PMDB de Timon pede a cassação de Luciano Leitoa

Ludwing – Volta a esquentar o cenário político em Timon. O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), através do presidente do Diretório de Timon, ex-deputado Sétimo Waquim (foto) e por intermédio dos advogados Eliomar Feitosa, Pedro Marinho e Amanda Waquim acionaram a Justiça na segunda-feira (23) com uma Representação por captação e gastos ilícitos para fins eleitorais contra o prefeito Luciano Leitoa e seu vice, o comunista João Rodolfo.

Segundo a Representação do PMDB, a prestação de contas do candidato eleito Luciano Leitoa e seu respectivo vice têm “diversas ilegalidades perpetradas que as tornam eivadas de vícios insanáveis, em desacordo com a Lei Geral das Eleições”.

Acrescenta ainda que “tais condutas aqui narradas caracterizam captação e uso ilícito de recursos, inviabilizando o escorreito exercício da fiscalização sobre as contas de campanha pela Justiça Eleitoral, revelando-se uma prática que deve ser extirpada, uma vez que é ordinariamente utilizada como artifício para obter vantagem econômica com nítido potencial de viciar a vontade popular”.

No item Receitas da Representação existe um fato que chama a atenção. No documento informa que as doações foram praticamente feitas todas em apenas quatro datas, sendo que dentro do período de greve dos bancos 58 pessoas conseguiram ter acesso a agência para fazer a doação em espécie. Além disso, existem quatro doações de beneficiários do Programa Bolsa Família; doadores sem CPF; doações de pessoas sem capacidade financeira; presença de cheque sem fundos; gastos eleitorais antes da abertura da conta de campanha; quase 1.000 omissões eleitorais, o que pode caracterizar caixa dois etc.

Diante dos fatos narrados nas receitas e despesas da prestação de conta do prefeito Luciano Leitoa e do seu vice, João Rodolfo os advogados do PMDB requereram a Justiça a condenação dos representados, por captação e utilização ilícita de recursos (artigo 30-A da Lei das Eleições), com a consequente cassação dos diplomas e demais efeitos legais.

Alexandre Almeida se destaca em debate de TV em Timon

alexandre almeidaO candidato da coligação “Unidos Somos mais Fortes” à prefeitura de Timon, Alexandre Almeida (PSD), segue se destacando a cada dia na campanha eleitoral. Durante debate promovido pela TV Antena, canal 10, no programa Fogo Cruzado, contra o adversário Luciano Leitoa (PSB), Alexandre chamou a atenção pela segurança em que respondeu a cada questionamento e por tecer críticas justas ao seu adversário na eleição. Após a saída do debate, Alexandre foi aclamado por eleitores e apoiadores na chegada a Timon.

Em formato de debate que lembrou o estilo norte-americano de transmissão, Almeida – que esteve de pé e com postura elogiável a cada tema tratado por ele – deu soluções, expôs problemas e voltou a pedir uma chance ao eleitor. Uma nova oportunidade para, de fato, transformar a cidade de Timon, que desde 1992 é administrada pelo mesmo grupo político que nada fez enquanto esteve no poder. “Não cheguei aqui por acaso. Tenho uma história de vida que fala por si só. Sou um homem empreendedor e, ao mesmo tempo, que ama e que tem orgulho de ser de Timon. Por isso, estou aqui para pedir a sua colaboração, o seu gesto de confiança, rumo a uma cidade definitivamente diferente”, disse Almeida.

Entre os projetos políticos abordados, durante a entrevista, Alexandre citou – por exemplo – o Vale Futuro (que promoverá em sua gestão a qualificação profissional dos jovens e o encaminhamento ao primeiro emprego). “O atual prefeito desta cidade destinou apenas cinco mil reais, conforme orçamento participativo encaminhado recentemente à Câmara, para o desenvolvimento de projetos ao público mais jovem. Não é possível que ainda ocorra esta falta de investimentos em uma área tão importante. Na minha gestão, você jovem, terá oportunidade para ser alguém na vida”, garantiu Alexandre.

Ele também questionou a atual parceria para a oferta do serviço de transporte na cidade de Timon. Alexandre prometeu, ainda, a construção de uma quarta ponte que ligará Timon à Teresina, contribuindo com a integração entre os municípios vizinhos e melhorando o fluxo diário de veículos. “Não sou de prometer o que não posso cumprir. Tenho um canal direto com o Governo Federal e farei uso disso para a vinda de investimentos à Timon. Este é apenas um de muitos projetos para nossa cidade”, disse Alexandre.

O candidato do PSD também voltou a citar a saúde e educação como problemas de Timon. Ele citou, ainda, proposições feitas por ele enquanto parlamentar e que garantiram, por exemplo, a vinda de novas viaturas para a Polícia Militar em Timon e a abertura do projeto Aprendendo Música, idealizado por Alexandre. “Além destes projetos, temos outros nas áreas de esporte, com a promoção da maior competição de futebol de areia do Brasil, que foi a Copa Beach Soccer. O esporte usado para a promoção de cidadania. Isto ocorrerá em minha gestão”, afirmou.

Por fim, nas considerações finais, Alexandre Almeida falou sobre a sua história de vida e o que motivou a sua candidatura. “Quero ser prefeito de Timon, inicialmente, por me sentir preparado. Segundo, por não concordar com a atual gestão, que não adota as políticas necessárias que a cidade tanto precisa. E terceiro, por amar a minha cidade. Por isso, peço o seu voto e o compromisso de mudança da nossa Timon”, finalizou.

Neste domingo (4), Alexandre Almeida cumprirá agenda de campanha, visitando localidades da zona rural da cidade (Castelo Velho, Cachimbo, Vertente, Jacaré e Castelo). Na próxima semana, ele intensificará as reuniões com os aliados de campanha e fará contatos com a comunidade.

DataAZ: diferença entre Luciano Leitoa e Alexandre Almeida é de 6,6 pontos em Timon

Sistema de PesquisaA pesquisa de intenções de votos do instituto DataAZ na cidade de Timon, mostrou uma disputa acirrada entre o prefeito Luciano Leitoa (PSB), candidato à reeleição, e o deputado estadual Alexandre Almeida (PSD). A diferença entre os candidatos é de apenas 6,6 pontos percentuais.

Luciano Leitoa lidera o levantamento com 45,28% da preferência do eleitorado. Já Alexandre Almeida aparece na pesquisa com 38,64%.

Ao todo, 8,39% dos entrevistados não souberam ou não responderam ao levantamento e 7,69% informaram que votariam nulo ou em branco.

A pesquisa DataAZ foi realizada nos dias 30 e 31 do mês de agosto e está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-00310/2016.

Disputa equilibrada em Timon, aponta Escutec

Luciano Leitoa e Alexandre Almeida: 8,2 pontos de diferença

Luciano Leitoa e Alexandre Almeida: 8,2 pontos de diferença

A pesquisa Escutec de intenções de votos, publicada hoje por O Estado, mostrou cenário equilibrado na cidade de Timon. Candidato a reeleição pela coligação “Juntos Pra Fazer Mais”, Luciano Leitoa aparece na liderança, com vantagem de apenas 8,2 pontos sobre o seu adversário.

O socialista tem 46,3% da preferência do eleitorado, contra 38,1% do deputado estadual Alexandre Almeida (PSD), candidato da coligação “Unidos Somos Mais Fortes”.

Ao todo, 4,0% dos eleitores afirmaram que não votariam em nenhum dos candidatos apresentados e 11,6% não souberam ou não responderam ao questionamento.

A pesquisa Escutec foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-06847/2016. Os questionários foram aplicados nos dias 15 e 16 de agosto para 430 eleitores. O intervalo de confiança do levantamento é de 95% e a margem de erro é de 4,0% para mais ou para menos.

Escutec: empate técnico entre Luciano Leitoa e Alexandre Almeida em Timon

timon pesquisaA pesquisa de intenções de votos do instituto Escutec realizada no município de Timon, apresentou empate técnico entre o prefeito Luciano Leitoa (PSB) e o deputado estadual Alexandre Almeida (PSD).

O socialista tem quatro pontos de vantagem sobre o deputado, mas a margem de erro do levantamento é de 5 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa, publicada com exclusividade em O Estado, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-09449/2016.

No primeiro cenário, Luciano Leitoa aparece com 31,7% das intenções de votos. Alexandre Almeida apresenta desempenho de 27,0% da preferência do eleitorado e Socorro Waquim, 19,3%.

Ao todo, 10,0% afirmaram que não votariam em nenhum dos pré-candidatos listados e outros 12,0% não souberam ou não responderam ao item.

No segundo cenário, simulado apenas entre Almeida e Waquim, o deputado estadual aparece a frente com 34,0% das intenções de votos. A ex-prefeita apresenta 20,7% e outros 33,3% afirmaram que não votaria em nenhum dos dois. Não souberam ou não responderam 12,0%.

Reprodução da pesquisa publicada em O Estado

Reprodução da pesquisa publicada em O Estado

O terceiro cenário, simulado pelo instituto Escutec apenas entre Luciano Leitoa e Alexandre Almeida, mostra o prefeito com 35,7% das intenções de votos, contra 31,3% do deputado estadual. A diferença entre os dois, neste caso, é de apenas 4,4 pontos percentuais.

Afirmaram que não votaria em nenhum dos dois pré-candidatos, 21,0% dos eleitores entrevistados. Não souberam ou não responderam: 12,0% dos eleitores.

O quarto e último cenário levantado na pesquisa Escutec – montado com Leitoa e Socorro Waquim, apresenta o prefeito com 40,7% das intenções de votos, contra 25,7% da ex-prefeita.

Neste cenário, 21,7% dos eleitores afirmaram que não votariam em nenhuma das opções e outros 12,0% não souberam ou não responderam.

Rejeição – Na pergunta: “se as eleições fossem hoje, e sendo estes os candidatos, em quem o(a) sr.(a) não votaria para prefeito?”, o prefeito Luciano Leitoa foi quem apresentou o maior índice, com 25,3% de rejeição.

Socorro Waquim aparece logo em seguida, com 22,7% de rejeição e Alexandre Almeida se destaca como o pré-candidato de menor rejeição no levantamento, com 13,3% das indicações de eleitores.

Não apresentaram rejeição a nenhum dos pré-candidatos, 20,7% dos entrevistados e não souberam ou não responderam ao item, 18,0%.

A pesquisa Escutec ouviu 300 eleitores, entre os dias 28 e 30 de junho. A filtragem, segundo o instituto, foi realizada em 100% dos questionários aplicados, com fiscalização em 25% desse montante. A margem de erro da pesquisa é de 5,0% para mais e para menos.

Mais

Em todos os quatro cenários simulados pelo Instituto Escutec na cidade e Timon, no quesito estimulado, o percentual de eleitores indecisos é de 12%. Foram os eleitores que não souberam ou não responderam às perguntas.

Alexandre Almeida lidera pesquisa de intenções de votos em Timon

Almeida TimonO pré-candidato à prefeitura de Timon e deputado estadual pelo PSD, Alexandre Almeida, lidera a corrida para as eleições no município maranhense. De acordo com amostragem feita pelo Instituto Piauiense de Opinião Pública Ltda. (e cuja pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral no dia 22 de janeiro deste ano), Alexandre Almeida teria 39,25% dos votos, contra 31% do atual prefeito timonense, Luciano Leitoa (PSB).

Ainda de acordo com a pesquisa, a terceira colocada na corrida é a ex-prefeita de Timon, Socorro Waquim (cujo nome deverá ser lançado pelo PMDB) – que comandou a prefeitura do município entre 2008 e 2012. Ela tem, segundo o levantamento, 15% dos votos. A pesquisa apontou ainda que, do total das pessoas entrevistadas, 6,25% não sabem ainda em quem votar ou não souberam opinar. Outras 8,5% pessoas votariam nulo ou em branco.

Em outro cenário montado pelo instituto de pesquisa, Alexandre Almeida também lidera a disputa de votos. Ele teria 50,5% dos votos, se a eleição fosse hoje, caso concorresse somente com o atual prefeito da cidade, Luciano Leitoa que, neste contexto, teria apenas 34,25%. Neste cenário, 7,25% das pessoas não souberam ou não opinaram e outros 8% votariam nulo ou em branco.

Em um terceiro cenário, o atual prefeito da cidade de Timon venceria hoje as eleições somente se concorresse com a ex-prefeita Socorro Waquim. De acordo com a pesquisa, Luciano Leitoa teria 46,75% dos votos contra 28,5% da ex-prefeita. Neste contexto, outras 7,75% das pessoas não souberam opinar e outros 17% simplesmente votariam nulo ou em branco.

No cenário de rejeição, a vantagem ainda é do parlamentar. De acordo com a pesquisa, 46,75% das pessoas entrevistadas não votariam na ex-prefeita, Socorro Waquim. Outras 33,5% do público não votaria no atual prefeito, Luciano Leitoa. Neste cenário, Alexandre Almeida possui a menor rejeição popular, com apenas 13,5% das pessoas que declararam que não votariam no pré-candidato.

Pesquisa – A pesquisa foi realizada na própria cidade de Timon e envolveu 400 entrevistados. A margem de erro é de 4,8% para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TRE com o número MA 03135/2016.

A jogada de Flávio Dino no PSB

Luciano Leitoa quer candidatura própria do PSB

Luciano Leitoa quer candidatura própria do PSB

O blog de Gilberto Léda abriu uma nova polêmica hoje em relação ao cenário político de São Luís, quando mostrou a divergência do comando do PSB em relação aos rumos que a sigla deve seguir para as eleições de 2016 em São Luís.

De um lado o presidente estadual do partido e prefeito de Timon, Luciano Leita, que assegura já ter entregue todos os cargos que a legenda tinha na Prefeitura de São Luís, ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

Segundo ele, a decisão diz respeito a uma orientação nacional, de candidatura própria da sigla em todas as capitais do país. Ele explicou que não faria sentido continuar na administração municipal, uma vez que no próximo ano, o partido será adversário direto de Edivaldo.

Do outro, o senador Roberto Rocha, que afirma ter sido pego de surpresa com a decisão.

Rocha se disse surpreso com a decisão

Rocha se disse surpreso com a decisão

Mas, no meio dessa história toda, o governador Flávio Dino (PCdoB). Dino – que não tem se entendido com Rocha -, quer usar a legenda para dificultar a vida da deputada federal Eliziane Gama (PPS) contra Edivaldo. E quer que Bira do Pindaré seja o candidato do partido e faça forte embate com a popular-socialista no próximo ano.

Tendo em vista que Bira não reúne a menor condição de sequer chegar ao segundo turno, a sua candidatura apenas facilitaria a reeleição de Edivaldo.

Esse é o jogo…

PSB aguarda definição nacional para decidir futuro político no Maranhão

Luciano Leitoa fala sobre aliança política

Luciano Leitoa fala sobre aliança política

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) aguarda a definição de aliança política no cenário nacional para decidir futuro no Maranhão. Foi o que garantiu a O Estado o prefeito de Timon e presidente estadual da sigla, Luciano Leitoa. Ele explicou que, apesar de já haver entendimento de apoio do partido ao pré-candidato Flávio Dino (PCdoB) para as eleições de outubro, há possibilidade de a legenda seguir outro destino, caso assim determine a direção nacional. O deputado estadual Marcelo Tavares (PSB) e o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), compartilharam do mesmo entendimento de Leitoa.

De acordo com Luciano Leitoa, a direção estadual da sigla segue com a intenção de formar aliança política com o PCdoB. Ele lembrou de um acordo firmado em 2012 entre o seu partido, o PCdoB, PDT e o PTC, que tinha por objetivo eleger o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) e em seguida manter aliança para a eleição deste ano, com a composição de chapa. “Temos o entendimento desde 2012, de que o partido deve compor a chapa de Flávio Dino, mas dependemos de uma definição nacional. A tendência, contudo, é de aliança com o PCdoB”, disse.

Apesar da intenção de manter aliança com o comunista, Leitoa ponderou que

Tavares quer palanque com Flávio, mas descarta aliança caso o PCdoB vá com o PT

Tavares quer palanque com Flávio, mas descarta aliança caso o PCdoB vá com o PT

determinados cenários nacionais podem inviabilizar um acordo. Um destes cenários, explicou, seria uma aliança política entre o PCdoB e o PT, partido que até o momento permanece na base do Governo do Estado.

“A direção estadual por meio de seus membros tem a intenção de manter a aliança com o Flávio. Agora, se houver uma composição entre o PCdoB e o PT, isso dificultará muito o entendimento, justamente pelo fato de os dois partidos terem candidaturas à presidência da República”, disse. O PT buscará a reeleição de Dilma Rousseff, já o PSB tentará eleger à Presidência o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Cenário – Quem também cogita a possibilidade de rompimento, caso o PCdoB apóie a reeleição de Dilma, é o deputado Marcelo Tavares. “O partido está com Flávio Dino e não tem por que mudar o seu posicionamento. Mas, na possibilidade de o partido do Flávio ir com o PT, haverá o conflito de alianças nacionais, o que aí sim, inviabilizaria a parceria entre o PSB e o PCdoB. Fora isso, estamos no mesmo palanque e no mesmo projeto”, disse.

O vice-prefeito de São Luís, pré-candidato ao Senado pela chapa majoritária de Dino, também falou da necessidade de haver uma definição de cenário nacional para a composição de aliança no estado. Disse que, no momento, o partido está ao lado do PCdoB, mas fez questão de citar justamente, como já haviam adiantado Leitoa e Tavares, a possibilidade de afastamento da sigla, caso Flávio Dino conduza o partido ao palanque do PT. “Faço das palavras do deputado Marcelo Tavares as minhas”, finalizou.

De O Estado

Luciano Leitoa pede a Marcelo Tavares que fique no PSB

Deputado Marcelo Tavares pensa em deixar o PSB

Deputado Marcelo Tavares pensa em deixar o PSB

O presidente do PSB no Maranhão, Luciano Leitoa, pediu para que o deputado estadual Marcelo Tavares não deixe o partido. Marcelo anunciou há duas semanas, que deve deixar a legenda, por discordar da intervenção nacional na composição do comando estadual da sigla e também por uma possível, mas já improvável candidatura de Roberto Rocha ao Governo do Estado.

Apesar de ter recebido o convite, Tavares disse que somente decidirá o seu futuro político em setembro. O parlamentar, no entanto, garante que não deve mesmo permanecer no PSB para as eleições de 2014. “O último partido a entrar em contato comigo foi o Rede, da Marina Silva. Estou avaliando todos os convites e vou aguardar uma conversa com o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos”, disse.

Há 15 dias, Marcelo Tavares afirmou que havia sido convidado a integrar o PDT. E é esse o principal objetivo do parlamentar, uma vez que a sua intenção é formar chapa com Flávio Dino (PCdoB) para a disputa do Palácio dos Leões.

Na ocasião ele também informou que o ex-governador e seu tio, Zé Reinaldo Tavares, também deve deixar a sigla. Zé Reinaldo pode migrar para o PSDB.