Corpo de Epitácio Cafeteira é sepultado no Cemitério do Gavião em São Luís

Foi sepultado na manhã de hoje, no Cemitério do Gavião, em São Luís, o corpo do ex-governador do Maranhão Epitácio Cafeteira (PTB). O corpo havia desembarcado na tarde de ontem na capital, transladado de Brasília, onde o líder político morreu no último domingo, aos 93 anos de idade, em virtude de seu estado delicado de saúde.

O corpo de uma das maiores lideranças da história política do estado foi levado ao cemitério num carro do Corpo de Bombeiros com as honras de um ex-chefe de Executivo.

Cortejo foi feito por familiares, amigos, ex-secretários da gestão Cafeteira, admiradores, eleitores e políticos do estado – da Assembleia Legislativa -, onde estava ocorrendo o velório, até o local do sepultamento, no bairro da Madre Deus.

Viúva de Cafeteira, Isabel lamentou a perda. Bastante comovida e amparada por familiares, ela agradeceu o carinho e a solidariedade no momento de dor.

“Eu tenho certeza que ele está em paz e a gente também fica em paz de poder ter trazido ele para cá [São Luís]”, disse.

Sobrinho do ex-governador, o deputado Rogério Cafeteira (DEM) agradeceu aos profissionais da imprensa e aos amigos que se solidarizaram à família.

“Eu queria só agradecer a atenção de vocês e o carinho de todos que de ontem para cá estiveram conosco e mais uma vez repito: com certeza se o governador Cafeteira pudesse deixar uma mensagem era de agradecimento ao povo do Maranhão pelo carinho e pela confiança que sempre depositaram nele. Mais uma vez obrigado a todos pela atenção e pelo carinho”, finalizou.

Cafeteira foi governador, senador e prefeito de São Luís

O ex-governador Epitácio Cafeteira (PTB) consolidou-se na política maranhense na década de 1960 com uma das principais lideranças do estado. Natural da Paraíba, ele exerceu o primeiro mandato entre os anos de 1965 e 1969 na Prefeitura de São Luís.

De 1975 a 1987 exerceu mandato de deputado federal. Foi senador da República entre os anos de 1991 e 1999 e depois de 2007 a 2014.

Sua eleição como governador, em 1986, foi uma das mais tranquilas na história do Maranhão: apoiado pelo então presidente da República José Sarney (MDB), ele obteve 81,03% dos votos, contra apenas 16,52% de João Castelo, então no PDS.

Em 2006, também ao lado de Sarney – como companheiro de chapa da ex-governadora Roseana -, voltou a derrotar Castelo, na disputa pelo Senado.

Essa eleição, por sinal, marcou o definitivo estreitamento dos laços entre o ex-senador e o ex-presidente da República.

Cafeteira era contabilista e bancário, tendo sido funcionário do Banco do Brasil.

Foi dele, à frente do executivo Estadual, a obra de revitalização da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís. O chamado “Projeto Reviver” alicerçou o processo que levou a capital do Maranhão, anos mais tarde, a ser reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Corpo de João Castelo será sepultado no Parque da Saudade

O corpo do deputado federal, ex-prefeito de São Luís, ex-senador da República e ex-governador do Maranhão, João Castelo, será sepultado hoje no Parque da Saudade, no bairro Vinhais, em São Luís.

Antes disso, o corpo será velado no plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão e seguirá em cortejo, no carro do Corpo de Bombeiros, até o cemitério.

A informação foi dada pela filha do deputado, Gardeninha Castelo, por meio de seu perfil em rede social.

Castelo morreu domingo no Sírio Libanês, em São Paulo, após sofrer complicações de uma cirurgia cardíaca realizada naquela unidade de saúde.

Edilázio se solidariza à família de Racciele Olivas

Racciele Olivas

Racciele Olivas

O primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, deputado Edilázio Júnior (PV), lamentou com pesar na sessão ordinária de hoje, a morte precoce da repórter-fotográfica Racciele Olivas, que estava internada desde a semana passada numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Domingos.

Edilázio lembrou do profissionalismo de Racciele e se solidarizou a família da repórter, que por mais de 10 exerceu o seu trabalho no Legislativo Estadual.

“Quero externar os meus sentimentos, o meu pesar pela morte da colega Racciele, com qual eu tive a oportunidade de conviver nesses meus primeiros 4 anos de mandato. Ela era sempre uma pessoa alegre, cheia de vida, que contagiava a todos nós aqui. Assim como nós, estava sempre na labuta e sempre com um sorriso nos lábios. A notícia de sua partida nos deixou muito entristecido”, disse.

Racciele tinha 51 anos de idade e era casada com o também repóter-fotográfico Biaman Prado, que atua na equipe de reportagem do jornal O Estado do Maranhão.

Ela morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória em virtude de complicações provocadas por uma diverticulite e ter ficado em coma nos últimos dias.

O corpo de Olivas está sendo velado desde a tarde de hoje na Central de Velórios da Pax União, no Canto da Fabril e o sepultamento de seu corpo ocorrerá amanhã, às 9h, no Cemitério de Paço do Lumiar.