“Corruptos que estão com Flávio irão governar com ele”, diz Saulo Arcangeli

Saulo Arcangeli não acredita que Dino excluirá aliados corruptos

Saulo Arcangeli não acredita que Dino excluirá aliados corruptos

De O Estado – O candidato a governador pelo PSTU, Saulo Arcangeli, declarou ontem, durante entrevista ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, não acreditar na tese de aliados do candidato Flávio Dino (PCdoB), de que nem todos os corruptos que o acompanham terão espaço num eventual governo comunista.

O argumento é usado nos bastidores por vários correligionários do candidato comunista, mas só foi publicamente defendido pelo professor Ed Wilson Araújo, membro do PT, mas um dos entusiastas da candidatura do PCdoB.

“Com certeza não [acredito nessa tese]. Os corruptos que estão com Flávio Dino irão governar com Flávio Dino. Não tem como ele excluir esses corruptos que estão com ele. São vários, inclusive, que se a gente for citar aqui vamos demorar um pouquinho”, comentou.

Arcangeli referia-se a um artigo de Ed Wilson Araújo. O professor petista foi o primeiro a admitir publicamente, em um blog pessoal, que há corruptos no grupo do comunista, mas garantiu que nem todos terão “privilégios” se Dino for eleito governador.

“Os iguais serão tratados com desigualdade, para que haja justiça. Nem todos os corruptos que ajudarem na vitória serão beneficiados com os privilégios do governo. ‘Ganhei com todos, mas nem todos serão beneficiados’, é a frase que Flávio não pode pronunciar publicamente”, escreveu o intelectual da campanha dinista.

Para o candidato do PSTU, a tese do petista não se sustenta. Ele acredita que, em caso de eleição de Flávio Dino, todas as lideranças que compõem o seu arco de alianças – mesmo as consideradas corruptas por Ed Wilson Araújo – terão os mesmos privilégios.

PSTU define pré-candidatura ao Governo do Estado

Saulo Arcangeli disputará o Governo em outubro

Saulo Arcangeli disputará o Governo em outubro

Jorge Aragão – Nesta quarta-feira, dia 12 de fevereiro, o PSTU Maranhão fará em São Luís o lançamento oficial da candidatura do servidor público federal e professor universitário Saulo Arcangeli ao governo do Estado. A atividade iniciará a partir das 9 horas com uma coletiva à imprensa na Assembleia Legislativa e logo após às 10h30 ocorrerá um ato político no auditório do Sindicato dos Bancários no Centro.

A candidatura de Saulo, um ativista presente nas principais lutas que ocorreram no Maranhão nos últimos anos, é a expressão no campo eleitoral das reivindicações dos trabalhadores e da juventude maranhense que desejam não só o fim de uma Oligarquia, mas também buscam construir um Maranhão livre do latifúndio e do coronelismo.

Ao mesmo tempo, o PSTU mantém o chamado feito ao PSOL e PCB no sentido da constituição de uma Frente de Esquerda que apresente uma única candidatura ao Governo do Estado em 2014.

Estará presente também o presidente nacional do Partido, o metalúrgico Zé Maria de Almeida, que é o pré-candidato do PSTU à Presidência da República. “Minha candidatura parte da necessidade de apresentar uma alternativa de classe e socialista perante as candidaturas da presidente Dilma Roussef (PT) e os candidatos da direita representados pelo PSDB de Aécio Neves e o PSB de Eduardo Campos” afirma Zé Maria.

Segundo o pré-candidato do PSTU, estes dois campos políticos, no entanto, representam o mesmo modelo econômico e o mesmo projeto para o país, que privilegia os bancos, grandes empresas e o agronegócio em detrimento das necessidades e reivindicações os trabalhadores, do povo pobre e da juventude.

 

O eleitor perdeu

Do blogue de Itevaldo

O debate com os cinco candidatos ao governo estadual, realizado pela TV Mirante, encerrado nesta madrugada foi ruim. Vale uma nota cinco.

A frase “eu sei o que é, sei o que digo, sei por que digo”, do escritor José Saramago retrata bem o que foi o debate eleitoral-televisivo.

Os cinco disseram o que pensam sobre aquilo que a eles parecem importante. Uns como Flávio Dino (PCdoB) afirmaram com propriedade, outros como Saulo Arcangeli (PSOL) declaram com contundência.

Tanto o candidato do PCdoB quanto o do PSOL disseram exatamente o que pensam. De forma simples, sem retórica. Situação que cabe a Roseana Sarney (PMDB) e Marcos Silva (PSTU). Mas, que não alcança Jackson Lago (PDT).

Porém, os eleitores-telespectadores não poderão dizer que foram enganados.

Para outros o debate como esse de ontem possa ser alguma novidade, para mim se transformou, com o passar do tempo, em comida requentada de botequim.

No fim das contas, muitas das coisas ditas no debate, não têm nenhuma importância na disputa eleitoral. Perdeu uma boa chance o Maranhão. Perderam os eleitores.