Escutec: Edivaldo sem influência na sucessão em São Luís

Pouco afeito ao contato direto com o cidadão de São Luís e sem poder de articulação política, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) aparece na primeira pesquisa de intenções de votos da Escutec/O Estado com quase nenhuma influência na sucessão do comando do Palácio La Ravardière.

Na pesquisa, apenas 12,7% dos eleitores consultados, disseram que votariam ‘com certeza’ em um candidato apoiado pelo pedetista; outros 25,5% declararam que ‘poderiam votar’; 9,1% disseram ser indiferentes e a maioria absoluta, 50,2% dos eleitores, afirmaram não votar ‘de jeito algum’ no candidato apoiado por Edivaldo Júnior. Não souberam ou não responderam, outros 2,5%.

O tópico registrado pela pesquisa, na verdade, é um retrato do que tem se observado do próprio esboço da disputa eleitoral.

Nenhum dos pré-candidatos apresentados até o momento, seja do PDT ou de outro partido alinhado ao grupo político do governador Flávio Dino (PCdoB), está diretamente ligado ou é fruto de uma articulação de Edivaldo.

Prestes a concluir o seu segundo mandato à frente do Executivo Municipal, o prefeito de São Luís não conseguiu estabelecer uma base política pelo menos razoável, que o credenciasse a bancar um candidato para a sua própria sucessão.

Um desempenho político risível, tal qual o administrativo, camuflado por uma fina camada de asfalto curiosamente distribuída agora…