Reajuste da tarifa de ônibus não tem razão de ser…

Tumulto e falta de organização continua nos terminais de integração da capital

Tumulto e falta de organização continua nos terminais de integração da capital

O reajuste da tarifa de ônibus autorizada ontem pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) foi mais um abuso cometido contra o usuário do sistema de transporte público da capital, e não tem razão de ser.

A Prefeitura de São Luís sustenta o argumento de que o aumento era inevitável, tendo em vista o investimento que tem sido feito pelos empresários, com a compra de novos veículos.

Retórica apenas. Uma tentativa de confundir a opinião pública.

Primeiro ato de Edivaldo foi fortalecer o segmento...

Primeiro ato de Edivaldo foi fortalecer o segmento…

Em junho do ano passado [ou seja, em menos de um ano], após greve e crise entre empresários, trabalhadores e o Executivo Municipal, Edivaldo determinou o aumento da tarifa de ônibus em R$ 0,30 centavos, justamente com o argumento de que o valor seria utilizado a partir de então, pelos empresários, para a compra de novos veículos.

Foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto ao Ministério Público Estadual, e os ônibus novos começaram a ser comprados. Com o atraso de sempre, diga-se de passagem. Somente no início deste mês a maior parte dos veículos foi apresentada pelas empresas.

O aumento anunciado ontem, portanto, em nada se relaciona com a compra desses veículos. Foi para este fim que em junho de 2014 as tarifas foram reajustadas. Essa é a verdade.

Traumática entrevista de Roberto Rocha, em dezembro de 2012, já anunciava articulação...

Traumática entrevista de Roberto Rocha, em dezembro de 2012, já anunciava articulação…

Ocorre que desde o início do mandato de Edivaldo Holanda Júnior, há uma relação no mínimo estranha entre ele e os proprietários das empresas de ônibus.

Em dezembro de 2012, quando o prefeito ainda nem havia assumido, o então vice-prefeito e hoje senador, Roberto Rocha (PSB), em entrevista ao titular do blog, argumentou “prejuízos financeiros das empresas” e admitiu um possível reajuste na tarifa.

Edivaldo negou. Mas, mês seguinte, após tomar posse, o prefeito nomeou como secretária de Trânsito e Transportes, Myriam Aguiar, ligada ao setor e responsável pela articulação direta do primeiro reajuste nas tarifas. Depois disso, ela deixou a pasta, para Fabíola Aguiar, também ligada direta ou indiretamente ao setor, assumir a SMTT.

Estava ali concretizada a relação do prefeito com o segmento.

Edivaldo também resistiu bastante e continua resistindo em promover uma concorrência pública transparente para as linhas de ônibus da capital. Ele sempre desvia o foco, ou evita o tema, quando questionado a esse respeito. E não é preciso muito esforço para entender o porquê de tudo isso.

A verdade é que há muito na relação entre Prefeitura e o empresariado do transporte rodoviário de São Luís. E basta analisar os fatos.

8 pensou em “Reajuste da tarifa de ônibus não tem razão de ser…

  1. Olha que não tá fácil, com aumento de tudo: gasolina, cesta basica e outros serviços pelo governo, somado a falta de noção desses empresários, fica bem complicado achar outra saída.

  2. Acho que devemos lutar é contra o governo corrupto do pt, que ferrou bonito com todos nós com esses aumentos de impostos, luz, inflação, preços dos produtos e serviços em geral. ai claro que repercute em todos os setores.

  3. Edivaldo decepcionou a população de São Luís. Não existe mudança alguma. Quer dizer, se existe é para pior. Lamentável. Espero que Flávio Dino seja diferente no Governo, até pq esse aí ta longe de ser um bom prefeito

  4. Vergonha! #VEMPRARUASLZ
    Não podemos cruzar os braços, vamos manifestar toda a nossa indignação com essa palhaçada. Não ao aumento, não ao abuso, não à decisão unilateral.
    Vem pra rua com a gente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *