Projeto de Wellington exige relatório de viagens oficiais do governador

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) apresentou na Assembleia Legislativa do Maranhão o Projeto de Lei N.º222/2017, que obriga o Governo do Estado do Maranhão a publicar relatório referente às viagens oficiais realizadas pelas autoridades de primeiro escalão do Poder Executivo.

Ao defender o projeto, o deputado Wellington defendeu a transparência enquanto pilar da Administração responsável.

“A transparência na utilização dos recursos públicos deve ser princípio norteador da ação dos Governos. Assim, é de fundamental importância que o Governo amplie os mecanismos de transparência, conferindo ao cidadão a possibilidade de acompanhar e fiscalizar suas ações de maneira simples e direta. A criação do Relatório de Viagem Oficial permitirá à população não apenas acompanhar os gastos do Governo com viagens oficiais, mas também verificar se tais gastos trouxeram impactos positivos para o Estado”, disse Wellington.

De acordo com o projeto, o relatório deverá conter, pelo menos, as seguintes informações :nome das autoridades e demais membros da delegação;cargo ocupado pelos agentes públicos que participarem da delegação; destino da viagem; período, objetivo e despesas da realização da viagem.

Ascom

Flávio Dino dá expediente na Embratur para “ler e-mails”

Flávio Dino reserva agenda para ler emails

Flávio Dino reserva agenda para ler emails

Poucos levaram em consideração, mas provoca no mínimo estranheza um detalhe na agenda oficial do presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), o que parece inclusive ser uma das rotinas do comunistas em dias de expediente, em Brasília.

O documento que consta no Portal da Transparência do Governo Federal destaca expediente para “leitura e resposta de e-mails, documentos internos e correspondência”.

Ora, não acredito que o presidente da Embratur realmente reserve espaço em sua agenda em um dos institutos de maior importância estratégica para o turismo do país, para simplesmente ler e responder e-mails. Mas é o que diz a própria Embratur.

Ler email talvez seja hoje uma das atividades [se assim o presidente considera], mas fáceis e dinâmicas para qualquer profissional desempenhar, seja qual for o cargo que ocupe. Essa “leitura diária” do correio eletrônico pode ser feita até pelo celular e em qualquer canto do país, algo simples, prático e fácil. Da mesma forma como ele utiliza o twitter, quase que 24 horas por dia, para expressar os seus mais diversos sentimentos e inquietações.

O fato é que o presidente da Embratur reserva sim em sua agenda, espaço para somente ler e-mails. O problema, no entanto, é que nem isso as vezes é cumprido – como mostra reportagem de O Estado e como contesta o deputado federal Chiquinho Escórcio (PMDB) -, pois ao invés de estar em seu gabinete despachando o correio eletrônico, ele desembarca no Maranhão.