Governo recua e inclui artistas maranhenses no São João 2018

Acabou com importante resultado a pressão de artistas maranhenses e a bancada de oposição na Assembleia Legislativa, imposta ao governador Flávio Dino (PCdoB).

A cobrança era para que a programação do São João 2018 valoriza-se artistas locais, e não apenas nacionais, como Agnaldo Timóteo, contratado para as festividades.

Na tarde de ontem o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (DEM) admitiu o recuo.

Ele informou que o Governo decidiu incluir cantores e compositores locais e revelou uma reunião marcada para hoje entre o secretário de Cultura, Diego Galdino com representantes de Danças Portuguesas – também para a participação nas festividades -.

“Beto Pereira, Mano Borges, César Nascimento… todos confirmados no nosso São João. Amanhã o Sec Diego Galdino terá reunião com os grupos da Dança Portuguesa e, dessa forma, as atrações estarão todas confirmadas”, informou.

O imbróglio sobre a programação das festas juninas começou quando artistas maranhenses renomados protestaram por estarem de fora. Ao mesmo tempo, se descobriu que dentre os contratados estava Agnaldo Timóteo, cantor de bolero.

Inicialmente, Timóteo estava escalado para apresentar-se no Arraial do Ipem. Mas, diante da pressão, o governo acabou modificando a agenda do artista, e colocando-o na programação do Arraial dos Aposentados, na Casa das Dunas.

Leia também: “São João 2018: Edilázio repudia desvalorização aos artistas locais”

São João 2018: Edilázio repudia desvalorização aos artistas locais

O deputado estadual Edilázio Júnior, pré-candidato a deputado federal pelo PSD, repudiou hoje, na Assembleia Legislativa, a falta de apoio do Governo do Maranhão à cultura e aos artistas locais.

Na elaboração da programação para o São João 2018, o Governo deixou de fora artistas maranhenses consagrados como Betto Pereira e contratou por cerca de R$ 250 mil, Agnaldo Timóteo. Pereira chegou a protestar em seu perfil em rede social, e recebeu gestos de solidariedade de outros músicos como Carlinhos Veloz e Mano Borges.

“Senhor Presidente, eu já falei algumas vezes aqui nesta tribuna que é isso que dá nós termos um governador que não sabe diferenciar a matraca de um maracá. E aí chega o período junino e o que nós estamos vendo aqui é essa tristeza com as brincadeiras locais, com os artistas locais. E o governador trazendo para cá Agnaldo Timóteo por R$ 250 mil”, iniciou.

Edilázio lamentou o desprestígio aos artistas locais e lembrou que o Governo tem adotado a mesma postura desde o início do mandato, em 2015. Ele também lançou um desafio a produtores culturais que atuam no estado: “Quero saber qual produtor contrataria Agnaldo Timóteo, para um show privado, por R$ 250 mil. Isso é brincar com o dinheiro público, é brincar com a nossa cultura e é brincar com os maranhenses. A Leci Brandão, que o único estado que ela ainda se apresenta, por coincidência, estado em que é governado por um comunista. E ela é deputada estadual pelo PCdoB em São Paulo, por duas vezes esteve aqui já no réveillon. Agora eu pergunto: Por que não vem para um show privado?”, completou.

Ele afirmou que a Secretaria de Cultura aparelhou as festas populares para beneficiar o PCdoB e disse que o resultado a desvalorização da cultura local.

“Quem sofre com isso, quem perde com isso são os maranhenses, são os nossos arraiais que perdem o brilho, que perdem a alegria, assim como vem sendo no carnaval e agora será no período junino, porque mais uma vez, repito, a culpa é de nós termos um governador que é avesso a cultura maranhense, que é avesso ao nosso folclore e que não sabe distinguir a matraca de um maracá”, finalizou.

“Pior São João da história do Maranhão”, diz Edilázio Júnior

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) criticou hoje, na Assembleia Legislativa, a organização do São João 2017 no Maranhão. Ele apontou enfraquecimento das festividades, a desvalorização do Governo do Maranhão às manifestações culturais e a falta de incentivo ao turismo.

Um dos pontos abordados pelo parlamentar, que citou recente pronunciamento do vereador Marcial Lima, diz respeito ao fechamento dos arraiais num horário mais cedo ao que tradicionalmente os brincantes estão acostumados. Por determinação da Secretaria Pública de Segurança, a Polícia Militar tem obrigado às administrações dos arraiais a encerrarem as atividades às 1h da madrugada.

“A Polícia Militar chegar por ordem de alguém nos arraiais, que já são poucos e com poucas brincadeiras, por volta de uma hora da manhã e encerra. Ora, nós, sabemos que as brincadeiras juninas corriqueiramente amanhecem o dia. Os batalhões de bumba boi sempre chegam tarde aos arraiais, e hoje os arraiais estão findando a uma hora da manhã, correndo o risco de não ter o Festejo de São Marçal, lá no João Paulo, por falta de incentivo do Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura”, disse.

Para Edilázio Júnior, o São João 2017 está menor e menos atrativo ao do ano passado, que segundo ele, já foi um dos piores da história do estado.

“Hoje o Governo e Prefeitura andam de mãos dadas, e nós temos o São João mais fraco da história do Maranhão. O Governo Flávio Dino consegue se superar. Em 2016, eu achei que nós tivemos o pior São João da história. Chega 2017, ele se supera, consegue ter um arraial mais fraco, um arraial pobre, sem incentivo às brincadeiras”, completou.

Ele falou da falta de pagamento da Prefeitura de São Luís às brincadeiras que se apresentaram no período junino do ano passado e cobrou do Governo e da Prefeitura de São Luís, incentivo às festas culturais.

“Graças a Deus nós maranhenses não temos nenhum brincante de bumba boi ou cantor de bumba boi de São Paulo filiado ao PCdoB, porque se não ele ia trazer para cá como fez assim no réveillon em nossa capital, trazendo sambista que está no ostracismo, mas é filiada ao PCdoB”, finalizou.

São João de ameaças…

Trabalhadores em situação análoga ao trabalho escravo na Lagoa

Trabalhadores em situação análoga ao trabalho escravo no arraial da Lagoa

Na semana passada provocou espanto e ao mesmo tempo certo descontentamento, a denúncia de que o Ministério Público do Trabalho resgatou trabalhadores em situação de escravidão na construção do Arraial da Lagoa, um dos ambientes polos utilizados pelo Governo do Estado para a sua programação da festa junina. O arraial se tornou nos últimos anos, um dos principais de São Luís e tem conseguido reunir anualmente, centenas de turistas.

Ontem, outra grave constatação do Ministério Público do Trabalho. Foram encontradas diversas irregularidades na construção do Arraial da Praça Maria Aragão, outro ponto tradicional da festa junina na capital. Este arraial é montado pela Prefeitura de São Luís.

Se dois dos maiores e principais arraiais da cidade – erguidos e mantidos pelos poderes Executivo Estadual e Municipal – estão nessa situação, imagina os demais, muitos construídos de forma clandestina e sem qualquer autorização do Corpo de Bombeiros para funcionamento, nos bairros periféricos da cidade.

São arraiais que não contam com a distribuição adequada das barracas – pois há um espaço mínimo entre elas que deve ser respeitado para que em caso de incêndios, o fogo não se alastre para as demais; com fiação exposta; sem extintores de incêndio e sem qualquer segurança para as pessoas que frequentam o espaço cultural.

E a ameaça é justamente para a população, para as famílias que vão aos arraiais e para as manifestações folclóricas, que utilizam os espaços como palco de apresentação de danças.

O Ministério Público do Trabalho está cumprindo o seu papel. Investigando, autuado e interditando espaços irregulares. O Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária também precisam mostrar resultados de suas inspeções nestes espaços. Assim como o Governo do Estado e Prefeitura de São Luís, que têm a obrigação de proporcionar uma festa bonita, mas ao mesmo tempo segura à população. E neste quesito, ambos tem falhado.

Arraial da Maria Aragão também temirregularidades

Arraial da Maria Aragão também foi flagrado pelo MPT com irregularidades

Prefeitura exclui metade das atrações inscritas para o São João 2013 em SL

 

Brincadeiras foram reduzidas pela metade

Apenas metade das brincadeiras inscritas deverão se apresentar

Do blog de Daniel Matos – Prefeitura de São Luís excluiu metade das brincadeiras inscritas para se apresentar nos arraiais da Praça Maria Aragão, da Cohab, novo terreiro junino montado pelo Município, e em outros arraiais patrocinados pelo governo municipal. Na última quarta-feira, a Fundação Municipal de Cultura (Func) divulgou a lista dos grupos selecionadas para se apresentar na programação, que será realizada de 13 a 30 de junho, diferente dos anos anteriores, quando se estendia por mais de um mês.

Das 435 atrações artísticas inscritas, nada menos que 210 foram excluídas, entre grupos de bumba-meu-boi, tambor de crioula, quadrilhas, dança portuguesa, cacuriá, shows e diversas outras manifestações folclóricas. A exclusão de quase metade das atrações que pleiteavam espaço na programação causou revolta em artistas, donos de brincadeiras e produtores culturais,  que vêm taxando o São João deste ano como o menos democrático de todos os tempos.

Além dos arraiais da Maria Aragão e da Cohab, os grupos selecionados, desta vez por meio de chamada pública, se apresentarão em eventos juninos comunitários apoiados pela administração municipal em mais de 50 bairros.

Comércio

A Func também impôs rígido controle à venda de bebidas, comidas típicas, sorvete e até pipoca, crepes, balões, maçã do amor, churros e bombons na Maria Aragão. Só não se sabe se haverá estrutura para conter o comércio informal clandestino, que costuma atuar livremente em eventos promovidos naquele espaço.

Ciente da insatisfação gerada pelo crivo imposto às brincadeiras, a Func deu prazo de 48 horas – de hoje até a próxima segunda-feira (3) – para que grupos excluídos do São João da prefeitura apresentem recurso contra a medida. A tendência é que haja uma enxurrada de contestações.

Abaixo, o número de grupos inscritos, dividido por tipo de manifestações:

Tambor de Crioula (37)

Cacuriá (25)

Dança Cigana (2)

Bumba-meu-boi (164)

Shows (55)

Dança do Boiadeiro (20)

Alternativo (14)

Dança do Coco (2)

Teatro (5)

Dança Portuguesa (55)

Dança do Caroço (2)

Dança do Lelê (1)

Forró Pé de Serra (24)

Quadrilha (29)

Total: 435

 

Antes mesmo do início do São João, Edivaldo já planeja o Carnaval 2014

 

Edivaldo Holanda Júnior quer investir em eventos culturais

Edivaldo Holanda Júnior quer investir em eventos culturais

Antes mesmo de ter iniciado as festas juninas 2013, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) já autorizou a sua equipe de governo a preparar o Carnaval 2014. É um passo importante, não podemos deixar de admitir. Com a preparação, Edivaldo tenta evitar o insucesso que foi o Carnaval deste ano, e quanto a isso também não resta dúvida.

A assessoria de comunicação da Prefeitura divulgou release, que revela um encontro entre membros do trade turístico, entidades representativas e agremiações carnavalescas, além da Associação Comercial e a Fundação de Cultura (Func), ontem.

Na pauta, a discussão a respeito do modelo de carnaval, descentralização da festa para os bairros e a organização dos desfiles na Passarela do Samba, que este ano não ocorreu por causa de um impasse entre o Município e as escolas de samba.

O presidente da Func, Francisco Gonçalves, justificou a realização do encontro. “Um evento com a envergadura do Carnaval que mobiliza toda a cidade e que, ao mesmo tempo, mobiliza negócios, não pode ser planejado na véspera. Temos que planejar com antecedência para que no segundo semestre já tenhamos um projeto consolidado”, afirmou.

Além de começar a discutir o novo modelo para a festa carnavalesca 2014, os participantes do encontro falaram a respeito do turismo e sobre a movimentação econômica no período. “O ano que vem tem uma característica diferente dos outros por conta do calendário do país, é o ano da Copa do Mundo no Brasil, e com isso o fluxo de turistas será maior. Então, temos que fortalecer o setor carnavalesco, como uma manifestação cultural, para colocarmos São Luís na agenda nacional”, frisou Francisco Gonçalves.

É aguardar o resultado…