Engajamento

São cada vez mais claros os sinais de engajamento político – com forte vinculação ao comunismo – do promotor de Justiça da Ordem Tributária, Paulo Roberto Barbosa Ramos. Desde o início de sua atuação no caso Sefaz, com fortes suspeitas de montagem na Secretaria de Transparência do governo Flávio Dino (PCdoB), Barbosa Ramos deu sinais de que empreenderia uma cruzada política contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

Em março, ele conseguiu, na Justiça de 1º Grau, uma decisão de bloqueio dos bens da ex-governadora, decisão desfeita pelo desembargador Froz Sobrinho. A violência com que Barbosa Ramos partiu para cima do desembargador revelou ainda mais indícios de seu vínculo com o governo comunista.

“Muito estranho que um desembargador nomeado com a anuência da ré durante um dos seus governos tenha tomado esse tipo de medida. Por que decidiu dessa maneira tão rápida? É de se desconfiar de qualquer amparo jurídico para essa decisão”, disse o promotor, em um blog alinhado ao Palácio dos Leões.

Ontem, porém, o promotor engajado ouviu o que não queria. Durante a sessão do Tribunal de Justiça, o presidente da Corte, desembargador Cleones Cunha, saiu em desagravo de Froz Sobrinho, atitude que contou com apoio da Associação dos Magistrados e dos desembargadores presentes ao Pleno.

“O Tribunal não pode entender que um membro do Ministério Público se posicione daquela forma, colocando a honra e a integridade moral na imprensa, sem apresentar provas. E quando houver qualquer suspeita, a denúncia deve ser feita formalmente e não irresponsavelmente, da forma como foi feito”, disse Cunha.

É bom lembrar que, dias antes de assumir a promotoria de onde emitiu as ações contra Roseana, Barbosa Ramos esteve no Palácio dos Leões, em agradecimento ao apoio de Flávio Dino a um projeto de uma irmã sua. Depois disso, os sinais de seu engajamento comunista parecem cada vez mais efusivos.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Perfil de Marcio Jerry na Secap o coloca como ex-membro do governo Roseana

O perfil técnico do secretário de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos, Marcio Jerry (PCdoB), publicado na página oficial do Governo do Estado, na subseção da Secap, o coloca como ex-membro do governo Roseana Sarney (PCdoB).

Na página, como mostra a imagem, Jerry é apresentado como jornalista e ex-professor da Universidade Estadual do Maranhão (UFMA).

Também destaca atuação profissional do comunista como assessor de ONGs e entidades sindicais e ex-membro do primeiro escalão de gestões municipais em Imperatriz e em São Luís.

No último parágrafo, contudo, o equívoco, com a informação de que ele atuou como secretário de Estado em 2014, último ano da gestão Roseana Sarney.

“Sua função pública mais recente foi o comando da Secretaria de Estado de Articulação Política do Governo do Maranhão (2014) […]”, destaca o texto.

Expressão de desejo?

Ele já fez o mais difícil…

Imagem da campanha de 2014 no município Senador Alexandre Costa 

Marco D’Eça – O suplente de senador Lobão Filho (PMDB) teve uma das missões mais difíceis da história política do Maranhão nas eleições de 2014.

Em condições absolutamente adversas ele encarou uma disputa com o então favoritíssimo candidato a governador Flávio Dino (PCdoB).

À época, Edinho estava em pleno hospital, convalescendo de cirurgia;

À época, Edinho não tinha sequer jingle, material ou estrutura de campanha para se candidatar.

Sem falar que, à época, o peemedebista jamais tinha disputado uma eleição diretamente.

Mesmo assim, ele aceitou o desafio do seu grupo, que jazia em rumo e desestimulado, diante da força política demonstrada pelo adversário.

E foi nestas condições – repita-se: absolutamente adversas – que Edinho Lobão foi para a disputa.

Praticamente sem chances, ele conseguiu, mesmo assim, entusiasmar os que se aproximaram dele; e levou a campanha no peito e na raça até às vésperas da eleição.

Saiu do pleito com votação de quase 35% e mais de 1 milhão de votos.

Lobão Filho já fez o mais difícil, portanto.

Por tudo isso, diante da claudicância da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e da falta de outras lideranças com peso político no seu grupo, há se perguntar:

Por que não, de novo, em 2018?!?

Roseana comemora evolução do IDH no Maranhão

roseana-sarneyA ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) comemorou os dados da nova atualização do Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil.

O levantamento mostra que o Maranhão subiu duas posições no Ranking do IDHM em 2014, último da gestão peemedebista.

De acordo com a ex-governadora, a elevação do índice no Maranhão foi possível em razão dos esforços em melhorar a qualidade de vida da população maranhense.

“Esses dados só reforçam o compromisso que tivemos ao logo do meu mandato para melhorar a vida das pessoas. Os avanços registrados no IDH são, na grande maioria das vezes, mais lentos do que os resultados que conseguimos levar de imediato em diversos setores, como é exemplo da saúde, onde, em curtíssimo prazo, o meu governo fez o maior programa de melhoria no atendimento já realizado em todo o Maranhão”, destacou.

Ela afirmou também os números representam um reflexo das ações que foram desenvolvidas pelo governo.

“Fico muito feliz por hoje ver, nesses novos números, que valeu a pena todo o esforço que fizemos. Construímos, geramos emprego e renda, atraímos dezenas de empresas e capacitamos cerca de 500 mil pessoas no programa Maranhão Profissional. É incontestável! Demos oportunidade de verdade, e é disso que o Maranhão precisa”, frisou.

Maranhão sobe duas posições no ranking do IDH

roseana-sarney

Gilberto Léda

No dia em que Flávio Dino (PCdoB) recebe, como chefe do Governo do Maranhão, o Selo Unicef por avanços da gestão Roseana Sarney (PMDB) para o público infantil, mais um dado oficial aponta melhora dos indicadores sociais do estado na gestão peemedebista.

Segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil – que apresenta informações detalhadas sobre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de estados e municípios -, o Maranhão subiu duas posições no ranking de 2014, na comparação com o mesmo levantamento de 2013, quando era penúltimo entre todas as unidades da federação. (agora ultrapassou o Pará e empatou com o Piauí, dois que estavam à sua frente um ano antes).

O relatório foi divulgado no final do mês de novembro e pode ser acessado aqui.

O IDH Municipal (IDHM) do Maranhão no último ano do governo Roseana Sarney foi de 0,678 – contra 0,665 em 2013; 0,650 em 2012; e 0,649 em 2011.

Saúde – Segundo o presidente do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), Felipe de Holanda, a “ampliação da cobertura dos serviços de Saúde” foi a maior responsável pela melhora do índice, já que é o ponto que mais impacta no chamado IDH-Longevidade, o componente de maior alta no índice do Maranhão.

“O principal componente que explicou o avanço do MA no ranking do IDHM foi a dimensão longevidade, fruto de uma ampliação da cobertura dos serviços de saúde no Estado”, afirmou.

Ele destacou, ainda, que “a dimensão renda”, em menor escala, também contribuiu para o avanço dos números.

“O segundo componente que mostrou avanço foi a dimensão renda, embora com uma contribuição menor. É importante observar que há diferenças metodológicas na forma de calcular esses indicadores, já que não se utilizam dados censitários e sim estimativas com base em dados amostrais”, completou.

Unicef aponta avanços na gestão Roseana Sarney

Entidade entregará Selo Unicef ao Governo do Estado em reconhecimento aos avanços de Roseana Sarney; Flávio Dino receberá premiação no Palácio dos Leões

roseana-sarneyRelatório divulgado ontem pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) confirmou avanços para o público infantil no Maranhão durante a gestão da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB). Os dados foram abordados na edição de hoje de O Estado.

No documento, destaque para queda na taxa de mortalidade infantil em 7% entre os anos de 2011 e 2014 e avanço no acesso ao pré-natal em 32,7%, no mesmo período, em todo o estado.

A média de acesso ao pré-natal é bem superior à registrada para o país, que fixou fixada em apenas 5,4%.

Outro dado interessante apontado pelo Unicef na gestão Roseana Sarney, diz respeito à proporção de nascidos vivos de gestantes com sete meses ou mais. Passou de 28,1% para 37,3%.

O Fundo das Nações Unidades também apontou como fato positivo, o aumento no percentual de bebês de até um ano de idade registrado no território estadual, de 4%, enquanto no resto do país o crescimento médio foi de 1%.

Outro avanço reconhecido pelo Unicef na gestão de Roseana diz respeito à educação.

De acordo com o relatório, a distorção da idade-série entre os municípios inscritos no estado caiu em 9,2%, enquanto que no país a queda foi de 7,9%.

Governo receberá Selo Unicef em reconhecimento à gestão de Roseana Sarney

Os avanços na saúde e educação infantis apontados pelo Unicef na gestão de Roseana Sarney serão reconhecidos por meio de uma premiação intitulada Selo Unicef, entregue ao governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões.

O evento contará com a presença do representante do Unicef no Brasil, Gary Stahl; da coordenadora do escritório do Unicef em São Luís, Eliana Almeida, além de integrantes da sociedade civil.

Resta saber se o governador Flávio Dino reconhecerá publicamente, depois da premiação, o avanço registrado no estado na gestão de sua adversária política…

Flávio Dino e a “Saúde de Verdade”

flavio-dino-serioO governador Flávio Dino (PCdoB) resolveu tentar amenizar o desgaste da última semana em relação ao setor da Saúde no seu Governo – com a denúncia levantada na Assembleia Legislativa da existência de cerca de 8 mil funcionários de hospitais e UPAs do Estado  com trabalho sem carteira assinada e, portanto, com direitos trabalhistas usurpados -, e escreveu o artigo: Saúde de Verdade, publicado na edição de domingo do Jornal Pequeno.

O texto é um emaranhado de informações que acabam, na verdade, confundindo o cidadão.

Flávio Dino afirma logo na primeira frase que a atual gestão está fazendo o “maior investimento em Saúde da história do Maranhão”.

Ele não só tenta ignorar o Programa Saúde é Vida, da ex-governadora Roseana Sarney, como desqualificar a gestão de seus adversários políticos.

Mas, é justamente aí que acaba jogando contra si mesmo.

Senão, vejamos.

O governador afirma que o Governo abriu as portas das UPAs [quando estiveram fechadas?] e diz que hoje há uma rede de hospitais macrorregionais funcionando. A rede foi idealizada por Roseana Sarney e executada pelo ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, que adversários tanto tentam criminalizar.

Dino também cita que obras de hospitais foram concluídas em Pinheiro, Caxias, Imperatriz, Santa Inês e Bacabal.

Detalhe: todos os hospitais foram deixados pela ex-governadora Roseana Sarney com mais de 90% das obras concluídas. Os equipamentos foram também adquiridos e deixados pela gestão que antecedeu o comunista.

As UPAs, das quais se referiu Flávio Dino, também foram construídas pela peemedebista e funcionavam há 3 anos. Hoje estão sucateadas.

Dino também citou a Carreta da Mulher e o funcionamento de unidades móveis. Outro investimento deixado por Roseana e que o leitor pode facilmente encontrar com um simples clique no google.

E para não ficar só no “maior investimento em Saúde da história do Maranhão” – evidenciada por ele mesmo como uma herança da gestão anterior, queira admitir ou não -, Flávio Dino ainda toma para si a obra de reforma e ampliação do Hospital da Criança. A obra, contudo, é da Prefeitura de São Luís e recebeu apenas uma ajuda de custo do Governo do Estado. Nada que a torne do Executivo Estadual. A obra foi idealizada e é executada pelo município.

Eu hein…

Leia aqui o artigo de Flávio Dino

O temor dos dinistas

O pedido do procurador­-geral da República, Rodrigo Jannot, para que fosse arquivada a ação contra a ex-­governadora Roseana Sarney (PMDB) nas investigações da Lava Jato e a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acatá-­lo logo a seguir, deixou os adversários da peemedebista desnorteados.

Parte de sites, blogs e programas de rádio mantidos com patrocínio do governo estadual, simplesmente ficou sem ação. Preferiram não dá uma nota sobre o fato. Até esperaram uma manifestação dos porões do Palácio dos Leões, mas depois preferiram nem comentar a decisão do Supremo.

Outra parte preferiu fazer ilações tentando explicar os motivos que levaram ao pedido do procurador e a aceitação pelo STF. Além disso, buscam sempre cavar “fatos” para tentar confundir a opinião pública, passando a ideia de que mesmo sem ser investigada, Roseana ainda deveria ser criminalizada.

Essa parte que foi para o ataque à ex­-governadora é a que mais teme o fortalecimento político de Roseana, inclusive como a mais provável adversária de Flávio Dino (PCdoB) em 2018.

O fato é que a ex­-governadora não faz mais parte da lista de investigados da Lava Jato e de forma serena comemorou a decisão do STF em nota divulgada à imprensa.

“Eu acreditei que a justiça seria feita e, como afirmei, em todos os momentos, minha consciência estava tranquila, pois agi de forma correta e nunca fiz nada que pudesse desabonar a minha conduta como governadora do meu estado. A Justiça reconheceu a verdade, e é a verdade que sempre prevalecerá”, disse a ex­-governadora.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Lava Jato: STF arquiva inquérito contra Roseana Sarney

roseana tchauAgência Brasil – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki aceitou hoje (25) pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e arquivou o inquérito em que a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney e o senador Edison Lobão (PMDB-MA) são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção na Operação Lava Jato.

A investigação foi iniciada em março de 2015 para apurar declarações do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Em depoimento de delação premiada, Costa afirmou que a campanha eleitoral de Roseana em 2010 teria recebido R$ 2 milhões de propina, valor que teria sido solicitado por Edison Lobão e pago pelo doleiro Alberto Youssef.

Após o pedido de arquivamento, o advogado de Roseana e de Lobão, Antônio Carlos de Almeida Castro, comemorou o parecer da PGR e disse que, desde o começo das investigações, a ex-governadora sempre se colocou à disposição para prestar esclarecimentos.

“Esse arquivamento, embora tardio, resgata, nesse ponto de vista, a verdade. Para Roseana, que ficou sendo investigada desnecessariamente, é uma vitória. Este era o único inquérito em que Roseana era investigada. Embora a demora nas investigações tenha causado um enorme prejuízo pessoal e político, para Roseana a Lava Jato é uma página do passado”, disse o advogado.

O julgamento político e oportunista no Maranhão

Roseana coletivaDesde quando foi citada em delação premiada por Paulo Roberto Costa e incluída no inquérito da Polícia Federal no bojo da Operação Lava Jato, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) passou a enfrentar grande desgaste político e moral.

No Maranhão, os seus adversários trataram de antecipar as investigações e julgaram, também antecipadamente, a peemedebista. O objetivo era apenas um: destruir a imagem da ex-governadora.

Dois anos depois, a própria PF sugeriu o arquivamento do inquérito. Ontem foi o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quem formalizou o pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Teori Zvascki deve arquivar o inquérito nas próximas horas.

Roseana havia sido acusada de ter pago propina no esquema da Lava Jato. Classificada por adversários de criminosa, por isso. As acusações eram comuns nos embates promovidos por governistas na Assembleia Legislativa. Numa outra ação, desta vez investigada pela Polícia Civil, no estado, e que buscava também colocacá-la no banco dos réus, o governador Flávio Dino (PCdoB) chegou a inonizar, em tom de ameaça, a reação da peemedebista. Na ocasião Roseana acusou o comunista de perseguição política.

A entrevista de Dino foi dada a O Estado de São Paulo [reveja aqui]. “O que queriam: Que a polícia e a Justiça do Maranhão jogassem o inquérito de 2014 numa gaveta profunda? Ou no Oceano Atlântico?”, ironizou o governador.

Roseana é agora alvo do fatídico e já desmoralizado Caso Sefaz, no qual o procurador-geral de Justiça apontou para uma força-tarefa com a participação até de magistrados nas investigações. Associações de procuradores do Estado e Nacional, promotores de Justiça, magistrados, deputados e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) criticaram as ações midiáticas no caso. Reveja aqui, aqui e aqui.

Adversários de Rosena concentram-se agora na pauta e sugerem até a prisão da peemedebista. Tudo para eliminá-la da disputa política e eleitoral de 2018.

Ou seja, mais um julgamento político antecipado e oportunista.

E as farsas vão sendo desmontadas uma a uma…