Agora sim: “Ivaldo em sessão”

Após blog mostrar equívocos, Ivaldo corrige texto

Após blog mostrar equívocos, Ivaldo corrige texto postado em seu perfil em rede social

Depois de cometer seguidos equívocos – prefiro entender desta forma -, com a Língua Portuguesa, o vereador Ivaldo Rodrigues (PDT) corrigiu os erros e pontuou com exclamação a grafia, agora correta, da palavra “sessão”.

Ontem, o blog havia mostrado duas postagens do parlamentar em seu perfil em rede social, com a palavra escrita “seção” [reveja aqui].

É justamente na sessão [ordinária ou extraordinária] que se dá a atividade parlamentar de um vereador, deputado estadual, federal ou de um senador da República. No caso de Ivaldo, um ambiente vivido pelo menos três vezes por semana [quando os vereadores querem de fato trabalhar].

Por isso a estranheza do blog em relação ao “equívoco” do vereador e pré-candidato a deputado estadual pelo PDT.

Agora, feitas as correções, o blog faz justiça e mostra o antes e o depois das sessões [ou seções] de Ivaldo.

Ontem, ele havia feito a grafia de sessão com [ç]...

Ontem, ele havia feito a grafia de sessão com [ç]… 

Em pré-campanha para a Assembleia, Ivaldo Rodrigues pedirá licença da Câmara

Ivaldo é apoiado por Júlio França para a eleição 2014

Ivaldo é apoiado por Júlio França para a eleição 2014

O blog do Jorge Aragão informou em primeira mão que o vereador pedetista Ivaldo Rodrigues (PDT) vai tirar uma licença da Câmara Municipal de 121 dias.

Com a saída de Ivaldo quem deverá assumir é outro pedetista, o ex-vereador Alencar Gomes.

Ivaldo alega que precisará de tratamento de saúde e poderá inclusive submeter-se a uma pequena cirurgia. Mas o parlamentar, na verdade, vai ar corpo a sua pré-campanha à Assembleia Legislativa.

O pedetista, que é apoiado por Júlio França e pelo deputado federal Weverton Rocha, ambos do PDT, percorre municípios do interior do estado praticamente toda semana. Agora, com a licença do parlamento, ele terá mais tempo para fortalecer sua base política. E o projeto, é assumir uma cadeira no Legislativo Estadual em 2014.

Invasores da Câmara podem ser retirados à força de prédio

Plenário da Câmara é ocupado / Foto: Diego Chaves

Plenário da Câmara é ocupado por invasores / Foto: Diego Chaves

A Procuradoria da Câmara Municipal de São Luís deu entrada hoje na Justiça, em pedido de reintegração de posse do prédio do Legislativo, situado no Centro Histórico da capital, invadido desde terça-feira por moradores da Apaco e líderes de movimentos organizados, além de membros de partidos políticos.

A ação, como mostrou o jornalista Gilberto Léda, foi proposta depois do fracasso das negociações para a desocupação da sede da Casa, liderada pelos vereadores Astro de Ogum (PMN) e Ivaldo Rodrigues (PDT). Os parlamentares sugeriram que os manifestantes deixassem o prédio com a garantia de que uma sessão extraordinária seria realizada na segunda-feira (29), com a participação de membros dos protestantes na mesa dos trabalhos.

Eles não aceitaram.

Sendo assim, a Câmara Municipal decidiu encerrar as tratativas e partir para a disputa judicial.

O caso será analisado pelo juiz Carlo Veloso, da 2ª Vara da Fazenda Pública.

Eliana recua e diz não ter provas contra Ivaldo Rodrigues

Eliana Bezerra prestou depoimento na manhã de hoje na Câmara

Eliana Bezerra prestou depoimento na Câmara

A ex-titular da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), Eliana Bezerra (PSDB), voltou atrás e não revelou quais seriam as denúncias que levariam a cassação do mandato do vereador Ivaldo Rodrigues (PDT). No início da semana, Eliana sugeriu a participação do pedetista no esquema fraudulento que desviou R$ 1,7 milhão dos cofres públicos.

No depoimento prestado na manhã de hoje à CPI do Bom Peixe, Eliana mudou o discurso e afirmou que não teria como provar a participação do vereador no caso.

A ex-secretária também afirmou que o relatório da Controladoria Geral do Município (CGM) possui falhas. “Não acredito que tenha ocorrido irregularidade no programa Bom Peixe, mas falo em mau uso por ter havido falhas no projeto”, disse Eliana Bezerra. Como exemplo, ela citou que o relatório da CGM afirma que deveria ter havido retorno de até 80% de recursos oriundos da comercialização do pescado. “No entanto, o projeto do Bom Peixe não diz isso”, frisou.

Agora a tarde, é aguardo o depoimento do também ex-secretário da Semapa, Júlio França, investigado pelos parlamentares, por desvio de recursos públicos do Município.

Para Júlio França, relatório da CGM sobre o Bom Peixe foi montado

Júlio França e Ivaldo Rodrigues, ambos do PDT

Júlio França e Ivaldo Rodrigues, ambos do PDT

O ex-secretário da Semapa, Júlio França (PDT), afirmou que o relatório da Controladoria Geral do Município de São Luís, que embasou a decisão de Marcelo Coelho (PSB) – atual secretário da pasta – de suspender o Programa Bom Peixe, foi montado. O relatório aponta desvio de R$ 1,7 milhão somente em 2012, no governo João Castelo (PSDB).

Júlio França tem sido apontado como o principal suspeito pelo desvio de recursos públicos pela CPI do Bom Peixe. Ele prestará depoimento na sexta-feira.

O pedetista afirmou que há inconsistências no relatório e garantiu que o documento foi elaborado com o objetivo de responsabilizá-lo pelos desvios. “Esse relatório foi montado para me pegar. Ele não especifica, por exemplo, quem pagou as quantias, nem o período. Assim dizem que foram desviados R$ 1,7 milhão e joga-se a culpa em todos os que passaram pela secretaria. Isso eu não admito”, disse.

O problema de Júlio França, no entanto, é que Eliana Bezerra afirmou que contará tudo o que sabe. Ela disse ter informações bombásticas sobre o esquema e garantiu que o vereador Ivaldo Rodrigues (PDT), amigo e correligionário de França, pode ser cassado após prestadas as informações.

Júlio França terá muito trabalho para provar que nada tem com os desvios. E para provar que o relatório foi montado para o incriminar.

Com informações de O Estado

Vereadores aliados a Castelo negam ter testemunhado agressão contra professora

Vereador Batista Matos - foto: Biné Morais de O Estado

Os vereadores Batista Matos, Ivaldo Rodrigues e José Joaquim, os mesmos que buscaram holofotes com o caso das obras do Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, com a realização de uma “inspeção” sem pé nem cabeça no terminal, após a própria Infraero ter esclarecido os motivos, estipulado datas e garantido recursos para as obras de recuperação do espaço, divulgaram nota em que negam ter sido testemunhas de ato de agressão do Prefeito João Castelo contra a educadora Lindalva Batista.  Não era esperado o contrário. Imagens mostram os vereadores cercando o prefeito e a professora, no momento do ato impensado do “gestor” municipal.

A nota, no entanto, não esclarece o teor da discussão entre o prefeito e a sindicalista e se propõe apenas em afirmar que as informações divulgadas sobre o fato tratam-se de factóides com fins meramente políticos. Afirmam ainda, vejam só, estarem surpresos com a denúncia da sindicalista, que chegou chorar momentos de pois de ter sido destratada por Castelo.

vereador Ivaldo Rodrigues / Foto: Flora Dolores de O Estado

Com o discurso, tentam Batista Matos, Ivaldo Rodrigues e José Joaquim, levarem a população a crer que as informações noticiadas, não passam apenas de mentiras da mídia de oposição. Pura bobagem, aliás, já esperada dos três.

Leia abaixo a nota dos edis.

 

Nós, vereadores abaixo subscritos, em compromisso com a verdade dos acontecimentos, vimos publicamente esclarecer o que ocorreu de fato no episódio envolvendo a sindicalista Lindalva Batista e o prefeito João Castelo, após a cerimônia de posse do Conselho Municipal de Educação, no auditório do Palácio La Ravardière.

Em respeito à opinião pública, e pelo motivo de termos sidos citados pela presidente do SindEducação como testemunhas de uma agressão – que em momento algum aconteceu, seja de forma verbal ou física –, esclarecemos que realmente estávamos presentes no momento em que a professora abordou o prefeito João Castelo exigindo uma audiência, ocasião em que o mesmo chamou o secretário de Educação, Othon Bastos, para que a recebesse na Semed e, posteriormente, despachasse com ele sobre as reivindicações da líder sindical. Inclusive, há fotos que confirmam a verdade aqui declarada e desmentem qualquer versão de agressão.

vereador José Joaquim / Foto: Biaman Prado de O Estado

Na condição de representantes legítimos do povo, enfatizamos que não presenciamos qualquer atitude do prefeito que desabonasse a representante de classe Lindalva, a mulher Lindalva ou a categoria dos educadores, da qual fazemos parte com todo o orgulho. Na verdade, o que estamos, até agora, é surpresos com as ‘denúncias’ feitas pela professora de um acontecimento irreal, inexistente.

Refutamos de público a criação de factóides com fins meramente políticos, como o que estamos vendo em alguns setores da mídia claramente de oposição ao prefeito João Castelo, que não estão sendo fieis à verdade, tentando desconstruir a imagem do prefeito e colocá-lo contra toda uma categoria.

Também, na condição de cristãos, reafirmamos que jamais iríamos corroborar com qualquer atitude grosseira por parte de qualquer autoridade pública. Assim como não podemos nos omitir de repudiar quaisquer inverdades, pautadas em motivos que desconhecemos e nas quais ainda somos citados indevidamente, como se nada tivéssemos feito ao presenciar uma suposta agressão.

Professores que somos, ratificamos nosso compromisso com a categoria dos educadores, que labutam no cotidiano para a formação de novas gerações.

Reafirmando o compromisso com a verdade, subscrevemo-nos,

Vereador Batista Matos

Vereador Ivaldo Rodrigues

Vereador José Joaquim Ramos

Deu no blog de Mario Carvalho: Pastor chama vereador de bandido e vagabundo

Silas Malafaia / imagem google

O blog de Mario Carvalho trouxe uma informação que pode escandalizar muitos evangélicos do Maranhão e até do Brasil. Segundo o jornalista, o pastor Silas Malafáia classificou o vereador de São Luís Ivaldo Rodrigues, de bandido e vagabundo, em entrevista a uma rádio local.

A agressão verbal do líder espiritual teria ocorrido numa clara indgnação por ter o vereador pedetista pedido vista do projeto de resolução, de iniciativa da vereadora Rose Sales (PCdoB), que concedia Título de Cidadão de São Luís ao pastor.

Vereador Ivaldo Rodrigues / Imagem google

Em seu entendimento, segundo Mario, o vereador Ivaldo Rodrigues justifica que Silas Malafaia nunca fez nada pela capital maranhense e acima de tudo é uma persona non grata, por desrespeitar a opção sexual dos homossexuais.

O clima promete esquentar ainda mais, pois Silas Malafaia participará de uma roda de discussão de assuntos com fundamentos bíblicos, com outros pastores convidados, em uma rádio da capital. O programa poderá debater o tema homossexualismo.

Nota do blog:

Não sabemos, de fato, se Silas Malafaia tomou tal atitude contra o vereador de São Luís. Em caso positivo, configura em desrespeito à cidade o qual ele acaba de por os pés. Por mais que não tenha gostado da atitude de membros da  Câmara Municipal de São Luís, um líder espiritual não pode agir dessa forma. Não é ele um pastor? O titulo de cidadão de São Luís realmente é contestável e não tem fundamento.

Fica a pergunta: Silas Malafaia veio a cidade pregar o evangelho ou criar polêmicas?