Deputados governistas acusam secretários de uso da máquina em campanha

Raimundo Cutrim e Vinicius Louro são da base do Governo

Os deputados estaduais Raimundo Cutrim (PCdoB) e Vinícius Louro (PR), ambos da base de apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB), denunciaram ontem, na Assembleia Legislativa, que secretário da gestão comunista estão usando os cargos para fazer política e angariar votos no interior do estado.

Nenhum deles citou nomes, mas afirmaram que há auxiliares do governador, com pretensões de se candidatar nas eleições deste ano, que estão lançando mão da estrutura do Executivo para garantir benefícios a prefeitos em troca de apoio e votos.

O assunto veio à tona em discurso de Cutrim. Ao citar o caso da deputada federal Cristiane Brasil – indicada do PTB ao Ministério do Trabalho – que foi flagrada em áudio, quando ainda era secretária da Prefeitura do Rio, em 2014, pressionando servidores públicos a conseguir votos para ela, o parlamentar destacou que há casos parecido acontecendo no Maranhão.

“Aqui tem um secretário de Estado que foi a alguns prefeitos, e disse: ‘Olha, eu vou dar isto aqui para ti, para você votar em mim. Se não for, eu não dou’. Ora, secretário, são ações do governo”, criticou Cutrim, que não revelou o nome do secretário, mas citou alguns dos prefeitos assediados.

“O prefeito de Senador La Rocque, esse secretário foi lá e prometeu alguns recursos e obras ou fatos para aquele município: ‘mas só encaminho se você votar em mim’. Então aí há previsão legal de crime eleitoral, a partir do que você condiciona. Prefeito de São João do Caru também. Prefeito de Presidente Vargas, Wellington. Prefeito de Bom Jardim, onde é votado o Deputado Neto Evangelista. Prefeito de Pindaré Mirim, onde é votado o Chefe do Gabinete Civil, o Marcelo. Então são fatos que nós não podemos aceitar. Secretário do governo condicionando favor para colocar, tendo que votar nele. Isso é crime, nós não podemos, como Assembleia Legislativa, a população e o Ministério Público, não podemos aceitar fatos dessa natureza”, completou.

O deputado relatou, também, um caso envolvendo o ex-prefeito de Nova Olinda, Delmar Sobrinho, que votaria nele, mas mudou de ideia depois de abordado por um secretário de Flávio Dino.

“Para minha surpresa, tomei conhecimento em blogs que ele [Delmar Sobrinho] já estava com outra pessoa, secretário. Chegou lá: ‘eu vou dar isso, aquilo outro’. Fez um acordo, aquilo que o deputado aqui 90% não tem, como eu não tenho, e o secretário resolveu o problema dele”, afirmou.

Cutrim pediu maior vigilância por parte do próprio governo. “O governo tem que verificar esse assunto, é um assunto sério, eu estou andando nos municípios e aqui eu não disse os nomes dos secretários por falta, para não ser deselegante. Mas todos vocês sabem”, ressaltou.

Mais

Mesmo sem citar nomes, Raimundo Cutrim acabou lembrando um fato relacionado ao secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB. Após assediar prefeitos, no ano passado, ele acabou sendo convocado, a requerimento do deputado Júnior Verde (PRB) – aprovado por unanimidade – a dar explicações na Assembleia. Mas a base aliada acabou tratando de pôr panos quentes na questão. “Aqui, o deputado Júnior Verde fez uma convocação, depois ficou o dito pelo não dito. Não sei por que ele não falou o que ele pensava inicialmente. Então, mas são pessoas que estão condicionando o voto. Isso é crime. Isto é crime eleitoral e eu não aceito”, disse.

Vinícius Louro quer maior atenção a secretários candidatos

O deputado Vinícius Louro (PR) corroborou o discurso de Raimundo Cutrim. Segundo ele, os “interesses próprios” dos secretários candidatos têm prevalecido no interior do Maranhão, o que merece maior atenção por parte do governador Flávio Dino.

Segundo ele, mesmo no caso dos prefeitos que já têm posição fechada com algum deputados, os titulares das pastas têm exigido o apoio de lideranças ligadas aos gestores – vereadores, na maioria das vezes – para liberar benefícios às cidades.

“Eu acho que o Governador tem que buscar mais atenção dentro do governo, haja vista que a maioria dos seus secretários são candidatos. Então, da mesma forma, eles têm interesse próprio e não adianta a gente, nas nossas bases, prefeitos virem aqui no Governo do Estado e aí vai despachar com o secretário e a primeira coisa que ele pergunta é com qual deputado o prefeito está. O prefeito responde: ‘Rapaz, tu tem essa demanda aqui, mas, para liberar, arruma dois, três vereadores’. Essa é a primeira questão que está acontecendo no Governo do Estado. Isso estou falando como testemunha”, declarou.

Louro criticou, ainda, os casos de auxiliares do governador que têm fechado apoio, nos municípios, até mesmo com adversários do Palácio dos Leões.

“Outra questão que o governador tem que também ter mais atenção é a questão dos secretários que estão fazendo política no interior do Maranhão. Eu acho bem salutar o governador olhar realmente quem são os candidatos a deputados, tanto estaduais como federais, e olhar seus aliados, porque, na região do Médio Mearim, tem secretário e, em outras regiões, também há secretário, mas se vê os aliados desse secretário, ele não vota com o governador de jeito nenhum. Entendeu? Nós da base aprovando tudo que o governo manda para esta Casa, fazendo parte da base do governo e aí nós estamos sendo ali, vamos dizer, discriminados dentro do governo. Quer dizer, aqui dentro eu sou situação e lá na base eu sou oposição, porque é a nossa forma de tratamento que nós estamos tendo nas nossas bases”, concluiu.

De O Estado

Flávio Dino empossa secretários

Flávio Dino empossou secretários no Teatro Arthur Azevedo / imagem de O Imparcial

Flávio Dino empossou secretários no Teatro Arthur Azevedo / imagem de O Imparcial

O governador Flávio Dino (PCdoB) empossou na manhã de hoje, no Teatro Arthur Azevedo, no Centro, os novos secretários de Estado. O ato foi acompanhado por autoridades e políticos de todos os Poderes constituídos.

Apenas os secretários Marcelo Tavares da Casa Civil, Bira do Pindaré da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e Domingos Dutra da Representação do Governo em Brasília serão empossados posteriormente.

Bira já havia afirmado que pretende concluir primeiro o seu mandato na Assembleia Legislativa, para somente então tomar posse como secretário de Estado.

Dino deve se reunir ainda hoje com todos os seus secretários e definir as primeiras metas de trabalho.

Veja a lista de secretários do governo comunista:

Secretaria de Administração Penitenciária – Murilo Andrade

Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) – Ted Lago

Agência de Pesquisa Agropecuária e Extensão (Agerp) – Fortunato Macedo

Secretaria de Agricultura – Márcio Honaiser

Secretaria de Agricultura Familiar – Adelmo Soares

Secretaria de Articulação Política e Assuntos Federativos – Márcio Jerry

Assessoria de Imprensa – Aline Louise

Assessoria Especial – Karla Trindade

Casa Civil – Marcelo Tavares

Casa Militar – Major Everaldo Santana

Cerimonial – Telma Moura de Oliveira

Secretaria de Cidades – Flávia Alexandrina Coelho

Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – Bira do Pindaré

Comandante do Corpo de Bombeiros – Cel. Roberto Pinto de Araújo

Comandante Geral da PMMA – Marco Antônio Alves da Silva

Comissão Central de Licitação – Paulo Guilherme Araújo

Secretaria de Comunicação – Robson Paz

Secretaria de Cultura – Ester Marques

Delegacia Geral – Augusto Barros

Secretaria de Desenvolvimento Social – Neto Evangelista

Detran – Antônio Nunes

Secretaria de Direitos Humanos – Francisco Gonçalves

Secretaria de Educação – Áurea Prazeres

Empresa de Transportes Urbanos – José Arthur Cabral

Secretaria de Esporte – Márcio Jardim

Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) – Alex Oliveira Souza

Secretaria de Fazenda – Marcellus Ribeiro Alves

Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) – Elisângela Cardoso

Secretaria de Gestão e Previdência – Felipe Camarão

Secretaria de Igualdade Racial – Gerson Pinheiro

Secretaria de Indústria e Comércio – Simplício Araújo

Secretaria de Infraestrutura – Clayton Noleto

Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq) – Geraldo Cunha Carvalho Jr.

Instituto de Colonização e Terra (Iterma) – Mauro Jorge

Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (Iema) – Francisco Alberto Gonçalves

Junta Comercial do Estado do Maranhão (Jucema) – Sergio Sombra

Secretaria de Juventude – Tatiana Pereira

Secretaria de Meio Ambiente – Marcelo Coelho

Secretaria de Minas e Energia – José Reinaldo Tavares

Secretaria de Mulher – Laurinda Pinto

Secretaria de Planejamento – Cinthia Mota Lima

Procon-MA – Duarte Júnior

Procuradoria Geral do Estado – Rodrigo Maia

Representação do Governo em Brasília – Domingos Dutra

Secretaria de Saúde – Marcos Pacheco

Secretaria de Segurança Pública – Jefferson Portela

Subcomandante Geral da PMMA – Cel. Raimundo Nonato Santos Sá

Secretaria de Trabalho – Julião Amin

Secretaria de Transparência e Controle – Rodrigo Lago

Secretaria de Turismo – Delma Andrad

Insatisfeitos

Flávio não atende a pedidos de aliados

Flávio não atende a pedidos de aliados

Ninguém vai mostrar publicamente ou dar declarações comprometedoras – afinal, o governo ainda nem começou -, mas já é grande a lista de descontentes com a montagem do secretariado pelo governador eleito Flávio Dino.

E a lista tem nomes e sobrenomes: os deputados federais derrotados Simplício Araújo e Domingos Dutra (SDD), os estaduais que mudaram de lado na reta final da campanha – e perderam a eleição – como Camilo Figueiredo (PSD), Marcos Caldas (PRB) e Hélio Soares (PMDB), o senador eleito Roberto Rocha (PSB), a deputada federal mais votada Eliziane Gama (PPS) e os líderes partidários Weverton Rocha (PDT) e Waldir Maranhão (PP).

Eles reclamam não estarem sendo atendidos em suas indicações para o futuro governo.

Flávio Dino tem usado critérios pessoais para montar seu governo, nomeando gente com ligações pessoais a ele próprio.

Nem mesmo os nomes ligados ao PCdoB, como Márcio Jerry (Articulação Política), Jefferson Portela (Segurança), Clayton Noleto (Infraestrutura) e Joslene Rodrigues (chefe de Gabinete) foram nomeados por indicação partidária, mas pela ligação pessoal com o próprio governador eleito.

Além de Flávio Dino, apenas o deputado estadual eleito Humberto Coutinho (PDT) conseguiu ocupar espaços no futuro governo.

Além de ser o preferido de Dino para a presidência da Assembleia Legislativa, Coutinho emplacou no governo a chefe do Cerimonial
Telma Moura e a titular da Secretaria de Cidades, Flávia Moreira.

A postura do governador, de decidir por si só as indicações e exercer abertamente o poder de veto que detém, tem incomodado os aliados, mas garante a ele o poder absoluto sobre o próprio governo, para o bem ou para o mal.

E como ninguém mostra-se com coragem suficiente para peitar o futuro chefe do Executivo neste momento de lua-de-mel com o eleitorado, vão ter que “engolir” o choro” até o momento mais propício.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Assembleia rejeita pedido de convocação de secretários

Raimundo Cutrim foi autor de um dos requerimentos

Raimundo Cutrim foi autor de um dos requerimentos

O Plenário da Assembleia Legislativa rejeitou, na manhã de hoje o Requerimento Nº 124/2014, de autoria do deputado Raimundo Cutrim (PCdoB), que pedia a convocação dos secretários de Estado João Bernardo Bringel (Planejamento e Orçamento) e Olga Lenzza Simão (Cultura), para que comparecessem à Assembleia Legislativa a fim de prestarem esclarecimentos sobre critérios adotados pelo Executivo para a liberação das emendas parlamentares referentes ao exercício financeiro 2014.

 Após discussão sobre a matéria, colocada em votação pela Mesa Diretora com encaminhamentos de parlamentares governistas e da oposição, o Plenário rejeitou, em seguida, o Requerimento Nº 125/2014, de autoria do deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB), solicitando a convocação da secretária-chefe da Casa Civil, Ana Graziella Costa, para prestar esclarecimentos à Assembleia Legislativa acerca do pagamento de precatórios judiciais.

Na tribuna, o deputado Raimundo Cutrim explicou ter feito seu requerimento após dois ofícios encaminhas às respectivas secretarias não terem sido respondidos.

Os deputados da base governista, no entanto, maioria na Casa, votaram pela rejeição da proposta, o que inviabilizou a convocação dos secretários. A votação das matérias ocorreu em clima de tensão.

Na votação do requerimento de Cutrim, apesar de a maioria dos deputados terem votado pela rejeição, o deputado Arnaldo Melo havia afirmado que a convocação estava aprovada.

Pressionado pelos governistas, ele refez a votação e o resultado foi alterado. Cutrim, Marcelo Tavares e Rubens Júnior reclamaram de forma assídua, mas a decisão foi mantida.

Com informações da Agência Assembleia

Lista de secretários que deixarão governo é divulgada

Roseana divulga lista de secretários que deixarão Governo

Roseana divulga lista de secretários que deixarão Governo

O Governo do Estado divulgou a lista com os nomes dos secretários que deixarão o Executivo para a disputa das eleições de outubro deste ano.

O pré-candidato do PMDB ao Governo, Luis Fernando Silva deixará a Sinfra. João Abreu, chefe da Casa Civil, também não mais atuará como auxiliar da governadora Roseana Sarney (PMDB).

Ricardo Murad (PMDB), porém, permanece como secretário de Saúde e ainda acumulará a função de secretário de Segurança Pública (SSP). A permanência de Murad é um forte indício de que Roseana abriu mesmo mão de disputar o Senado, o que deve ser confirmado amanhã.

Confira abaixo a lista de mudanças do Executivo Estadual.

CASA CIVIL

Sai: João Guilherme Abreu

Assume: Anna Graziella Costa (responde também pela Fundação da Memória Republicana Brasileira)

CIDADES E DESENVOLVIMENTO URBANO (Secid)

Sai: Hildo Rocha

Assume: Antonio Manoel Silvano Neto

GESTÃO E PREVIDÊNCIA (SEGEP)

Sai: Fabio Gondim

Assume: Marcos Fernando Jacinto

INFRAESTRUTURA (SINFRA)

Sai: Luis Fernando Silva

Assume: José Raimundo Frazão Ribeiro

FAZENDA (SEFAZ)

Sai: Cláudio Trinchão

Assume: Akio Valente

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR (SECTEC)

Sai: José Costa

Assume: Fernando Lima (Interino)

ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

Sai: Rodrigo Comerciário

Assume: Pamela Batista dos Santos

Os titulares da Seplan, Seir e SES responderão, respectivamente, pelas pastas da Educação; do Trabalho e Economia Solidária e Segurança Pública.

SEGURANÇA PÚBLICA (SSP)

Sai: Aluisio Mendes

Responde: Ricardo Murad (titular da SES)

TRABALHO E ECONOMIA SOLIDÁRIA (SETRES)

Sai: José Antônio Heluy

Responde: Claudeth Ribeiro (titular da Sec. de Igualdade Racial)

EDUCAÇÃO (SEDUC)

Sai: Pedro Fernandes

Responde: João Bernardo Bringel (titular da Seplan)

Ainda por definir:

JUVENTUDE (SEJUV)

Sai: Paulo Marinho Jr.

ASSUNTOS POLÍTICOS

Sai: Ricardo Archer Filho

ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

Sai: Alberto Franco

 

Governo divulgará nota com lista de secretários que deixarão pastas

Roseana prepara lista para ser divulgada hoje

Roseana prepara lista para ser divulgada hoje

O Governo do Maranhão emitirá nota oficial, hoje, confirmando os nomes de todos os secretários de Estado que deixarão os cargos no Executivo com vistas à disputa eleitoral de outubro deste ano. A informação é da Secretaria de Estado de Comunicação Social (Secom).

Segundo a titular da pasta, Carla Georgina, apesar da divulgação da lista completa, as exonerações ainda não serão efetivadas hoje, como se especulou ontem.

“Inicialmente, será divulgada apenas a lista, uma nota oficial, com os nomes dos secretários que deixarão o governo, mas as saídas ainda não serão efetivadas amanhã [hoje]. Isso deve ocorrer até a sexta-feira [dia 4]”, disse.

O prazo final para a desincompatibilização de todos os agentes públicos que pretendem disputar as eleições é dia 5. Como esta data é um sábado, a governadora Roseana Sarney (PMDB) antecipará a reforma administrativa para sexta-feira (4).

Segundo levantamento de O Estado divulgado no fim de semana, 11 secretários devem entregar os cargos para concorrer a cargos eletivos. O 12º seria o deputado estadual Ricardo Murad (PMDB), atual secretário de Estado da Saúde, que, no entanto, já expressou em conversas reservadas com a governadora o desejo de permanecer no cargo, caso ela também decida ficar.

Na semana passada, ao lado de Roseana, ele afirmou que só se posicionaria sobre o caso após uma manifestação oficial dela. “Depois que a governadora falar, eu falo”, garantiu. No mesmo dia – e no mesmo evento –, a governadora não cravou uma saída, mas deu sinais de que prefere contar com Murad na Assembleia Legislativa.

“Eu acho que ele [Ricardo Murad] sai. Ele é um líder importante na Assembleia”, completou.

Articulação – O lançamento da nota oficial com os nomes dos que estão de saída sugere que o Governo do Estado formalizará todas as exonerações em um único dia, exatamente como propôs o secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Hildo Rocha (PMDB).

Em entrevista a O Estado há uma semana, ele adiantou que já conversava com os colegas secretários para que a saída fosse coletiva. “De preferência com o secretário [de Infraestrutura] Luis Fernando, que será nosso candidato a governador”, disse.

Outro dado que reforça a tese é o fato de que Luis Fernando, pré-candidato a governador pelo PMDB, que passou as últimas semanas cumprindo intensa agenda de trabalho no interior do estado, já está na capital. Na segunda-feira, por exemplo, ele esteve no Maiobão, autorizando obras de asfaltamento no bairro.

Informações de O Estado do Maranhão

Último encontro

Roseana se reuniu ontem com secreários

Roseana se reuniu ontem com secreários

A governadora Roseana Sarney reuniu, quinta-feira, pela última vez, a sua atual equipe de governo. O encontro do Conselhão do governo, que reúne os secretários de Estado, foi a última antes da data limite de desincompatibilização de detentor de cargo público para disputar mandato eletivo nas eleições de outubro.

Comandada pela governadora Roseana Sarney, a reunião teve dois momentos. O primeiro foi um balanço das ações do governo, feito pela chefe do Executivo e pelos secretários, principalmente os que estão de saída para correr atrás de votos. O outro momento foi o de despedida dos pré-candidatos, entre eles o secretário de Infraestrutura, Luis Fernando Silva, que deixará o cargo para ser candidato a governador pelo PMDB.

Informalmente ficou acertado que os secretários pré-candidatos deixarão seus cargos na segunda-feira, 31. Além de Luis Fernando Silva, devem sair Ricardo Murad (Saúde), Hildo Rocha (Cidades), Aluísio Mendes (Segurança), Pedro Fernandes (Educação), Fábio Gondin (Gestão), Cláudio Trinchão (Fazenda), Jura Filho (Turismo), Ricardo Archer Filho (Articulação Política) e Alberto Franco (Assuntos Estratégicos) – Vitor Mendes (Meio Ambiente) já deixou o cargo. Junto com eles, vários secretários-adjuntos e ocupantes de cargos no terceiro escalão.

A governadora agradeceu a participação deles no governo e desejou-lhes sucesso nas urnas, mas frustrou uma expectativa que estava no ar ao não emitir qualquer sinal acerca do seu próprio futuro político. Principalmente pelo fato de que tem menos de uma semana para anunciar a decisão de permanecer no cargo ou sair para disputar vaga no Senado.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Mudanças no primeiro escalão

Roseana vai mudar auxiliares em abril

Roseana vai mudar auxiliares em abril

A governadora Roseana Sarney (PMDB) já comunicou a sua equipe que, se decidir permanecer no cargo até o fim do mandato – o que parece ser o seu caminho mais provável -, fará mudanças na cúpula das principais secretarias a partir de abril.

A intenção da chefe do Executivo é substituir os titulares das pastas da Segurança Pública, Saúde, Infraestrutura, Educação, Gestão e Previdência, Fazenda e Articulação Política, já que seus titulares vão deixar os cargos para disputar mandato eletivo em outubro.

No início de janeiro, depois de um aviso geral no fim do ano passado, dado pela Casa Civil, a governadora determinou que todos os secretários colocassem seus cargos à disposição. A orientação visava alcançar principalmente os secretários pré-candidatos, para que se manifestassem logo a respeito dos seus projetos de candidatura.

Em meados de fevereiro, a partir de um ofício-circular do secretário-chefe da Casa Civil, João Abreu, todos os secretários colocaram seus cargos à disposição da governadora, de modo a deixá-la à vontade para fazer as alterações que desejasse na equipe. Ou deixar o campo aberto para o seu sucessor, caso decidisse sair para disputar o Senado.

Em conversas reservadas, Roseana tem dito aos seus interlocutores que se permanecer no governo preencherá os cargos com nomes sem qualquer relação com os secretários que saem. Sua determinação é, em ficando, manter a máquina em ritmo acelerado de trabalho até o dia 31 de dezembro.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Quem sai e quem fica

João Abreu ~[e chefe da Casa Civil

João Abreu ~[e chefe da Casa Civil

Atendendo a uma orientação da governadora Roseana Sarney, todos os secretários de Estado colocaram seus cargos à disposição a chefe do Poder Executivo. Cada um encaminhou documento com esse teor à Casa Civil, onde o secretário-chefe, João Abreu, após examiná-los, os encaminhará à governadora, para que ela decida quem continuará ou não na equipe do 1º escalão do Governo do Estado.

Não se trata de uma reforma, mas de uma providência diretamente relacionada com as eleições. Pelo menos uma dezena de secretários de Estado está caminhando em direção às urnas, como candidatos a deputado estadual ou a deputado federal.

A movimentação política de auxiliares levou, primeiro, a governadora Roseana Sarney a lhes dar uma orientação expressa: nada de misturar trabalho com política. Depois, no início do ano, a governadora os orientou a colocar seus cargos à disposição, para que, a partir dessa providência, os pré-candidatos deixassem os cargos com tempo para fazer as suas pré-campanhas, sem serem acusados de usar a máquina administrativa a seu favor.

Ontem, fonte do governo confirmou que todos os secretários colocaram formalmente seus cargos à disposição. A partir de agora, a governadora vai conversar com cada um deles, para definir o rumo que cada um tomará. Os pré-candidatos serão exonerados. Os não candidatos serão confirmados nos seus cargos, podendo haver uma ou outra mudança na equipe atual.

As conversas deverão ocorrer durante o Carnaval, de modo a que após a folia momesca o governo siga seu curso natural e os secretários pré-candidatos rumem para as urnas sem o suporte da máquina.

Da coluna Estado Maior, de O Estado

Prazo para pré-candidatos

Roseana aguarda resposta de secretários

Roseana aguarda resposta de secretários

A governadora Roseana Sarney (PMDB) deu o primeiro e mais importante passo para definir a situação dos secretários de Estado que pretendem concorrer a mandatos eletivos no pleito de outubro, quando os maranhenses votarão para escolher o presidente da República, o governador, um senador, 18 deputados federais e 42 deputados estaduais.

Na sexta-feira, por sua orientação, o chefe da Casa Civil, João Abreu, enviou ofício a todos os integrantes do 1º escalão e dirigentes de autarquias e empresas públicas, dando-lhes prazo de uma semana – ou seja, até a próxima sexta-feira, 31 – para que se manifestem formalmente sobre o assunto.

No ofício-resposta, os secretários pré-candidatos terão de confirmar o seu projeto político-eleitoral. Pelo que está programado, a partir de cada manifestação a governadora Roseana Sarney vai convocar o secretário para definir com ele a data da sua desincompatibilização.

A interlocução inicial está sendo feita pelo secretário chefe da Casa Civil, que recebeu da chefe do Executivo a tarefa de coordenar esse trabalho de definição. O primeiro secretário a responder ao ofício foi Victor Mendes, titular da pasta de Meio Ambiente, que deixará o cargo oficialmente amanhã. Deputado estadual pelo PV, Victor Mendes já vinha manifestando a intenção de se afastar, pretendendo antecipar sua corrida pelo voto, pois seu projeto agora é ocupar uma cadeira na Câmara Federal.

Pelo que tem circulado nos bastidores, devem sair para disputar votos os secretários Luis Fernando Silva (Infraestrutura), Pedro Fernandes (Educação), Ricardo Murad (Saúde), Hildo Rocha (Cidades), Fábio Gondim (Gestão e Previdência), Cláudio Trinchão (Fazenda), José Antonio Heluy (Trabalho), Rodrigo Comerciário (Articulação Institucional), Paulo Marinho Jr.(Juventude), Ricardo Archer Filho (Articulação Política), Aluísio Mendes (Segurança) e José Costa (Ciência e Tecnologia). Vale aguardar.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão