Governo vai ter de explicar atraso na obra da Estrada do Peixe à AL

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa aprovou ontem o Requerimento 359/2017, de autoria do deputado Edilázio Júnior (PV), que solicita, por meio de expediente, ao secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB), informações referentes à construção da Estrada do Peixe, que liga o povoado Itans ao centro administrativo de Matinha, na Baixada Maranhense.

Na semana passada o deputado havia utilizado a tribuna para cobrar do Governo do Estado, uma resposta sobre a falta de infraestrutura da MA-014, tomada por lama e buracos, e da não construção da Estrada do Peixe.

Na ocasião, o parlamentar enfatizou que a não concretização da obra prejudica o escoamento da produção dos piscicultores da região, inviabiliza o abastecimento do município e dificulta o acesso da população a serviços de saúde e educação.

O parlamentar lembrou que no dia 22 de agosto de 2015, o governador Flávio Dino assinou a ordem de serviço, e autorizou a construção da Estrada do Peixe. A obra, contudo, jamais avançou.

“O ato ocorreu com muita pompa, muita festa naquela cidade. Muito foguete, muita propaganda, muito Twitter, muito Facebook. E agora a situação está muito pior do que era. Nós estamos falando de quase 2 anos depois e a estrada não existe. Nós estamos falando de R$ 15,5 milhões de investimentos que o governador prometeu para fazer esses 16 quilômetros de asfalto”, contestou.

Edilázio enfatizou que apesar de o povoado produzir o equivalente a R$ 12 milhões anuais na piscicultura, só com a venda do peixe, não é dado atenção do Governo ao problema da rodovia.

“Nós estamos falando de R$ 1 milhão por mês que aquele povoado produz, fazendo com que o município de Matinha tenha um PIB tão elevado na Baixada Maranhense”, justificou, ao protocolar o pedido.

Em nota, a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) informou que “houve a necessidade de um replanilhamento (revisão do projeto) em consequência da interferência de diversos açudes que foram construídos às margens da rodovia, além da intervenção de 135 postes de distribuição de energia, problemas esses já solucionados”.

Ainda segundo a Sinfra, “a obra voltará ao ritmo normal no início do próximo mês, dependendo da intensidade das chuvas, com previsão de término ainda este ano”.

Rodoviários ameaçam parar ‘de novo’ em São Luís

Nota

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão comunica a toda população de São Luís, que mais uma vez, os empresários tentam descumprir acordo firmado em convenção coletiva de trabalho. Em algumas garagens, os trabalhadores foram informados que o adiantamento de salário, que deve ser depositado nas contas todo dia 20, nesse mês, pode ser pago com atraso, ou seja, somente no dia 25.

A entidade torna pública, a insatisfação diante dessa informação. A diretoria do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão reafirma que não vai mais tolerar esse tipo de postura adotada pela classe empresarial, que fere diretamente os direitos dos trabalhadores e causa inúmeros transtornos a categoria. A orientação, é que se na data prevista para o pagamento de adiantamento de salário (20 de fevereiro), os empresários não cumprirem, o que determina a convenção, motoristas, cobradores e fiscais deverão cruzar os braços, logo na data posterior, ou seja, 21 de fevereiro.

Lembramos que no caso das empresas, com pagamento dos trabalhadores em dia, essas não sofreram qualquer tipo de punição, já que estão cumprindo corretamente o acordo.

Edivaldo e o constante atraso

EdivaldoO prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) passou por constrangimento ontem, durante a solenidade de comemoração dos 200 anos do Tribunal de Justiça do Maranhão. Isso porque como de costume, ele chegou atrasado ao compromisso (19h45), que havia começado pontualmente às 19h, com a mesa de autoridades já formada e coordenada pelo presidente do TJ, desembargador Guerreiro Júnior.

Mas o pior foi a justificativa que deu para o atraso. Alegou que o trânsito havia sido o principal empecilho, como se fosse ele a vítima e não o responsável pelo caos nas vias da cidade.

Edivaldo, na verdade, sempre chega atrasado aos compromissos, sejam eles quais forem. Uma postura no mínimo deselegante do chefe do governo municipal de São Luís.