Perdendo valor

sssss

Roberto Rocha perdeu a batalha para Dino / Imagem da campanha eleitoral de 2012

O fim do prazo para as convenções partidárias e as sucessivas idas e vindas do partido – com indefinição até mesmo sobre uma candidatura própria, de Bira do Pindaré, que registrava algo em torno de 10% das intenções de votos – diminuíram o tamanho do PSB maranhense em comparação com o início das articulações partidárias para as eleições de São Luís.

Tumultuados por uma disputa estadual entre o prefeito de Timon, Luciano Leitoa, que preside o partido no estado, e o senador Roberto Rocha, principal representante da legenda em Brasília, os socialistas vinham bem até meados de junho, quando se encaminhavam para uma anunciada aliança em torno da candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS). Mas, de repente, tudo mudou.

Em entrevista a O Estado, Rocha negou que estivesse articulando com Eliziane, desqualificou a candidatura de Wellington do Curso (PP) e decidiu reavivar a aliança com o prefeito Edivaldo Júnior (PDT), garantindo nunca ter rompido com ele, mas apenas divergido. E isso justamente no momento em que o PT também anunciava aliança com o pedetista, pedindo o vice.

Nestas últimas três semanas, o PSB só experimentou revezes. Não conseguiu viabilizar o vice de Edivaldo, tentou se reaproximar de Wellington do Curso, voltou a namorar com Eliziane Gama e aguardou, em vão, sinalização de Edivaldo Júnior. Para completar, o grupo de Rocha viu Bira do Pindaré desistir da candidatura própria, diminuindo ainda mais o poder de fogo da legenda, às vésperas do fim do prazo para fechamento de coligações.

O PSB está agora entre Eliziane Gama, noiva com quem rompeu já quase no altar, e Wellington do Curso, com quem diz ter, sequer, cogitado a namorar. E só tem até amanhã para se definir. Com o valor já bem menor no campo de apostas.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *