resta aguardar o cumprimento da promessa…

Líder do Governo diz não ter sido procurado por Edivaldo Holanda

“Estou afastado das atividades em decorrência de uma cirurgia a que me submeti, por isso não estou podendo ir lá [na Assembleia]. Eu fiquei sabendo no momento em que aconteceu, mas o deputado Edivaldo não me procurou para tratar do assunto, talvez até porque ele também está em recuperação [de saúde] achou por bem não falar. Mas, da minha parte eu não tinha conhecimento”.

Rogério Cafeteira (PSB), líder do Governo na Assembleia Legislativa, sobre a decisão do deputado estadual Edivaldo Holanda Braga (PTC) de deixar a base do Poder Executivo no Legislativo Estadual.

Leia mais sobre o tema: Edivaldo Holanda deixa o Blocão na Assembleia Legislativa

Cafeteira repreende Jerry, mas justifica insultos de comunista

Rogério Cafeteira é líder de Flávio na AL

Rogério Cafeteira é líder de Flávio na AL

O deputado estadual e líder do Governo na Assembleia Legislativa, Rogério Cafeteira (PSC), tentou hoje, mas sem muita consistência, repreender o secretário de Estado de Assuntos Políticos, Marcio Jerry (PCdoB), após o comunista ter insultados deputados de oposição, por meio de seu perfil, em rede social.

O que Cafeteira fez, na verdade, foi tão somente justificar as agressões verbais de Jerry, ao comparar a postura do comunista com a de oposicionistas ao governador Flávio Dino (PCdoB).

“Sobre o respeito com os deputados, deputada Andrea, aqui concordo com vossa excelência, pois o secretário Márcio Jerry não foi feliz na sua posição”, disse e completou.

“Acho que a gente também tem que fazer mea-culpa, já que a oposição diversas vezes desrespeita membros do governo Flávio Dino, principalmente o governador e o próprio Márcio Jerry. Já disseram que o governador fazia o papel de “cachorrinho” para o secretário Márcio Jerry. Chego às redes sociais e vejo a deputada Andrea, de forma maldosa, chamar o governador e o secretário de ‘casal’, chamar o Márcio Jerry de “primeiro-damo”, então precisamos também rever nossas críticas aos membros do governo Flávio Dino”.

Conclusão disso tudo: é muito baixo nível nessa política maranhense…

Sousa Neto enquadra Cafeteira

Deputado estadual Sousa Neto

Deputado estadual Sousa Neto

O deputado estadual Sousa Neto (PTN) definitivamente enquadrou o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSC).

Cafeteira havia novamente atacado a deputada Andrea Murad (PMDB) após a parlamentar levantar denúncias contra o Executivo na Casa, o que provocou reação da bancada oposicionista.

Cafeteira “recomendou” à Andrea, a inclusão de óleo de peroba para uso como um dos ‘utensílios de beleza’, o que repercutiu negativamente na Casa.

Rogério Cafeteira é líder de Flávio na AL

Rogério Cafeteira é líder de Flávio na AL

“Eu havia me inscrito para falar de um assunto importante, que é o aniversário da cidade de Santa Inês, mas não poderia deixar de falar ao líder do governo, Rogério Cafeteira, que tem utilizado um linguajar chulo e com uma postura que não acredito ser digna para se referir a membros da oposição”, repreendeu Sousa Neto.

Sousa recomendou a Cafeteira que ao invés de atacar pessoalmente qualquer que seja o parlamentar, faça a defesa do Governo com dados e documentos oficiais.

“Vossa excelência tem de chegar aqui na tribuna deputado é com dados concretos. Esse linguajar não pode ser utilizado aqui dentro do parlamento e eu me sinto incomodado com esse jeito que vossa excelência trata os colegas. Acredito que tem de ser mais cordial, porque esse tipo de tratamento não cabe nesta Casa”, completou.

Cafeteira, que não teve direito ao aparte, recuou…

Manhoso… Rogério Cafeteira será o líder do Governo na Assembleia Legislativa

Rogério Cafeteira será líder de Flávio na AL

Rogério Cafeteira será líder de Flávio na AL

O deputado estadual Rogério Cafeteira (PSC) está confirmado como o líder do Governo na Assembleia Legislativa.

Cafeteira integrou a base do governo Roseana Sarney (PSC) na Casa e foi eleito pela coligação do senador Lobão Filho (PMDB).

Estrategicamente escolhido, Cafeteira integrará um bloco parlamentar, na Casa, que contará com partidos de oposição, como o PV, por exemplo.

Como líder do Governo, no entanto, a sua função será neutralizar justamente a oposição e assim facilitar – politicamente -, a atuação do Governo Flávio Dino (PCdoB) na Casa.

É isso aí…