Em meio a ataques, Semed pede a gestores que guardem com segurança documentos das escolas

semed-oficioEm meio aos ataques criminosos contra ônibus, vans e sobretudo escolas da capital, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) encaminhou no início da semana a todas as unidades de ensino de São Luís, o Memorando Circular nº 24/2016 que, além de provocar polêmica revoltou professores e demais funcionários das escolas.

No memorando a secretária adjunto de Educação, Maria de Jesus Gaspar Leite alerta os gestores das unidades para que estes adotem “providências urgentes com a finalidade de salvaguardar os documentos das escolas, como também os registros escolares dos alunos”, tendo em vista os atos de vandalismos e ataques a escolas. Até ontem, 14 unidades haviam sido alvo de bandidos.

A secretária adjunto requisita também que os gestores “organizem os referidos documentos em local com a maior segurança possível, haja vista que os ataques concentram-se principalmente nas secretarias e locais de armazenamento de documentos”.

E finaliza da seguinte forma: “Na oportunidade, lembramos que, anualmente, as atas de resultados finais devem ser encaminhadas ao setor de Inspeção Escolar da Semed”.

Não há no documento, nenhuma informação a respeito de qualquer medida de segurança que porventura tenha sido adotada, ou que está sendo planejada pelo município para resguardar a integridade física de professores e alunos.

Não há no documento, qualquer demonstração de preocupação com o bem-estar dos servidores, dos estudantes e dos pais de alunos. Há tão somente preocupação com a documentação da escola.

Faltou no mínimo sensibilidade à gestão da Educação Municipal.

Lamentável.

Eliziane acusa Wellington por montagem sobre desistência de eleição

eliziane-montagem-2Gilberto Léda – A divulgação de uma série de pesquisas eleitorais na última semana – e, aparentemente, a confirmação de uma virada de Wellington do Curso (PP) sobre Eliziane Gama (PPS) – levou o debate em São Luís a um novo estágio.

Na manhã de hoje (10) a popular-socialista resolveu se posicionar sobre o boato de que ela teria desistido da candidatura para apoiar o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). O caso ganhou repercussão na sexta (9), a partir de uma montagem feita com o blog do Luis Pablo.

O blogueiro desmentiu neste sábado a suposta postagem e acusou a “turma criminosa” de Wellington pela montagem.

Eliziane endossou a tese: compartilhou a postagem do blogueiro em sua página oficial e esbravejou contra o adversário (e até contra institutos de pesquisa).

“A onda de mentira com matérias mentirosas, pesquisas forjadas e montagens está aí”, disse.

eliziane-montagemEsta é a primeira vez, efetivamente, que Eliziane Gama parte para o ataque contra Wellington do Curso nesta campanha.

A mudança de estratégia pode ser reflexo dos números.

De líder nas pesquisas até o fim do período pré-eleitoral, hoje ela está em terceiro, vendo a consolidação do candidato do PP em segundo, o que a forçou a uma correção de prumo.

Se até o início desta semana Gama tinha focado seu discurso nas críticas ao prefeito Edivaldo Júnior – mirando a possibilidade de chegar a um 2º turno colada com o pedetista, ou até à frente – , agora ela parece mais preocupada em não deixar o pepista desgarrar-se.

E, para isso, precisará intensificar o debate com o adversário direto. Exatamente como começou a fazer hoje cedo.

Ônibus vão circular normalmente amanhã em São Luís

NOTA SOBRE OPERAÇÃO DE ÔNIBUS NESTA QUINTA–FEIRA

O SET – Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luis informa que o sistema de transporte coletivo vai operar normalmente nesta quinta – feira (02.10.14) em São Luís.

Em reunião realizada na Secretaria de Segurança do Estado do Maranhão, o SET foi informado da prisão dos autores  dos incêndios ocorridos hoje (01.10.14).  Considerando a  resposta  imediata do Sistema de Segurança do Estado, o SET recomendou às  empresas que retomem os serviços amanhã (02.10.14) na sua totalidade.

 

Lobão diz que ataques a ônibus têm origem político-partidária

Reprodução TV Mirante

Reprodução TV Mirante

O senador Lobão Filho (PMDB), candidato ao Governo do Estado pela coligação “Pra Frente Maranhão”, afirmou ter convicção de que os ataques a ônibus em São Luís têm motivação política.

Ele afirmou ser no mínimo estranho, que os atos de terrorismo aconteçam justamente há duas semanas do pleito e disse entender que o objetivo é desgastar a imagem do Governo do Estado, que a poia a sua candidatura.

“São Luís está em estado de pânico. Acho anormais atos de terrorismo como esses ocorrerem  a duas semanas da eleição. Tenho convicção de que esse terrorismo tem origem partidária-eleitoral”, disse.

Lobão também pediu investigação do serviço de inteligência da Polícia Civil e a entrada da Polícia Federal no processo, para identificar os mandantes dos ataques em São Luís.

Para Lobão Filho, ataques de Dino refletem crise

De O Estado – O senador Lobão Filho, pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado,

Lobão Filho afirmou que Dino está em crise

Lobão Filho afirmou que Dino está em crise

criticou ontem o mais recente destempero verbal do seu adversário, Flávio Dino (PCdoB), e garantiu que não responderá às provocações. “Isso é o retrato da mudança de clima entre eles”, avaliou. Os ataques de Dino começaram no domingo, dia 22, na convenção estadual do PSDB, em Imperatriz, após proibir pesquisas que mostravam sua queda e ver esvaziado seus palanques, como o da convenção tucana.

O comunista insinuou que o senador não pode “falar em honestidade” e inventou uma condenação do pré-candidato governista, mesmo após a divulgação de uma certidão negativa emitida pela Justiça Federal em nome de Lobão.

“Eu posso falar em honestidade, porque eu nunca respondi a nenhum processo na vida, enquanto meu adversário carrega no seu currículo duas condenações criminais a penas altas, inclusive por malfeitos na sua vida”, afirmou Flávio Dino.

Para Lobão Filho, a queda nas pesquisas e a recente perda de apoio popular, aliadas ao fracasso da convenção do PSDB, mexeram com os brios do adversário. “Tenho convicção disso [de que o fracasso da convenção do PSDB, em Imperatriz, contribuiu para os mais recentes ataques sofridos]. O [prefeito Sebastião] Madeira criou, como sempre, uma expectativa muito grande, prometeu algo que não cumpriu, se vendeu como grande líder, levou a convenção para lá e acontece um desastre daqueles, um fiasco”, analisou, avaliando que o fracasso pode ter afetado o comunista.

Na convenção do PSDB, eram esperadas mais de duas mil pessoas, mas apenas 250, segundo avaliação dos presentes, foram ao ginásio.

Novos ataques – Lobão Filho acrescentou ter consciência de que novos ataques virão. “Cada semana é um factoide”, lembrou. “Estou preparadíssimo [para mais ataques] e muito tranquilo. Ele precisa tomar cuidado porque é, em potencial, o novo Demóstenes Torres do Maranhão. Vendeu a imagem de impoluto, de vestal e quando o povo descobrir que ele não é nada daquilo que vende, aí sim é que vai enlouquecer”, completou.

Ainda de acordo com o candidato, a reação dos comunistas contra uma pesquisa de intenção de votos que seria divulgada no fim de semana também “é sinal de que as coisas não andam bem do lado de lá”. “Flávio Dino impediu a pesquisa Econométrica por conta de uma pergunta que vinculava ele a Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso, e me vinculava a Lula e a Dilma, o que é absolutamente verdadeiro. Mas com base nisso ele entrou na Justiça”, disse.

Edilázio repudia ataques de Cutrim ao Governo do Estado e MP

Edilázio repreende Raimundo Cutrim

Edilázio repreende Raimundo Cutrim

O líder do Bloco Democrático na Assembleia Legislativa, deputado estadual Edilázio Júnior (PV), repudiou hoje na tribuna da Casa, os ataques do deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) à governadora Roseana Sarney (PMDB) e sua família. Cutrim chegou a acusar a chefe do Executivo de favorecer, com o uso da máquina, pré-candidatos ao Legislativo Estadual. Edilázio repreendeu e lamentou a postura de Cutrim.

O comunista havia subido na tribuna para cobrar o pagamento das emendas aos deputados que compõem a oposição na Casa. Mas, ao fazer o protesto, Cutrim acabou atacando a governadora e sua família – ao sugerir suposto uso de dinheiro público na pré-candidatura de Adriano Sarney -, a procuradora-geral de Justiça, Regina Rocha e o presidente da Assembleia, deputado Arnaldo Melo (PMDB).

Edilázio considerou legítima a defesa pelo pagamento das emendas parlamentares – que são definidas pelo Executivo –, mas criticou a forma com a qual o comunista expôs às suas reivindicações.

“Venho repudiar as palavras do deputado, ex-secretário, delegado federal Raimundo Cutrim. Seu posicionamento foi extremamente infeliz. Se ele tem opinião pessoal contra quem quer que seja do governo, devemos respeitar. Agora, falar da família Sarney, que não tem medo da família Sarney, venho sem preocupação defender, uma vez que jamais ouvimos falar de ameaça, ou de qualquer ato repressor por parte da família”, disse.

Edilázio também questionou a postura de Cutrim em relação aos demais membros da oposição e apontou a incoerência do parlamentar, que até o ano passado integrava a base do governo na Assembleia.

“Deputado Raimundo Cutrim não é mais oposição do que Marcelo Tavares, do que Rubens Júnior ou Othelino Neto. Não vejo nenhum deles usar palavreado chulo, palavreado torpe como ele utiliza e trata os colegas e as instituições”, afirmou.

O pevista ainda confrontou Cutrim em relação a cobrança pelas emendas parlamentares a oposição, feita somente agora, momento em que ele atua politicamente em grupo adversário.

“Cutrim até ontem era membro do primeiro escalão desse governo e nunca se preocupou com a oposição. Agora vem aqui dizer que quer que a governadora pague as emendas da oposição. Cutrim sempre foi muito privilegiado pelo Governo do Estado e sabe muito bem disso. Agora o desafio aqui e aposto o meu carro numa bicicleta, se assim ele quiser, se ele vai conseguir repetir a votação que teve nas últimas eleições”, finalizou.

 Ascom

Sejap suspeita de motivação política para motins e mortes em Pedrinhas

Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde dezenas de presos morreram em esquema

Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde dezenas de presos morreram em esquema

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária já trabalha com a hipótese de que houve motivação política para a série de barbáries no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

 Ontem o secretário Sebastião Uchoa revelou à imprensa que um preso de Pedrinhas utilizava um aparelho celular e trocava ligações diárias com a diretora do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Maranhão (Sindspem), Luana Furtado.

Luana é esposa de um ex-diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP), de Pedrinhas com fortes ligações ao núcleo do sindicato. O grupo de Luana é liderado por César Bombeiro, que por sua vez é aliado de Flávio Dino (PCdoB).

Segundo Uchoa, membros do sindicato dos agentes passavam instruções sobre como os presos deveriam se portar durante os motins. A intenção era instalar um clima de terror na capital e consequentemente provocar um abalo nacional à imagem do Governo do Estado. “Uma pessoa que trabalhava no Presídio São Luís ouviu conversas de um agente penitenciário dando orientações de como os presos deveriam se comportar para criar terrorismo no sistema penitenciário”, afirmou.

O esquema que provocou a morte de dezenas de presos – alguns covardemente decapitados -, é mais um escândalo a ser apurado pela polícia.

É gravíssima a descoberta de que membros do Sindspem estavam diretamente relacionados ao caos no sistema penitenciário.

Para quem não lembra, ao longo da primeira semana da crise no setor [crise esta já superada pelo Governo], um falso vídeo de um preso de Pedrinhas com a perna dilacerada foi divulgado em portal de um grande jornal de São Paulo. A farsa, no entanto, foi desvendada e ficou constatado que o vídeo não era de Pedrinhas, mas sim de um acidente de trânsito ocorrido nos Estados Unidos. Estava inclusive postado num site americano há mais de 2 anos.

Mas antes de isso ter sido descoberto, César Bombeiro havia o encaminhado para o juiz Douglas Martins, que incluiu o documento no relatório do CNJ. O relatório acabou desmoralizado após a verdade ter sido divulgada.

Dias depois, outro vídeo foi postado em site de um segundo grande jornal de São Paulo, onde presos debocham e até pisam em três corpos de decapitados. A polícia acredita que o vídeo pode ter sido entregue por agentes penitenciários, que orientaram os presos a fazerem as gravações.

Tudo isso mostra que há forte indício de movimentação política no caso. E isso é grave.

Bandidos planejavam incendiar a casa do coronel Ivaldo Barbosa

ivaldo barbosaA interceptação telefônica da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão conseguiu identificar um dos principais alvo dos bandidos que compõem o Bonde dos 40, facção criminosa que promoveu ataques a ônibus e contra delegacias na última sexta-feira em São Luís. Trata-se do coronel Ivaldo Barbosa, comandante de Policiamento Especializado (CPE) da Polícia Militar.

O blog conseguiu cópia da transcrição de SMSs trocados por bandidos, que articularam ataques à residência de Ivaldo. As ordens foram enviadas pelo preso Jorge Henrique Amorim Martins, mais conhecido como “Dragão”, de 21 anos de idade a dois integrantes do bando: Diego e Léo Boladão, que ainda não foram capturados pela polícia.

Na transcrição, de 3 de janeiro de 2014, os criminosos classificam o coronel Ivaldo de “vermão”. Dragão ainda pede que o ataque seja no modelo da antiga União Soviética.

 “tem que btar pa queima ônibus e atcar os vermes, ve ai a casa do vermao %%%$do ivaldo e da ataque sovietico la tabem. $%%%%$”. Ivaldo Barbosa confirmou que a ameaça era à sua pessoa.

O caso provocou uma crise no núcleo de Segurança do Estado. Isso porque Ivaldo em nenhum momento foi informado por seus colegas que seria um dos alvo dos bandidos, e acabou descobrindo por conta própria a transcrição da conversa dos criminosos. Ele reclamou ter ficado com sua casa e família sem qualquer proteção, enquanto os bandidos implementavam parte do plano traçado em Pedrinhas, como os incêndios a ônibus e ataques à delegacias. A polícia procura agora Diego e Léo Boladão, que planejavam assassinar o coronel.

E a boataria…

boatoOs ataques a ônibus e delegacias na Região Metropolitana de São Luís – todos já devidamente elucidados e com autores presos – deram vazão, na tarde de ontem, a mais uma onda mórbida de boatos na mídia e nas redes sociais maranhenses.

E, novamente, disseminados como rastilho de pólvora por setores da oposição nesses meios, logicamente com objetivos políticos. Inicialmente, anunciaram desde o sábado a morte da menina Ana Clara, de 6 anos, vítima da crueldade de assassinos desumanos.

A criança, que teve 90% do corpo queimado, acabou morrendo, na manhã de ontem. Não satisfeitos, os mesmos autores continuaram. Inventaram uma suposta interceptação telefônica em que os bandidos anunciavam ataques a postos de combustível.

O jornalista Gilberto Léda, então, publicou em seu blog mais de 20 minutos de gravações telefônicas do crime organizado tratando dos ataques – antes e depois dos atos. Em nenhum momento sequer se aventou a possibilidade. Mas os boateiros não se deram por satisfeitos. Publicaram nas redes uma foto de um incêndio em um posto ocorrido no ano passado, em Imperatriz, como se fosse de ontem, na Vila Embratel. E ainda usaram aliados na mídia para anunciar um tal assalto, com reféns, em um supermercado no Maiobão.

Em outubro do ano passado, o senador José Sarney (PMDB-AP) já havia alertado, em sua coluna dominical em O Estado, para o perigo da disseminação de boatos. “Os boatos e querer tirar proveito político de uma situação provocada por infratores penais são mais perigosos do que um trágico e lamentável entrevero entre facções criminosas e marginais que destroem suas próprias vidas”, escreveu. Nos casos de ontem, a polícia está investigando as origens de todos eles. E os autores devem ser exemplarmente punidos.

Da coluna Estado Maior

Saldo dos ataques: quatro ônibus incendiados, quatro feridos e delegacia atingida

Ônibus incendiados e delegacia atingida por tiros na noite de ontem / Fotos: De Jesus

Ônibus incendiados e delegacia atingida por tiros na noite de ontem / Fotos: De Jesus

O saldo dos ataques criminosos realizados ontem em São Luís foram quatro ônibus incendiados; quatro pessoas feridas [com queimaduras]; uma delegacia metralhada e um policial reformado morto. Neste último caso, ainda não há conformação da Secretaria de Segurança se existe alguma relação ao assassinato do policial com os ataques, ordenados de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

A polícia confirmou que os ônibus incendiados foram nos bairros Vila Sarney, João Paulo, Areinha e Jardim América. Em um dos casos quatro pessoas saíram queimadas: um jovem, duas crianças e um idoso, que provavelmente sentiu dificuldade para deixar o veículo em chamas e acabou sendo atingido.

No mesmo momento em que os ônibus eram incendiados bandidos metralharam o 9º Distrito Policial, que fica no bairro São Francisco. Não havia ninguém no prédio, que fecha às 18h por não se tratar de plantão policial.

A Secretaria de Segurança Pública disse já ter identificado os mandantes dos crimes e os autores dos incêndios. Assegurou que os ataques ocorreram como forma de retaliação pelo rígido controle que passou a ter dentro do Complexo Penitenciário. Reafirmou em nota que não compactua com o crime e que continuará combatendo os atos em todo o estado.

Em breve, mais informações.