Eliziane defende leis mais severas contra o tráfico de drogas

A deputada Eliziane Gama (PPS-MA) e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, defenderam nesta terça-feira (20) a aprovação de leis mais severas contra traficantes de drogas e uma ação mais enérgica do poder público para tratar o dependente químico. E concordaram que a legalização de entorpecentes, como a maconha, não leva à redução da violência.

Os dois estiveram juntos em audiência pública na Câmara dos Deputados. O encontro foi promovido pela Comissão Externa sobre o Consumo de Drogas entre Jovens. O colegiado é coordenado pela deputada.

Após mais de três horas de debates sobre os efeitos perversos do consumo de drogas, principalmente entre adolescentes e jovens, Eliziane, o ministro e demais debatedores, em sua maioria, defenderam o endurecimento das penas para quem vende tóxicos e uma ação mais eficiente do Estado para dependente químico.

“A legalização das drogas não resolverá o problema da violência. Suécia e os EUA tiveram endurecimento das regras, o que trouxe redução da violência, inclusive do número de homicídios”, disse a parlamentar do PPS.

O ministro Osmar Terra mostrou pesquisas e levantamentos realizados em diversas partes do mundo que mostram que a solução para diminuição da criminalidade foi alcançada em lugares onde houve a adoção de regras mais severas contra traficantes e o tratamento adequado com o usuário de drogas. Segundo Terra, não há tratamento eficiente, onde se flexibiliza a abstinência do consumo entre os pacientes.

Ao final, o ministro elogiou o trabalho da Comissão Externa.

“Na ausência de uma lei mais firme, mais dura, e mais exigente contra as drogas, a situação está se deteriorando. O trabalho da deputada Eliziane e dos parlamentares desta comissão vai mostrar isto: que precisa ter um novo corpo de leis para enfrentar esta gravíssima epidemia de drogas e de violência que assola o Brasil”, afirmou Osmar Terra.

A deputada Eliziane afirmou que a comissão sob sua coordenação realizará outros debates sobre o tema para buscar uma proposta eficaz para resolver o grave problema das drogas no país.

A parlamentar disse que é preciso que os poderes Legislativo e Executivo, com a participação da sociedade civil, se envolvam para resolver a epidemia do consumo de drogas em todos os estados, sem exceção.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, o Brasil é um dos países que tem a maior fronteira com produtores de drogas, que “todos os dias inundam nosso país com substâncias ilícitas”.

Encapetado, bandido diz que seu ‘trampo’ é “traficar, roubar e destruir”

“Pense numa entrevista sem futuro!”. Esse foi o comentário do repórter Domingos Ribeiro (Mirante AM) ao radialista Roberto Fernandes no programa Ponto Final de hoje, após a entrevista com Roniglaydson Rodrigues Pinheiro, preso na madrugada de hoje na Santa Clara.

Tudo porque em tom irônico, mas convicto e de uma ignorância irredutível, o bandido disse que sua profissão é “Traficar, roubar e destruir”. Atenção leitor, ele classificou seus atos como uma profissão, é brincadeira?

De acordo com a polícia, Rodrigues e um comparsa foram acusados de roubarem uma motocicleta na noite de ontem na Cidade Olímpica. Roninglaydson foi encontrado horas depois, dormindo tranquilamente e com a moto estacionada em sua casa.

Ele ainda teve a ousadia de afirmar que não ficaria preso por muito tempo por contar com a proteção do autor da vida. “A polícia não tem prova que roubei a moto. Quero ver essa pessoa que está me acusando dizer que roubei a moto dele. Não vou ficar preso porque Deus não vai deixar”. Ele completou, à respeito da prisão. “Nem toda vez está para se ganhar uma parada”.

A respeito de sua trajetória “profissional”, o criminoso afirmou ter começado no tráfico de drogas. “Como não deu certo, entrei na onda de roubar. E como a vida de ladrão é assim, nem toda vez o cara ganha. O cara também perde”, disse.

Roniglaydson já esteve preso por 11 meses na Penitenciária de Pedrinhas, acusado de tráfico de drogas.