Redenção de nada

A parceria que seria a redenção de São Luís vem sendo propalada desde o ano passado, mesmo antes do resultado da eleição estadual, tanto pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior quanto pelo então candidato a governador Flávio Dino. Ambos garantiam à já descrente população da capital que, juntos, Estado e Prefeitura transformariam a cidade num lugar bem melhor para se viver.

Eleito o governador aliado, Holanda Júnior continua à espera da tão sonhada parceria. Já foi ao Palácio dos Leões, já recebeu o aliado no Palácio La Ravadiere, já posou em várias solenidades com seu padrinho político, mas na prática, até agora, nada mudou para o prefeito de São Luís.

Nos últimos dias, nem com a imagem do governador ao seu lado ele contou quando viu alagado o Hospital da Criança, nem quando os numerosos assaltos aumentaram a insatisfação dos usuários com o sistema de transporte coletivo.

Agora, para piorar a situação, começam as cobranças pelo asfaltamento das ruas, já que há dias foi anunciada, com pompa e circunstância, a liberação de R$ 20 milhões do governo estadual para a Prefeitura de São Luís acabar com o tormento de quem precisa trafegar diariamente por vias esburacadas.

Mas eis que surge o deputado Edivaldo Holanda, pai do prefeito, para dizer a verdade sobre a primeira efetiva parceria: “R$ 20 milhões, em seis parcelas, não dá para asfaltar nem a Vila Embratel, não é redenção de nada”.

Pelo visto, ainda não será dessa vez que o ludovicense sentirá o benefício de ter gestores parceiros no comando da Prefeitura de São Luís e do Governo do Maranhão.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *