Flávio Dino tenta faturar e é desmascarado sobre posse de policiais com deficiência

O governador Flávio Dino (PCdoB) utilizou o seu perfil em rede social para tentar “faturar” sobre a nomeação de policiais militares com deficiência na corporação do Maranhão.

Ocorre que a inclusão de militares com deficiência no edital de concurso público somente foi possível por meio de decisão judicial da Defensoria Pública contra o Estado.

“Com os novos 180 policiais militares do Maranhão uma novidade: pela 1ª vez, pessoas com deficiência tiveram acesso à carreira. Não há limites quando se tem a dimensão da inclusão e da igualdade substantiva”, disse o comunista.

Precisou ser desmascarado por um servidor da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, onde tramitou ação ingressada pela Defensoria Pública contra o Estado.

“O acesso a pessoas com deficiência à carreira de policial militar foi garantido por meio de acordo na Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís em ACP ajuizada pela Defensoria contra o Governo do Maranhão”, afirmou Herberth Machado.

Flávio Dino, depois dessa, silenciou…

Deputados pressionam Governo por recursos ao Aldenora Bello

O ESTADO – O Governo do Maranhão foi fortemente pressionado ontem por lideranças de diversos matizes políticos a garantir repasse de recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer para viabilizar a reabertura do serviço de pronto atendimento do Hospital do Câncer Aldenora Bello.

A instituição, filantrópica, anunciou a suspensão de atendimentos em virtude de problemas financeiros para a realização de reparos, principalmente em motores de ar comprimido. Desde a semana passada, segundo apurou O Estado com médicos da unidade, algo em torno de 120 procedimentos já foram adiados.

Em entrevista ao Bom Dia Mirante, na manhã de ontem, o deputado federal Eduardo Braide (PMN) voltou a cobrar a liberação dos recursos do fundo.

“Nada disso precisaria estar acontecendo, porque aqui no Maranhão existe o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, que arrecada dinheiro de impostos da venda de cigarros e derivados de tabaco e de bebidas alcoólicas, e esse recurso deve ser utilizado exclusivamente em ações de tratamento do Câncer. Recurso que deveria ter sido repassado todo mês ao Hospital Aldenora Bello, para que não acontecesse essa situação. Nós temos milhões depositados em uma conta do Governo do Estado sem que esse recurso seja repassado ao hospital”, destacou.

Confrontado com a explicação do governo de que a liberação da verba necessita de aprovação de um conselho consultivo, ele destacou que, no ano passado, já houve repasse desse tipo, o que não justificaria haver dificuldade para se repetir a operação agora. O parlamentar lembrou, ainda, que há mais de R$ 3 milhões aplicados e cobrou o estabelecimento de um plano de repasse mensal dos recursos.

“No ano passado, foram repassados recursos do fundo da ordem de mais de R$ 3 milhões ao Hospital Aldenora Bello. Se foi repassado no ano passado, porque não houve planejamento para que fosse repassado neste ano, mês a mês”, completou.

Promessa

Na Assembleia, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) ressaltou que o assunto já havia sido apresentado ao Executivo em reunião no mês de abril, que hou­ve promessa de liberação da ver­ba, mas que as promessas do governo não foram cumpridas.

“Em abril deste ano, eu fiz um pronunciamento aqui em que eu fazia exatamente a mesma reclamação: a falta de repasse do Governo Estadual ao Hospital Aldenora Bello. E, naquele dia, o Governo do Estado mandou uma informação de que tinha sentado com os diretores do Aldenora Bello e que tinham feito um acordo com toda a diretoria do hospital de que o repasse ia ser normalizado e que as parcelas do Fundo Estadual e os Convênios Estaduais seriam feitos de forma normal. E, assim, conseguiu com que o Hospital Aldenora Bello retomasse o pronto atendimento. Só que essa promessa do Governo durou apenas um mês, porque ela não foi cumprida”, revelou.

Também em pronunciamento na Assembleia, o deputado Yglésio Moyses (PDT), membro da base aliada ao Palácio dos Leões, apresentou pontos de defesa do governo.

Segundo ele, há problemas com a lei de criação do Fundo de Combate ao Câncer, o que, segundo ele, tem travado a liberação da verba. “O Fundo, na Lei Complementar nº 170, o que ele diz? Que o recurso tem que ser usado para ações de prevenção. E aí se criou um impasse, porque, com a lei complementar, se criou um conselho consultivo do fundo também. E nele colocaram, de maneira, obviamente, inconstitucional, a presença de um representante do Ministério Público. E ainda não houve alguém que, de fato, pegasse para si para enfrentar o problema e ver que tem uma inconstitucionalidade na lei”, ponderou o pedetista, acrescentando que apresentou indicação ao governador para que sejam feitas alterações à lei.

Fundação Jorge Dino emite nota

Em nota emitida ontem, a Fundação Antônio Jorge Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello, isentou o Governo do Maranhão de responsabilidade no caso e pontuou que a defasagem dos valores repassados pelo SUS é o principal motivo para a crise. “Por se tratar de instituição filantrópica, seu atendimento é majoritariamente voltado para os pacientes do SUS. […] Tal fato, porém, não exclui dois fatores importantes a serem considerados: o déficit dos valores pagos pelo SUS em relação ao custo real dos procedimentos e o tempo decorrido para seu recebimento”, diz o comunicado.

Deputados criticam SSP após explosão de bancos em Tutóia

Os deputados Wellington do Curso (PSDB) [estadual] e Edilázio Júnior (PV) [federal], apontaram fragilidade do comando da Segurança Pública do Maranhão após uma quadrilha ter provocado pânico na cidade de Tutóia, durante a madrugada de ontem, com a explosão de três agências bancárias.

Wellington cobrou do governador Flávio Dino (PCdoB) a nomeação de 1.750 soldados aprovados em concurso público e com formação já concluída na Polícia Militar e solicitou ao Executivo, um relatório com as ações desenvolvidas no combate à criminalidade.

“No Maranhão a segurança só existe na propaganda. Até hoje, os 1.750 soldados formados e não nomeados da Polícia Militar aguardam a boa vontade de Flávio Dino. Enquanto isso, bandidos explodiram três agências bancárias e fuzilaram até o carro da PM. Isso é Segurança, governador? É essa a Segurança do Maranhão? Solicitamos que o Governo encaminhe relatório com as ações que tem adotado para combater a criminalidade no Maranhão. Afinal, quem sofre com a criminalidade é a população”, disse.

Wellington também cobrou a concretização de uma proposta dada por ele ao Executivo, que trata de uma ação mais enérgica da Segurança Pública do Maranhão na divisa com os estados vizinhos.

“Nós já cobramos aqui e apresentamos solução. Nós já apresentamos a solução ao governador Flávio Dino de colocar barreiras policiais nas fronteiras (sic) [divisas] do Maranhão com o Piauí, do Maranhão com o Tocantins e do Maranhão com o Pará. Mas, nada disso foi feito. O que o governador quer fazer é tomar carro e moto do trabalhador maranhense. É só isso que ele sabe fazer”, pontuou, ao fazer referência as blitze para o recolhimento de veículos.

Terror

Edilázio Júnior, por sua vez, utilizou o seu perfil em rede social para criticar a gestão de Segurança Pública do estado.

Ele lembrou que somente este ano, mais de 20 crimes deste tipo já foram registrados no estado.

“Mais uma noite de terror em mais um município do Maranhão. Dessa vez explodiram três bancos de uma vez só em Tutóia. Isso só comprova que a segurança do estado é ineficaz, já são mais de 20 casos só em 2019”, enfatizou.

De acordo com o Sindicato dos Bancários do Maranhão, 30 agências bancárias já foram alvo de bandidos em 2019. Em 2018 foram 21 as explosões de bancos.

Além das explosões, também houve registros de tentativas de assaltos e de explosões. Em praticamente todos os casos, cidadãos e/ou funcionários de bancos foram feitos reféns.

Reportagem de O Estado

Prefeitura inicia trabalho de recuperação da Av. Guajajaras

O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) segue com o planejamento do programa São Luís em Obras e está executando três frentes de pavimentação em regiões de grande fluxo populacional e de veículos. Nesta sexta-feira (27) começou a implantação de novo asfalto na Avenida Guajajaras.

Na via os trabalhos passam a ser executados 24h para que sejam concluídos o mais breve possível. Durante o dia serão asfaltados os trechos fresados – serviço que retira as ondulações, a camada asfáltica danificada e faz o nivelamento antes da aplicação do novo pavimento – e ao longo da noite novos trechos são preparados para receber o asfaltamento.

As faixas de rolamento dos quase 4 quilômetros de extensão da via (8 quilômetros ida e volta) serão totalmente recuperadas, o que vai tornar o tráfego de veículos mais ágil e seguro. Serão executadas ainda a recuperação de sarjetas e meios-fios.

Na região do Vinhais, onde foi lançada a frente de pavimentação do programa São Luís em Obras, as avenidas 02 e 04, todo o entorno da Praça do Letrado entre outras vias já receberam nova pavimentação. Ao todo mais de 60 ruas e avenidas serão recuperadas, totalizando mais de 16 quilômetros de novo asfalto. Na região do Cohatrac as obras já estão praticamente finalizadas na Avenida Contorno Sul e agora seguem para as mais de 40 vias, no total de cerca de 12 quilômetros de novo asfaltamento.

Edivaldo já confirmou que a Cidade Operária, Zona Rural e Anjo da Guarda estão entre as muitas regiões da cidade já incluídas na programação de obras da Prefeitura.

Eliziane critica discurso de Bolsonaro em evento da ONU

A senadora maranhense do Cidadania, Eliziane Gama, criticou o discurso adotado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), quando do encontro da ONU, em Nova York, nos EUA.

Eliziane entende que Bolsonaro deveria ter aproveitado a oportunidade para fazer um discurso mais conciliador. A senadora entende que o discurso foi imprudente e que arranhou a imagem internacional do Brasil.

“Se perdeu uma oportunidade única e se preferiu apostar na divisão, no obscurantismo, nos clichês sem nenhuma base científica. Lamento que a imagem internacional de nosso país tenha sofrido mais ainda com esse imprudente discurso. O Brasil precisava na assembleia geral da ONU construir um discurso tranquilizador, que fomentasse a conciliação e buscasse passar uma mensagem altiva ao mundo, que era a de que protegemos o nosso meio ambiente e que cumpriremos os acordos internacionais em que somos signatários”, destacou Eliziane Gama nas redes sociais.

Nas redes sociais, Bolsonaro deixou claro que a intenção foi levar a palavra firma do Brasil a ONU.

Informações de Jorge Aragão

Flávio Dino a Haddad: “Vamos vencer a eleição 2022”

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e Fernando Haddad (PT) se reuniram na segunda-feira em São Paulo e falaram sobre a movimentação da esquerda para as eleições 2022.

Dino participou como convidado do programa Painel Haddad apresentado nas redes sociais e se posicionou de forma otimista em relação ao pleito presidencial que ocorrerá em 3 anos.

“Temos a eleição de 2020, e acredito que vamos vencer. Teremos um resultado bastante bom em 2020, teremos muitas vitórias de prefeituras, vamos trabalhar para isso. E vamos vencer a eleição presidencial em 2022, tenho certeza disso”, afirmou Dino a Haddad.

Dino também reforçou a importância da formação de uma frente ampla, que una a esquerda contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. “Temos esta tarefa, da unidade, e creio que temos avançado nesse sentido. Há um clima de muita cortesia entre várias lideranças, e isso é uma pré-condição – a conversa, o diálogo”, disse.

A informação é do Portal Vermelho

Deputado afirma que CNJ vai apurar transferências na UEMA de Caxias

O deputado estadual César Pires (PV), ex-reitor da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), afirmou que o caso denunciado por ele próprio, de transferências de estudantes para ingresso no curso de Medicina na cidade de Caxias, deve ser apurado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O parlamentar protocolou denúncia no CNJ e na Corregedoria do Tribunal de Justiça do Maranhão. A suspeita é de que há participação de servidores do Judiciário nas transferências “irregulares”.

“Iremos continuar atentos a essa problemática e vamos juntamente com a Assembleia Legislativa levar o caso ao CNJ e a Corregedoria do TJ. O que não podemos é ficar de braços cruzados diante dessa situação, de um curso extremamente importante”, afirmou.

Após a declaração do parlamentar a Corregedoria-Geral de Justiça do Maranhão determinou a abertura de sindicância para apurar a possível responsabilidade funcional na concessão das liminares para as transferências ao curso de Medicina.

Flávio Dino vai a São Paulo e dá entrevista a Haddad

Ministros discutem plano de ação para a Amazônia

Em meio às discussões da classe política em Belém sobre as queimadas na Amazônia – o presidente Jair Bolsonaro levou cinco ministros para agenda que será realizada amanhã em Belém -, o governador Flávio Dino decidiu se deslocar para São Paulo com o objetivo de participar de evento político com a esquerda do país.

O encontro será realizado em duas etapas, nesta segunda-feira no Pará e nesta terça-feira (03), no Amazonas. O objetivo é discutir soluções estruturantes para os problemas da Amazônia, principalmente a questão das queimadas.

Flávio Dino confirmou nas redes sociais agenda em São Paulo para tratar sobre “investimentos no Maranhão”.

O compromisso do comunista, contudo, não tem relação alguma sobre a discussão de investimentos para o Maranhão. Ele participa de debates na PUC e uma entrevista com o candidato derrotado a presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, organizado pelo movimento de esquerda política.

Dino segue focado na disputa eleitoral de 2022.

Bolsonaro oferece ajuda para o combate a queimadas no MA

O Governo Jair Bolsonaro (PSL) encaminhou ajuda para a identificação, controle e combate a focos de incêndios na Amazônia Legal no Maranhão. A medida ocorre após o Governo do Estado ter solicitado apoio à União.

A medida – que já havia sido anunciada por Bolsonaro durante o seu pronunciamento em rede nacional, na última sexta-feira -, foi confirmada pelo Governo do Maranhão, por meio de nota encaminhada a O Estado pela Secretaria de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap).

De acordo com a Secap, o Governo Federal ofereceu ajuda para conter os incêndios através de uma parceria com as Forças Armadas.

No sábado, por exemplo, o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão se reuniu com o Exército Brasileiro para a troca de experiências e articulação de ações conjuntas no combate às queimadas.

A atuação conjunta do Exército com o Corpo de Bombeiros é resultado também de uma exigência imposta pelo Governo Federal e confirmada em entrevista coletiva pelos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles e da Defesa, Fernando Azevedo e Silva na última sexta-feira.

Na ocasião os ministros cobraram a colaboração dos estados no combate às queimadas em todo o território da Amazônia Legal.

“Importantíssima a participação dos estados. Enfrentamos até agora muita dificuldade em relação a esse suporte estadual. Não é possível desenvolver essas atividades de controle e fiscalização a contento sem o apoio estadual”, disse Salles.

De acordo com Salles, na ocasião: “Todos os entes, não só a União, enfrentam sérias restrições orçamentárias. Temos pedido aos estados, desde o começo do ano, para que nos apoiem nas ações de controle e fiscalização do Ibama e do ICMBio”, disse, acrescentando que tais ações precisam das forças de segurança estaduais para serem realizadas.

Bombeiros

Além de garantir a ajuda oferecida pelo Governo Bolsonaro no combate às queimadas, o Governo do Estado também falou sobre as medidas de contenção já realizadas pelo Corpo de Bombeiros no Maranhão.

A O Estado, a Secap informou que o Batalhão de Bombeiros Ambiental (BBA), “atua em ações de identificação, controle e combate aos focos de incêndio florestal”.

E completou: “São grupos de pronta intervenção que se deslocam às áreas de incêndio em vegetação para auxiliar na operação de combate. A Corporação promove ainda campanhas educativas de prevenção a incêndios em vegetação”, destaca a nota.

A Secap também afirmou que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) possui parcerias combater queimadas no estado com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e os Bombeiros. “Realiza, também, ações de Educação Ambiental em parceira com as Prefeituras e ONGs, entre as quais, palestras e atividades em escolas”, completa a nota.

Informações de O Estado do Maranhão

Roberto Rocha ironiza gestão Flávio Dino: “conseguiu colocar o MA no vermelho””

O senador Roberto Rocha (PSDB) utilizou o seu perfil em rede social para ironizar a gestão do governador comunista Flávio Dino (PCdoB).

Roberto compartilhou uma imagem – recorte de trecho de uma reportagem da TV Globo -, que mostra a elevação dos gastos das contas públicas do Maranhão. Na imagem o estado aparece destacado na cor vermelha.

“Pronto! Flávio Dino conseguiu colocar o Maranhão no vermelho”, ironizou Rocha, numa referência à cor predominante da bandeira do PCdoB, partido político do comunista.