Demandas sem respostas

Edivaldo-Holanda-Junior-preside-CLPMatéria publicada ontem em manchete de primeira página em O Estado informou que a maioria dos requerimentos enviados pela Câmara Municipal com solicitação de melhorias de infraestrutura em bairros não obtém resposta da Prefeitura de São Luís. Assinada pelos repórteres Mario Carvalho e Gisele Carvalho, a reportagem revela que o Legislativo já encaminhou mais de 800 pedidos ao Executivo este ano. Entre os poucos já atendidos, quase todos foram formulados por vereadores aliados ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), um claro indício de que o favorecimento político prevalece sobre o interesse coletivo na relação entre os dois poderes.

Há requerimentos com pedidos de melhorias na Vila Nova República, próxima ao Maracanã, Primavera, Bom Jesus, Vila Embratel, Santa Clara, entre dezenas de outras localidades. Enquanto a Prefeitura ignora as solicitações dos vereadores, moradores desses bairros sofrem com a buraqueira, lamaçais, acúmulo de lixo e diversos outros incômodos. Líder da oposição na Câmara, o vereador Fábio Câmara (PMDB) diz que a situação é grave e que nada justifica a falta de resposta do Executivo aos requerimentos. Sebastião Albuquerque (DEM) emenda: “Ao que parece, alguns requerimentos que são atendidos decorrem da estreita relação entre quem é o prefeito e quem é de sua base aliada”.

Caso atendesse às demandas encaminhadas pelos vereadores, o Executivo não só daria uma demonstração de respeito ao Legislativo como não deixaria dúvida sobre o seu compromisso com o bem-estar da população. Mas como adota postura exatamente inversa, a Prefeitura dá a impressão de que tais melhorias não são prioridades. Há ainda um agravante: o fato de os problemas estarem devidamente identificados pelos requerentes e de serem, em geral, de fácil solução, o que reforça a ideia de descaso.

Um caso emblemático é o do logradouro batizado por populares de Praça do Jegue, na Avenida Camboa, onde carroceiros põem seus animais para descansar e se alimentar e que por isso exala um fedor insuportável de urina e fezes de asininos. Originalmente, o espaço serviria ao lazer da comunidade, mas foi transformado em um ambiente sujo e fétido ao longo dos anos. Preocupado com a situação, o vereador Pedro Lucas Fernandes (PMDB) apresentou requerimento com pedido de melhorias para o espaço, que, além da sujeira e do mau cheiro, está com o calçamento destruído. Fernandes solicita ainda a destinação de uma área aos carroceiros. Lamentavelmente, nenhum dos pleitos foi atendido até o momento.

As melhorias propostas pela Câmara à Prefeitura são essenciais à vida de dezenas de milhares de cidadãos. Por isso mesmo não dá para entender por que o prefeito Edivaldo Júnior as ignora, aumentado ainda mais seu desgaste perante a população. O tema, com certeza, requer uma discussão aprofundada, para que se apontem as razões de tanta negligência. Os próprios vereadores poderiam fazer um esforço conjunto neste sentido, expondo com mais ênfase à sociedade o quanto a administração municipal despreza o seu trabalho.

Abordada em pleno aniversário de 401 anos de São Luís, a questão não poderia ser mais oportuna, pois deixa clara a omissão da Prefeitura em relação a problemas identificados pelos vereadores, cuja solução, na grande maioria dos casos, é simples e requer apenas boa vontade.Matéria publicada ontem em manchete de primeira página em O Estado informou que a maioria dos requerimentos enviados pela Câmara Municipal com solicitação de melhorias de infraestrutura em bairros não obtém resposta da Prefeitura de São Luís. Assinada pelos repórteres Mario Carvalho e Gisele Carvalho, a reportagem revela que o Legislativo já encaminhou mais de 800 pedidos ao Executivo este ano. Entre os poucos já atendidos, quase todos foram formulados por vereadores aliados ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), um claro indício de que o favorecimento político prevalece sobre o interesse coletivo na relação entre os dois poderes.

Há requerimentos com pedidos de melhorias na Vila Nova República, próxima ao Maracanã, Primavera, Bom Jesus, Vila Embratel, Santa Clara, entre dezenas de outras localidades. Enquanto a Prefeitura ignora as solicitações dos vereadores, moradores desses bairros sofrem com a buraqueira, lamaçais, acúmulo de lixo e diversos outros incômodos. Líder da oposição na Câmara, o vereador Fábio Câmara (PMDB) diz que a situação é grave e que nada justifica a falta de resposta do Executivo aos requerimentos. Sebastião Albuquerque (DEM) emenda: “Ao que parece, alguns requerimentos que são atendidos decorrem da estreita relação entre quem é o prefeito e quem é de sua base aliada”.

Caso atendesse às demandas encaminhadas pelos vereadores, o Executivo não só daria uma demonstração de respeito ao Legislativo como não deixaria dúvida sobre o seu compromisso com o bem-estar da população. Mas como adota postura exatamente inversa, a Prefeitura dá a impressão de que tais melhorias não são prioridades. Há ainda um agravante: o fato de os problemas estarem devidamente identificados pelos requerentes e de serem, em geral, de fácil solução, o que reforça a ideia de descaso.

Um caso emblemático é o do logradouro batizado por populares de Praça do Jegue, na Avenida Camboa, onde carroceiros põem seus animais para descansar e se alimentar e que por isso exala um fedor insuportável de urina e fezes de asininos. Originalmente, o espaço serviria ao lazer da comunidade, mas foi transformado em um ambiente sujo e fétido ao longo dos anos. Preocupado com a situação, o vereador Pedro Lucas Fernandes (PMDB) apresentou requerimento com pedido de melhorias para o espaço, que, além da sujeira e do mau cheiro, está com o calçamento destruído. Fernandes solicita ainda a destinação de uma área aos carroceiros. Lamentavelmente, nenhum dos pleitos foi atendido até o momento.

As melhorias propostas pela Câmara à Prefeitura são essenciais à vida de dezenas de milhares de cidadãos. Por isso mesmo não dá para entender por que o prefeito Edivaldo Júnior as ignora, aumentado ainda mais seu desgaste perante a população. O tema, com certeza, requer uma discussão aprofundada, para que se apontem as razões de tanta negligência. Os próprios vereadores poderiam fazer um esforço conjunto neste sentido, expondo com mais ênfase à sociedade o quanto a administração municipal despreza o seu trabalho.

Abordada em pleno aniversário de 401 anos de São Luís, a questão não poderia ser mais oportuna, pois deixa clara a omissão da Prefeitura em relação a problemas identificados pelos vereadores, cuja solução, na grande maioria dos casos, é simples e requer apenas boa vontade.

Editorial de O Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *