Escutec: Edivaldo sem influência na sucessão em São Luís

Pouco afeito ao contato direto com o cidadão de São Luís e sem poder de articulação política, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) aparece na primeira pesquisa de intenções de votos da Escutec/O Estado com quase nenhuma influência na sucessão do comando do Palácio La Ravardière.

Na pesquisa, apenas 12,7% dos eleitores consultados, disseram que votariam ‘com certeza’ em um candidato apoiado pelo pedetista; outros 25,5% declararam que ‘poderiam votar’; 9,1% disseram ser indiferentes e a maioria absoluta, 50,2% dos eleitores, afirmaram não votar ‘de jeito algum’ no candidato apoiado por Edivaldo Júnior. Não souberam ou não responderam, outros 2,5%.

O tópico registrado pela pesquisa, na verdade, é um retrato do que tem se observado do próprio esboço da disputa eleitoral.

Nenhum dos pré-candidatos apresentados até o momento, seja do PDT ou de outro partido alinhado ao grupo político do governador Flávio Dino (PCdoB), está diretamente ligado ou é fruto de uma articulação de Edivaldo.

Prestes a concluir o seu segundo mandato à frente do Executivo Municipal, o prefeito de São Luís não conseguiu estabelecer uma base política pelo menos razoável, que o credenciasse a bancar um candidato para a sua própria sucessão.

Um desempenho político risível, tal qual o administrativo, camuflado por uma fina camada de asfalto curiosamente distribuída agora…

Wellington quer melhorias para o município de Paço do Lumiar

Wellington do Curso

Wellington do Curso quer melhorias para o município de Paço do Lumiar

Na manhã desta terça-feira (23), o deputado Wellington do Curso (PPS) apresentou proposições em defesa da população de Paço do Lumiar, cidade localizada a 31 km da capital maranhense.

O parlamentar solicitou ao Governador do Estado a implantação de uma unidade do Viva Cidadão, tendo em vista a importância dos serviços prestados. Além disso,  solicitou ao Governador e ao Secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, que adotassem providências no sentido de incluir as vias do município no programa “Mais Asfalto”, enfatizando assim, a pavimentação das ruas da cidade.

“O município de Paço do Lumiar, localizado a 31 km da capital maranhense, é um dos mais populosos do Maranhão. No entanto, ainda há alguns desafios que devem ser superados. Nesse sentido, a implantação do Viva Cidadão seria de suma importância, tendo em vista a relevância dos serviços ofertados. Outra solicitação foi referente à pavimentação das ruas da cidade. Mais do que meras proposições, almeja-se à concessão de serviços que zelem pelo exercício da cidadania dos luminenses e, assim, pelo respeito que é devido a todo cidadão”, destacou Wellington.

O tamanho da mudança

Edivaldo Holanda Júnior acompanha obra no Vicente Fialho

Edivaldo Holanda Júnior acompanha obra de recuperação de via no Vicente Fialho

Aliados e assessores do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) se agarraram a uma “tese” na semana passada, quando da divulgação da pesquisa de opinião Escutec – que mostrou o petecista em desvantagem nas intenções de votos contra a deputada federal Eliziane Gama (PPS) em todos os cenários levantados -, para sugerir que os números não refletiam a realidade imediata, uma vez que na semana anterior, ele havia alavancado a sua imagem ao comandar uma maratona midiática de obras.

Para estes observadores, como a pesquisa foi realizada de 12 a 15 deste mês, e algumas das principais obras de Edivaldo foram inauguradas dias depois, é provável que numa nova pesquisa, ele alcance uma posição melhor nas intenções de votos.

Pode até melhorar, mas nada que seja significante.

Edivaldo aposta, na verdade, na velha forma de se fazer política, na velha forma de se fazer gestão e tentar assim alcançar a reeleição. Acredita que distribuir asfalto pela cidade, pintar meio-fio de avenidas e plantar placas deste tipo de serviço nas vias de maior circulação da capital, resolverá o seu problema. Não vai.

Já no terceiro ano de mandato, nenhuma das principais promessas de campanha foram cumpridas: Bilhete Único; GPS nas paradas de ônibus [ridículo diga-se de passagem]; construção do Hospital Dr. Jackson Lago; implantação do VLT; construção de vias de trânsito rápido; licitação das linhas de ônibus; construção de 19 creches; construção de novas escolas e por aí vai…

Nada disso foi feito. Mas, para assessores, aliados e talvez para o próprio prefeito, os últimos dias foram os mais produtivos desde o início de sua gestão. Nada mais medíocre. Isso apenas apequena o seu próprio governo.

Afinal, que dias mais produtivos foram esses?

Asfaltar a rua Aririzal e a principal avenida do Vicente Fialho não resolverá o problema da população. Na verdade, asfalto nunca foi e nem deve ser encarado como prioridade. É pequeno, básico, importante mas não primordial. Basta ver o que aconteceu com o ex-prefeito João Castelo (PSDB), que nos últimos meses de gestão se ‘danou’ a asfaltar bairros, e mesmo assim, não conseguiu a reeleição.

Edivaldo prometeu ações importantes na saúde e na educação do município. Cumprir isso seria o mínimo. Mas, até o momento, ele não teve a capacidade técnica e administrativa de deixar o legado para a cidade que o elegeu.

Constrói um mandato pobre, sem expectativas de melhoria e sem compromisso com a população.

E mesmo assim, acredita ter passado por uma “semana produtiva”, por entregar obras de recuperação de vias.

É esse é o tamanho da mudança?

Governo vai recuperar estrada que liga Quebra Pote à BR-135

Foto 1 Ordem de Serviço foto Antônio MartinsO secretário de estado de Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB), assinou, na tarde de ontem, na sede da Associação do Bumba Boi do Quebra Pote, ordem de serviço para recuperação asfáltica de mais de 12 quilômetros, na estrada que liga o povoado Porto, no Quebra Pote, zona rural de São Luís, à BR-135. O investimento do Governo do Estado na obra é de R$ 631.522,77. Também assinaram o documento os vereadores Francisco Carvalho (PSL), Bárbara Soeiro (PMN), Isaías Pereirinha (PSL) e Armando Costa (PSDC).

“A estrada foi feita há 14 anos dentro de São Luís, durante o 1º governo de Roseana Sarney, mas depois não teve conservação. Estamos aqui, atendendo a um pedido da comunidade e de vereadores da capital, para reconstruir e recuperar os 12 quilômetros da estrada beneficiando 12 comunidades, inclusive pequenos produtores e pescadores”, disse Luis Fernando.

O secretário lembrou que a empresa responsável pela obra já deu início aos trabalhos de recuperação, com a operação tapa-buracos, e que a zona rural é uma região importante para São Luís, pois é geradora de emprego e renda.

“A obra tem um sentido especial, por esta ser uma área de produção rural, e com a estrada funcionando fica mais fácil retirar daqui a produção agrícola, que é o sustento de muitas famílias. A estrada vai beneficiar aqueles que produzem e precisam escoar a produção, os jovens e crianças, que se deslocam daqui para estudar em outros bairros, e os pais e mães de famílias que passam o dia fora e precisam retornar em um transporte seguro, por um caminho seguro”, frisou Luis Fernando.

A vereadora Bárbara Soeiro afirmou que a estrada vai abrir caminhos em várias áreas beneficiando as comunidades. “Quando se tem estrada chega saúde, educação, respeito e dignidade para aquela população”. “A alegria maior de ver essa obra sendo realizada é para vocês que moram aqui, e graças à sensibilização do secretário Luis Fernando e do Governo do Estado, é possível ver que as ações já tiveram início e vão continuar”, complementou o vereador Francisco Carvalho.

Informações da Secom

Veja o presente de João Castelo para São Luís

Foto de Douglas Junior/ O Estado

Um ônibus da empresa Menino Jesus de Praga que faz linha São Bernardo/João de Deus, ficou com a parte traseira presa ao asfalto da nova Santos Drumont, ao tentar ter acesso a rua Slândia, na manhã de hoje. O para-choque ficou emperrado no solo, arrancando parte do asfalto. A avenida foi inaugurada no dia 8 de setembro, aniversário da cidade.

A situação, no mínimo bizarra, para não dizer triste, chamou a atenção de dezenas de moradores do bairro, que na semana passada assistiram a inauguração, com apresentações culturais e a presença do Prefeito João Castelo, que na ocasião afirmou ser este o presente para a cidade.

Cerca de 60 passageiros estavam no coletivo no instante do acidente. Eles esperaram 30 minutos para seguirem seus destinos em outro ônibus.

A ineficiência dos serviços públicos municipais mais uma vez veio à tona. É visível que o acesso ás ruas do bairro está completamente desproporcional com a largura/comprimento dos ônibus. Outros coletivos já haviam arrastado o fundo no mesmo ponto, mas só não ficaram presos pela quantidade menor de passageiros no interior do veículo.

Com o incidente, uma das faixas da avenida teve que ser interditada, até que o reboque da empresa fosse deslocada ao local. Alguns moradores, já desencantados com o “presente” de São Luís, protestaram contra a não conclusão das obras. Eles exigem que sejam feitas calçadas e instalados semáforos na via.