Sugestões e práticas

Os números do governo do Maranhão deverão ser o contraponto às opiniões do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Após ser confrontado por um jovem do Movimento do Brasil Livre (MBL) sobre o aumento de impostos em sua gestão, Dino ontem voltou a ser confrontado devido a críticas à situação econômica no Brasil.

O governador do Maranhão, em seus perfis nas redes sociais, fez sugestões ao presidente Bolsonaro de ações que devem ser tomadas para contribuir para que a economia do país volte a crescer.

Dino citou redução de juros, políticas voltadas para as famílias endividadas e mais crédito para empresas. Exatamente tudo ao contrário do que o próprio governador fez no Maranhão no seu primeiro mandato e início de segundo agora em 2019, segundo lembrou o deputado estadual Adriano Sarney (PV).

Aumento de impostos, economia fraca com aumento de desemprego e falta de obras públicas estruturantes são críticas que o governador do Maranhão enfrenta dos seus oposicionistas no estado. Parece que o jogo político demonstra que nem tudo que se diz, se coloca em prática. Nem em Brasília e nem no Maranhão.

Mais comparações – Adriano Sarney lembrou ainda que no Maranhão houve uma redução do Produto Interno Bruto (PIB) nos anos de 2015 e 2016 de quase 10%.

Os dados apresentados pelo deputado são contestados pelo governo estadual, que garante que o IBGE mostrou o contrário no fim de 2018.

Na verdade, o governo estadual utilizou dados municipais entre os anos de 2014 a 2016 para tentar mostrar aumento no percentual do PIB.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *