Envolvidos na morte de Daniel Smith são executados

Empresário foi por espancamento

Empresário foi por espancamento

Estranhamente e até o momento sem explicação da polícia, os assassinos e suspeitos da morte do empresário Daniel Smith, começaram a ser executados.

Ontem Jonathan João Nunes, de 19 anos de idade, foi enforcado no bloco D na Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Na semana passada quem morreu foi um adolescente de 17 anos, que ainda estava sendo procurado pela polícia. Ele foi executado com três tiros dentro de uma rersidência onde se escondia das autoridades, no Parque Novo Horizonte, em Paço do Lumiar. Na ocaisão, três homens invadiram a casa, executaram o adoescente e depois fugiram pelos fundos do imóvel, que dava acesso a uma rua, onde uma quarta pessoa, com um veículo, já os aguardava para a fuga.

Até o momento a polícia não falou em suspeitos do crime. Ninguém foi preso. Como um dos bandidos já havia morrido em troca de tiros no dia da prisão do assassino confesso de Jhonatan, chega a três os envolvidos no crime que já estão mortos.
Apenas um ainda está vivo. Ele também é adolescente e está apreendido no Sistema de Segurança do Maranhão.

São apenas fatos, mas que provocam certa estranheza.

Leia também: Um estranho episódio de Daniel Smith

Um estranho episódio de Daniel Smith

Gilberto Léda – Ainda não está de todo esclarecido o crime que tirou a vida do empresário

Empresário foi encontrado morto

Empresário foi encontrado morto

e assessor da desembargadora Nelma Sarney, Daniel Smith, ocorrido ontem na capital.

Ele foi encontrado morto em um terreno baldio na área do Planalto Vinhais, após ter sido sequestrado por pelo menos quatro homens armados, que haviam invadido a sua residência e o feito refém.

A polícia informou apenas que um dos motivos que levou os bandidos a assassinarem o empresário, foi o fato de ele ter reconhecido pelo menos um dos integrantes do bando. E é aí que está o “X” da questão.

De onde Daniel Smith teria reconhecido o bandido?

Antes de encontrar o corpo de Daniel, a própria polícia já não acreditava que ele ainda estivesse vivo. Em conversa com o titular do blog, um dos policiais falou de um estranho episódio envolvendo o próprio Daniel.

E este episódio que motivou o post.

É o seguinte:

Em operação recente da Secretaria de Segurança Pública (SSP) no Barreto, uma ação conjunta entre homens da Polícia Militar e Civil, Daniel chegou a ser abordado por policiais, dentro de seu veículo numa localidade chamada Aldeia, que fica no núcleo do Barreto. Já era madrugada. Aldeia, segunda a própria polícia, é uma área extremamente violenta, onde impera o tráfico de drogas.

Naquela ocasião, Daniel estava acompanhado de um homem, segundo o interlocutor, “mal encarado”.

Ao ser questionado pelos policiais sobre o motivo de estar naquele bairro e justamente àquela hora, Smith explicou que teria ido apenas deixar um amigo e que logo retornaria à sua casa. Avisado sobre o perigo e orientado pela equipe de policiais civis e militares a deixar o local, Daniel saiu. Pelo relato do policial, essa foi a única vez que o empresário foi visto no Barreto.

Até o momento, no entanto, a própria polícia tem evitado falar abertamente à imprensa sobre o episódio, que pode ou não ter algo a ver com a sua morte. De todo modo, o fato ainda precisa ser esclarecido.

Daniel Smith é encontrado morto

Empresário foi encontrado morto

Empresário foi encontrado morto

A Polícia do Militar do Maranhão e uma equipe da SEIC, em operação em conjunto, encontraram na noite desta quinta-feira (05), o corpo do paisagista Daniel Prado Smith. O corpo estava amarrado e foi localizado em um terreno baldio rua 1 do Planalto Vinhais.

Daniel Smith estava desaparecido desde a noite de ontem, quando foi sequestrado em sua residência, no momento em que saía para visitar dois desembargadores. A polícia já havia localizado seu veículo, modelo Corola, de placa HOZ-1888, no bairro do Araçagi.

Quatro homens são suspeitos do crime. Eles, também, teriam invadido uma casa no Araçagi, e tomado de assalto um veículo Fiat Punto, de placa OJE-2957, localizado na Vila Isabel. Foi por meio da localização deste segundo veículo que a polícia conseguiu alcançar os bandidos.

As informações que o blog obteve é de que três assaltantes já foram presos, outro pode inclusive estar morto. A polícia agora com o apoio do GTA e do Batalhão de Choque permanece na área para prender mais envolvidos com a morte de Daniel Smith, que também era assessor da desembargadora Nelma Sarney.

Com informações de Jorge Aragão

Empresário sequestrado no Calhau ainda não foi localizado pela polícia

Empresário ainda não foi encontrado pela polícia

Empresário ainda não foi encontrado

O empresário Daniel Smith, sequestrado na noite de ontem pro quatro homens que invadiram a sua residência [na Avenida dos Holandeses], ainda não foi localizado pela polícia.

Ele estava em casa quando foi surpreendido pelos bandidos, que armados, o renderam e em seguida o sequestraram. Os criminosos também levaram o carro da vítima, um modelo Corola, encontrado ontem mesmo no Araçagi.

A polícia investiga se havia algum tipo de motivação para o sequestro do empresário. Os policiais também já tem nomes de suspeitos, mas mantém em sigilo.

O caso foi registrado na Delegacia do Cohatrac. A polícia pede informações pelo telefone 190 e ou pelo Disque Denúncia: (98) 3223-5800, na capital e 0300-313-5800,no interior do estado.