Iniciada campanha de vacinação contra a gripe em São Luís

Cinco dias depois de completar 60 anos, a doméstica Marileide Soares cumpriu um importante compromisso com sua saúde, indo à Unidade Básica do São Francisco para tomar, pela primeira vez, a vacina contra a gripe. A idosa foi uma das pessoas que procuraram nesta segunda-feira (17), uma das 62 unidades de saúde da rede municipal, onde começou a campanha nacional de vacinação contra a gripe. A campanha é realizada pelo Ministério da Saúde e coordenada pela Prefeitura de São Luís, na capital maranhense. A ação de saúde se estende até 26 de maio, com o “dia D” programado para o dia 13.

O primeiro dia da campanha transcorreu normalmente, sem filas nem demora nos postos. “Estou entrando na melhor idade e sei que a gente tem que se cuidar, por isso, a partir de agora vou vacinar todos os anos porque a gripe é uma doença que maltrata muito”, afirmou a doméstica Marileide Soares.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a meta é vacinar 80% do público alvo, que este ano inclui professores de escolas públicas e privadas que estejam em atividade, além de pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a 4 anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

A secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, orienta a população a procurar logo os postos. “A cidade está tendo uma variação climática muito grande que favorece o aparecimento de casos de gripe e essa vacina demora cerca de duas semanas para fazer efeito; por isso, quanto mais cedo o público alvo procurar o posto de vacinação melhor porque fica imunizado com mais antecedência”, explica Helena Duailibe.

A secretária de Saúde lembra que é indispensável levar o cartão de vacinação, mas se não tiver, pode ser feito na unidade. Pessoas com mais de 60 anos devem apresentar o RG e aqueles que têm doença crônica ou autoimune devem levar o relatório médico comprovando a patologia. Para os professores é exigida a comprovação da atividade profissional.

Wellington apresenta 5 projetos em defesa da Saúde do Maranhão

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) deu entrada, na Assembleia Legislativa do Maranhão, em mais 05 Projetos de Lei que buscam melhorar os serviços de saúde pública ofertados à população.

Ao justificar as propostas, o deputado Wellington destacou que a preocupação com a vida é algo necessário e, consequência disso, é garantir um serviço público de qualidade à população.

“Para nós, em uma sociedade, prioridades devem ser elencadas. Uma delas é quanto à qualidade dos serviços públicos de saúde ofertados. A vida não espera e, por isso, é essencial que haja essa preocupação a fim de se garantir um bom atendimento nos hospitais públicos também”, disse Wellington.

Entre os PL’s apresentados, há o projeto que obriga que maternidades e estabelecimentos hospitalares congêneres realizem o exame de oximetria de pulso em recém-nascidos (teste do coraçãozinho); há também a proposta que obriga as unidades de saúde a disponibilizarem, em local de fácil visualização, nas entradas principais de acesso ao público, sistema de informação identificando os profissionais escalados para a prestação dos serviços. Em relação à prevenção, Wellington apresentou projeto que propõe que o servidor da Secretaria de Estado da Saúde, no exercício de sua função, que detectar indício de maus-tratos, em crianças, adolescentes ou idosos, fica obrigado a informar à direção do órgão de sua atuação, para que, através de ofício, imediatamente, comunique à Vara da Infância, do Adolescente, e de Violência Doméstica.

Já com o intuito de garantir o atendimento, o deputado também apresentou proposta que obriga a Central de Regulação de Vagas autorizarem internamento para gestantes de alto risco em hospitais da rede privada, quando ficar constatado que não existe vaga (vaga zero) em hospitais da rede pública em distâncias iguais ou superiores a 200 km.

Promessa de Flávio Dino de realizar concurso para a Saúde completa 2 anos

Flávio Dino baixou decreto no dia da posse, 1º de janeiro de 2015, prometendo calendário de concurso público para o setor; decreto foi publicado no Diário Oficial no dia 2 daquele mês

O Estado – A promessa do governador Flávio Dino (PCdoB) feita no dia da posse, 1º de janeiro de 2015, em ato oficial no Palácio dos Leões – de realizar concurso público para a área da Saúde -, completou exatos 2 anos, no início deste mês.

Naquela ocasião, em meio à festa do recebimento da faixa, o governador baixou o Decreto 30.616, publicado na edição eletrônica do Diário Oficial do dia 2 de janeiro de 2015, que dentre outras coisas, instituía a divulgação do calendário do concurso público. A referência ao concurso consta no art. 8 do decreto.

“A Secretaria de Estado da Saúde, no prazo de 90 dias, apresentará calendário de realização de concursos públicos para profissionais da saúde, bem como proposta de instituição da carreira dos profissionais efetivos que integrarão a Fesma. Art. 9º. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação”, destaca o texto.

O art. 1º do decreto trata da criação da Força Estadual da Saúde do Maranhão (Fesma), que hoje atua nos 30 municípios com os menores indicadores de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado.

O prazo final para o cumprimento da promessa expressa no decreto, portanto, terminou no dia 2 de abril daquele ano. Até hoje, contudo, não houve a divulgação do calendário ou realização do concurso público, prometido aos profissionais da Saúde durante a campanha eleitoral de 2014.

Seletivo – Em janeiro do ano passado o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde iniciou o processo seletivo para o setor, com o lançamento de edital e período para a inscrição de candidatos.

As provas foram aplicadas no dia 3 de abril pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab). O seletivo abriu 7.902 vagas, com contrato de trabalho de 1 ano, podendo ser renovado por somente mais 1 ano.

O resultado do seletivo somente foi divulgado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh) no dia 12 de agosto de 2016, por meio da portaria nº 088/2016 – Edital de Convocação -, com o chamamento de apenas 178 aprovados, todos da capital.

Veja aqui o edital de convocação divulgado em agosto de 2016

Os classificados começaram a atuar na rede estadual em outubro, nove meses depois de iniciado todo o processo.

O governador Flávio Dino tem evitado tratar do tema e não estipulou mais prazos para a realização de concurso público para o setor.

Outro Lado

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que já houve Processo Seletivo Público para contratação de profissionais da saúde, para atuação na Força Estadual de Saúde do Maranhão (FESMA) e reitera que haverá concurso público para as carreiras de saúde. A SES esclarece também que a nova gestão prioriza a seleção pela capacidade técnica, descartando o modelo que não atendia ao critério da impessoalidade, modelo vigente por mais de 20 anos. A Secretaria acrescenta que o procedimento de seleção por critérios técnicos foi adotado inclusive nas Organizações Sociais de Saúde (OSS).

 

Reportagem especial de O Estado pode ser lida aqui

Mudança para pior…

Desde a eleição de 2014, o então candidato e hoje governador Flávio Dino prega aos quatro cantos uma mudança na administração pública estadual. E a estratégia, até consolidar esse discurso, classificado outrora por Luis Fernando Silva, prefeito eleito de São José de Ribamar, como “de gogó”, foi muito bem definida: primeiro descontruir a imagem de seus adversários; em seguida, já com os “pés” no poder, tentar efetivar políticas públicas de impacto social.

A segunda “meta”, contudo, jamais foi alcançada. Não há nesses primeiros dois anos de gestão qualquer programa de governo implantado pelo comunista que tenha transformado a vida da população maranhense.

Pelo contrário. Aumento de impostos; queda brusca de qualidade no atendimento nas UPAs; desestruturação da rede de Saúde, sobretudo com o fechamento de hospitais de 20 leitos do Programa Saúde é Vida nos municípios; desvalorização da Cultura com Carnaval e São João miúdos; intensificação de obras paliativas em período eleitoral – quem não lembra do Mais Asfalto já sob a análise da Justiça Eleitoral-; perseguição a prefeitos adversários; gastos elevados com jatinhos e helicópteros e festas particulares no Palácio dos Leões (privilégios?).

Flávio Dino, de forma até impressionante, tem conseguido ir de encontro a tudo o que pregou durante a campanha eleitoral. O discurso era de um Maranhão moderno, sem privilégios aos agora poderosos, com escolas estruturadas (e não somente com novo revestimento), hospitais funcionando, servidores e contratados valorizados.

O que se vê é o inverso de tudo o que foi propagado durante a campanha eleitoral de dois anos atrás.

A mudança de Dino chegou.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Flávio Dino e a “Saúde de Verdade”

flavio-dino-serioO governador Flávio Dino (PCdoB) resolveu tentar amenizar o desgaste da última semana em relação ao setor da Saúde no seu Governo – com a denúncia levantada na Assembleia Legislativa da existência de cerca de 8 mil funcionários de hospitais e UPAs do Estado  com trabalho sem carteira assinada e, portanto, com direitos trabalhistas usurpados -, e escreveu o artigo: Saúde de Verdade, publicado na edição de domingo do Jornal Pequeno.

O texto é um emaranhado de informações que acabam, na verdade, confundindo o cidadão.

Flávio Dino afirma logo na primeira frase que a atual gestão está fazendo o “maior investimento em Saúde da história do Maranhão”.

Ele não só tenta ignorar o Programa Saúde é Vida, da ex-governadora Roseana Sarney, como desqualificar a gestão de seus adversários políticos.

Mas, é justamente aí que acaba jogando contra si mesmo.

Senão, vejamos.

O governador afirma que o Governo abriu as portas das UPAs [quando estiveram fechadas?] e diz que hoje há uma rede de hospitais macrorregionais funcionando. A rede foi idealizada por Roseana Sarney e executada pelo ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, que adversários tanto tentam criminalizar.

Dino também cita que obras de hospitais foram concluídas em Pinheiro, Caxias, Imperatriz, Santa Inês e Bacabal.

Detalhe: todos os hospitais foram deixados pela ex-governadora Roseana Sarney com mais de 90% das obras concluídas. Os equipamentos foram também adquiridos e deixados pela gestão que antecedeu o comunista.

As UPAs, das quais se referiu Flávio Dino, também foram construídas pela peemedebista e funcionavam há 3 anos. Hoje estão sucateadas.

Dino também citou a Carreta da Mulher e o funcionamento de unidades móveis. Outro investimento deixado por Roseana e que o leitor pode facilmente encontrar com um simples clique no google.

E para não ficar só no “maior investimento em Saúde da história do Maranhão” – evidenciada por ele mesmo como uma herança da gestão anterior, queira admitir ou não -, Flávio Dino ainda toma para si a obra de reforma e ampliação do Hospital da Criança. A obra, contudo, é da Prefeitura de São Luís e recebeu apenas uma ajuda de custo do Governo do Estado. Nada que a torne do Executivo Estadual. A obra foi idealizada e é executada pelo município.

Eu hein…

Leia aqui o artigo de Flávio Dino

Hospital Universitário recebe reforço de R$ 4,5 milhões

Dutra hospitalO Hospital Universitário do município de São Luís, no Maranhão, recebe um reforço para a qualificação dos atendimentos oferecidos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), através do repasse R$ 4,5 milhões feito pelo Ministério da Saúde. Outros 48 Hospitais Universitários Federais, distribuídos em 22 estados brasileiros, também foram contemplados. Essas instituições representam papel fundamental para estruturação da rede pública de saúde, sendo, em alguns casos, a principal referência de atendimento à população. A portaria nº 2.406/2016, que autoriza os repasses da verba, está disponível no Diário Oficial da União (D.O.U).

A verba foi liberada por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), executado desde 2010 em parceria com o Ministério da Educação e com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). Durante o período, apenas por parte do Ministério da Saúde, já foram injetados quase R$ 4 bilhões nos hospitais universitários, sendo R$ 380 milhões em 2016.

“Esse dinheiro pode ser utilizado para qualificar a assistência e aumentar o acesso da população aos serviços oferecidos por essas instituições. Os Hospitais Universitários são locais de ensino e também realizam procedimentos hospitalares e ambulatoriais, isso quer dizer que os recursos beneficiam diretamente estudantes de saúde e a população”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Aprovados em lei orçamentária, os valores são pagos pelo Ministério da Saúde, em parcela única, para as instituições universitárias que comprovaram o cumprimento das metas de qualidade relacionadas ao porte e perfil de atendimento, capacidade de gestão, desenvolvimento de pesquisa e ensino e integração à rede do SUS. Os pagamentos são efetuados pelo Fundo Nacional de Saúde conforme comprovação dos gastos.

Além de ser aplicado em pesquisas e na melhoria da qualidade da gestão e do atendimento, o REHUF também pode ser utilizado para reformas e aquisição de materiais médico-hospitalares, entre outras ações, conforme a necessidade e o planejamento da instituição.

LISTA DE INSTITUIÇÕES BENEFICIADAS – REHUF

UF                MUNICÍPIO        INSTITUIÇÃO                     CUSTEIO 

MA                São Luís           Hospital Universitário         R$ 4.567.939,62

Carlos Lula rechaça entregar cargo no Governo

carlos-lulaO secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, negou hoje ao blog do jornalista Jorge Aragão [leia aqui], o boato de que ele estaria disposto a entregar o cargo de primeiro escalão do Governo do Estado.

A “notícia” havia sido dada por blogs que fazem a cobertura política da capital, nas últimas duas semanas.

A Jorge Aragão, Lula rechaçou a possibilidade.

“Continuo na Secretaria de Saúde até o governador Flávio Dino decidir efetuar alguma mudança. Nunca cogitei entregar o cargo, chance zero”, enfatizou.

Carlos Lula, portanto, segue como titular na pasta da Saúde.

Prefeito eleito de Pedreiras diz que priorizará a Saúde

Antônio França é prefeito eleito de Pedreiras / Foto: Biné Morais

Antônio França é prefeito eleito de Pedreiras / Foto: Biné Morais de O Estado do Maranhão

O Estado – O prefeito eleito do município de Pedreiras, vereador Antônio França (PTB), afirmou ontem a O Estado, numa visita institucional realizada no Grupo Mirante, que priorizará o setor de saúde pública durante o seu mandato no Executivo.

França foi eleito com 7.594 votos válidos, impondo derrota ao grupo do atual prefeito, Totonho Chicote, ao grupo do ex-deputado estadual Raimundo Louro e também ao governador Flávio Dino (PCdoB), que tinha como candidato no município, o Dr. Humberto (SD), que ficou na segunda colocação.

O prefeito eleito disse já ter iniciado, numa conversa informal com o atual gestor, o processo de transição de governo e assegurou que logo após assumir a máquina pública, em janeiro de 2017, dará início a uma auditoria nas contas do município. O objetivo é fazer um diagnóstico da situação financeira do Executivo e definir metas para o seu mandato.

Ele disse que independentemente da auditoria, já tem firmado como primeiro compromisso, a conclusão da reforma do Hospital Geral Municipal de Pedreiras.

“Nosso objetivo é concluir a obra de reforma do hospital e fazer com que ele funcione em sua plenitude. Fazer com que ele atenda a população de Pedreiras. Nós vamos aplicar os recursos com muito respeito à nossa população, com transparência e responsabilidade”, disse.

Antônio França admitiu que somente definirá a possível extinção ou criação de novas pastas após assumir o governo municipal e explicou que buscará parcerias com os governos Estadual e Federal para atuação em todos os setores da administração pública.

“O cuidado que teremos é justamente, num primeiro momento, conhecer a máquina. Não iremos fazer como os gestores antecessores, que saíram empregando todo mundo. Vamos agir com responsabilidade, cortar os gastos desnecessários e fazer um mandato exemplar”, completou.

Vereador de segundo mandato, Antônio França também buscará parceria com o Legislativo Municipal. Ele assegura que de um total de 13 vereadores, já tem conversas adiantas com cinco parlamentares. O objetivo é construir uma base de apoio para que os projetos do Executivo sejam aprovados na Câmara.

Mais

O prefeito eleito também garantiu a O Estado, que priorizará quadros técnicos na formação do primeiro escalão do Executivo Municipal. Ele rechaçou lotear secretarias a partidos políticos e garantiu que pelo menos três pastas, dentre elas, a Cultura, terá como gestor membro eleito de segmentos sociais. A eleição será regulamentada por decreto e abrirá espaço também para o campo de oposição. Uma lista tríplice será formada pelos segmentos e após a indicação dos grupos, França nomeará o futuro secretário. “Foi um compromisso de campanha”, justificou.

Seletivo do Governo completa 9 meses sem nenhuma contratação na Saúde

Publicação do professor Patrik Gomes em rede social

Publicação do professor Patrick Gomes em rede social

Classificados no Seletivo da Saúde promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), vão cobrar do Executivo na próxima segunda-feira (17), na porta da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSHER), a contratação dos profissionais aprovados.

O seletivo foi iniciado no mês de janeiro deste ano, com a abertura de período para inscrições. As provas foram aplicadas no dia 3 de abril. De lá para cá, não houve contratação.

A Emsher chegou a convocar alguns dos aprovados de São Luís no dia 11 de agosto, por meio de edital [veja aqui]. Foram convocados 44 Enfermeiros, 44 Farmacêuticos, 2 Motoristas de ambulância, 2 Auxiliares administrativos, 10 Auxiliares de serviços gerais, 1 Maqueiro, 71 Técnicos de Enfermagem, 2 Técnicos de laboratório e 3 Técnicos de ortopedia, para a capital.

Ocorre que após convocação, entrega de documentos, realização de exames admissionais, consulta com o médico do trabalho e retenção [até questionável] da carteira de trabalho de todos os convocados, não houve a assinatura de contrato ou lotação em qualquer das unidades de saúde da rede estadual.

A Emsher também não convocou aprovados para uma série de cargos, a exemplo de Enfermeiro de UTI; Administrador Hospitalar; Assistente Social; Fonoaudiólogo; Fisioterapeuta; Bioquímico; Psicólogo, Nutricionista, dentre outros. Apesar disso, gestores de hospitais e de UPAs já solicitaram a contratação de profissionais para a rede estadual.

Faltam recursos ou falta organização?

Outro lado – O secretário de Estado da Saúde, o advogado Carlos Lula afirmou ao blog que todos os candidatos convocados serão admitidos. Ele disse que já foram chamados candidatos de Santa Inês, Imperatriz e São Luís. “Por ora só burocracia mesmo, mas serão admitidos sim”, explicou. O secretário, contudo, não deu previsão para a assinatura de contratos.

Leia também: Governo volta a atrasar salários e médicos podem parar em São Luís

Saiba Mais

Cargos para Nível Superior abertos no seletivo iniciado em janeiro deste ano:

495 vagas para Enfermeiro

35 vagas para Enfermeiro UTI Adulto

35 vagas para Enfermeiro UTI Pediátrica e Neonatal

21 vagas para Administrador Hospitalar

74 vagas para Assistente Social

7 vagas para Bioquímico

3 vagas para Educador Artístico

4 vagas para Educador Físico

44 vagas para Farmacêutico

133 vagas para Fisioterapeuta

6 vagas para Fisioterapeuta de UTI Adulto

40 vagas para Fisioterapeutas de UTI Pediátrica

23 vagas para Fonoaudiólogo

29 vagas para Nutricionista

3 para Pedagogo

30 vagas para Psicólogo

3 para Psicopedagogo

24 vagas para Terapeuta-Ocupacional.

 

Conheça as principais propostas de Joabson Junior para a Câmara de SL

joabson-itineranteO advogado Joabson Junior, candidato a vereador pelo PHS, tem apresentado ao eleitorado de São Luís algumas de suas principais propostas para a Câmara Municipal, por meio de seu perfil em rede social.

Recomendado pelo candidato a prefeito Wellington do Curso (PP) [reveja aqui], Joabson separou 11 principais propostas para os últimos 11 dias da campanha eleitoral. O blog separou alguns destes temas.

Uma das propostas de maior impacto para a próxima legislatura na Câmara Municipal e que segue o modelo adotado por Wellington na Assembleia Legislativa, é a Câmara Itinerante.

joabson-esporteO objetivo do projeto é aproximar o Parlamento Municipal da sociedade ludovicense. Pelo projeto, o cidadão teria acesso direto ao vereador para apresentar problemas e anseios das comunidades e sugestões para a Câmara.

Joabson também apresentou um conjunto de propostas para a área do Esporte e Lazer da capital. Dentre as ações, estaria o incentivo à prática do esporte nas comunidades; expandir os repasses do Poder Público de forma igualitária a todos os clubes da capital – acabando desta forma com o monopólio no setor -; dar estrutura aos campeonatos de futebol amador nos bairros e incluir a prática das artes maciais nas escolas do município.

joabson-educacaoJá para a Educação, são cinco as principais propostas: padronização do fardamento e comunicação visual das escolas, evitando desperdício e gastos a cada troca de governante; plano de saúde para os professores e demais profissionais da área; inclusão do Direito Constitucional na grade de ensino assim como o retorno da disciplina Educação, Moral e Cívico nas escolas; exigir e fiscalizar a utilização do Fundeb, garantindo assim a qualificação e valorização dos profissionais e inclusão do vale-refeição aos professores que atuam em escolas da zona rural de São Luís.

joabson-culturaPara Cultura e Turismo são três as principais propostas destacadas pelo candidato a vereador: a primeira é o Bumbódromo: criação de um local destinado aos grupos e manifestações culturais da cidade; Nosso São João: programa transparente de incentivo para grupos culturais e Turismo para Todos: ampliação e reestruturação das manifestações culturais no polo turístico, buscando fomentar o turismo e a geração de emprego e renda na cidade.

joabson-saudeE para o setor da Saúde, as propostas são: lutar pela criação de hospitais e ampliação da rede de postos de saúde equipados, com profissionais e medicamentos; criação do selo de qualidade para bares e restaurantes que estiverem adequados às normas da Anvisa; ampliação dos atendimentos oferecidos para idosos e mulheres, sobretudo na zona rural de São Luís; compromisso em apoiar e fortalecer os conselhos de classe e lutar pela realização de concurso público para os profissionais da área da Saúde.

Leia também:

______________VÍDEO! Wellington recomenda Joabson para a Câmara de Vereadores

______________Carreata de Joabson movimenta os bairros Cohab e Cohatrac

______________Joabson consolida candidatura e alcança adesões nas redes sociais