Bolsonaro oferece ajuda para o combate a queimadas no MA

O Governo Jair Bolsonaro (PSL) encaminhou ajuda para a identificação, controle e combate a focos de incêndios na Amazônia Legal no Maranhão. A medida ocorre após o Governo do Estado ter solicitado apoio à União.

A medida – que já havia sido anunciada por Bolsonaro durante o seu pronunciamento em rede nacional, na última sexta-feira -, foi confirmada pelo Governo do Maranhão, por meio de nota encaminhada a O Estado pela Secretaria de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap).

De acordo com a Secap, o Governo Federal ofereceu ajuda para conter os incêndios através de uma parceria com as Forças Armadas.

No sábado, por exemplo, o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão se reuniu com o Exército Brasileiro para a troca de experiências e articulação de ações conjuntas no combate às queimadas.

A atuação conjunta do Exército com o Corpo de Bombeiros é resultado também de uma exigência imposta pelo Governo Federal e confirmada em entrevista coletiva pelos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles e da Defesa, Fernando Azevedo e Silva na última sexta-feira.

Na ocasião os ministros cobraram a colaboração dos estados no combate às queimadas em todo o território da Amazônia Legal.

“Importantíssima a participação dos estados. Enfrentamos até agora muita dificuldade em relação a esse suporte estadual. Não é possível desenvolver essas atividades de controle e fiscalização a contento sem o apoio estadual”, disse Salles.

De acordo com Salles, na ocasião: “Todos os entes, não só a União, enfrentam sérias restrições orçamentárias. Temos pedido aos estados, desde o começo do ano, para que nos apoiem nas ações de controle e fiscalização do Ibama e do ICMBio”, disse, acrescentando que tais ações precisam das forças de segurança estaduais para serem realizadas.

Bombeiros

Além de garantir a ajuda oferecida pelo Governo Bolsonaro no combate às queimadas, o Governo do Estado também falou sobre as medidas de contenção já realizadas pelo Corpo de Bombeiros no Maranhão.

A O Estado, a Secap informou que o Batalhão de Bombeiros Ambiental (BBA), “atua em ações de identificação, controle e combate aos focos de incêndio florestal”.

E completou: “São grupos de pronta intervenção que se deslocam às áreas de incêndio em vegetação para auxiliar na operação de combate. A Corporação promove ainda campanhas educativas de prevenção a incêndios em vegetação”, destaca a nota.

A Secap também afirmou que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) possui parcerias combater queimadas no estado com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e os Bombeiros. “Realiza, também, ações de Educação Ambiental em parceira com as Prefeituras e ONGs, entre as quais, palestras e atividades em escolas”, completa a nota.

Informações de O Estado do Maranhão

Para manter as atenções

Já de volta ao comando do Executivo – depois de alguns dias de “férias” em Brasília -, o governador do Maranhão segue imbuído da missão de se fazer evidente no debate nacional, de olho em uma possível candidatura a presidente da República, em 2022.

Na segunda-feira, ele, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos (PSOL-SP), assinaram uma nota defendendo a liberdade de imprensa e pedindo o afastamento do ministro Sergio Moro e do procurador Deltan Dallagnol de suas funções.

O documento também é subscrito pelo ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho, o ex-senador Roberto Requião e a excandidata à vice-presidência da República Sônia Guajajara, e se baseia em atos e falas de representantes do governo federal decorrentes da publicação de mensagens, pelo site The Intercept Brasil, trocadas entre o Moro e procuradores da Lava Jato.

– São absurdas as ameaças contra o jornalista Glenn Greenwald [americano, fundador do The Intercept Brasil], seja por palavras do presidente da República ou por atos ilegais, a exemplo da portaria 666, do Ministério da Justiça – diz o texto.

Mais uma demonstração de que o comunista maranhense efetivamente está interessado em se manter em alta na cena nacional.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

A “pré-campanha” de Flávio Dino à Presidência e os números do Maranhão

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem se lançado a um embate diário contra o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) – de forma oportuna, mas muito inteligente, diga-se -, por tratar-se, evidentemente, de uma opção da esquerda para a disputa presidencial de 2022.

Ele tem criticado medidas do Governo Federal e sugerido ações nas mais diversas áreas, sobretudo na econômica, como necessárias para a retomada do crescimento do país.

Ocorre que Flávio Dino não tem conseguido dar um novo rumo ao Maranhão, como bem prometeu desde a campanha eleitoral de 2014, e tem se apoiado em campanhas publicitárias para vender lá fora um estado que não existe.

Ontem, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) questionou a legitimidade de Dino de sugerir medidas econômicas para o país, uma vez que o Maranhão tem enfrentado regressão no setor. E para isso, apontou três dados principais: a queda brusca do PIB, o aumento da extrema pobreza e o aumento do desemprego no estado.

Foi certeiro.

As ações de um chefe de Executivo devem ser avaliadas com base em dados concretos, números que comprovadamente dão ao país um panorama real da situação do estado.

Em novembro do ano passado, relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou a queda do PIB no estado.

De acordo com o instituto, o PIB maranhense encolheu 5,6% em 2016 – depois de já haver recuado 4,1% em 2015. Nos dois anos, o estado registrou retração maior que a do Brasil, chegando a uma queda acumulada de 9,7%. Ou seja, quase 10% de queda do PIB.

No fim de 2018 levantamento da consultoria Tendências mostrou o aumento da extrema pobreza no Maranhão, com patamar que bateu recorde nacional. Os dados da consultoria Tendências confirmaram, na ocasião, o que já havia constatado relatório do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), divulgado em dezembro de 2017, e que apontava, na oportunidade, aumento da pobreza entre os anos de 2015 e 2016 no Maranhão em decorrência de um baixo desempenho do setor econômico local.

Esse ano o IBGE também mostrou o aumento do desemprego no Maranhão, realidade bem distante de outros 18 estados, que conseguiram elevar a oferta de emprego em todo o país.

São dados incontestáveis e que estão no calcanhar de Flávio Dino.

Apesar de a propaganda institucional do Palácio dos Leões, mostrar uma outra realidade. Um cenário tão somente virtual…

Flávio Dino chama Bolsonaro de ditador, mas processou Roseana quando foi chamado de… ditador

Gilberto Léda – O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) não cansa de desfilar sua incoerência por aí.

A mais recente delas em meio ao debate sobre as críticas lançadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) contra o próprio comunista e o governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB).

Em entrevista a O Imparcial, o maranhense chamou o presidente da República “ditador, de subditador, de projeto de ditador” (leia mais aqui).

O Flávio Dino que usa a palabvra ditador três vezes na mesma frase para criticar Bolsonaro, é o mesmo que não aceita ser chamado de ditador no Maranhão.

Durante a campanha eleitoral de 2018, ele acionou a Justiça Eleitoral contra a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) porque ela o classificou como ditador em um discurso.

“É um ditador, persegue as pessoas”, disse ela, em evento na residência da família, ainda na pré-campanha.

Mais do que isso: o governador conseguiu até uma liminar censurando veículos de imprensa que haviam noticiado a fala.

Menos mal que, ao julgar o mérito da ação, o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) julgou-a improcedente.

Vai ver é por isso que hoje Dino sente-se tão à vontade para usar o termo.

PDT discutirá expulsão de Gil Cutrim

O PDT convocou para amanhã uma reunião em que serão discutidas possíveis punições aos deputados federais que votaram de forma favorável à Reforma da Previdência, em descumprimento ao que havia definido a sigla.

O deputado maranhense Gil Cutrim, que chegou a divulgar uma nota de esclarecimento após o voto, é um dos oito deputados do PDT alvo da reunião.

O caso será analisado pela Executiva Nacional e pela Comissão de Ética da legenda.

Hasselmann e o inevitável constrangimento do Governo

Foi constrangedora para o governador Flávio Dino (PCdoB) e sua equipe, a denúncia feita em rede social pela deputada mais votada de São Paulo, Joice Hasselmann, que visitou São Luís no fim de semana.

Hasselmann gravou um vídeo em meio a buraqueira em rodovia estadual e cobrou trabalho do chefe do Executivo, que nesta semana viaja a Curitiba para visitar na prisão o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

“Buraco em cima de buraco. Ei governador, vamos se mexer aí rapa, vai trabalhar ou vai ficar aí de frescura?”, disse Hasselmann no vídeo postado nas redes sociais.

A publicação da deputada mostrou ao país a realidade das rodovias estaduais no Maranhão.

Na propaganda – que circula na internet e em alguns dos principais veículos do Brasil -, as estradas do Maranhão vão bem, obrigado.

Mas, como bem mostrou Halssemann, o cenário é outro.

Que coisa feia…

SES tenta diminuir alerta após divulgação de casos de Meningite

Após ampla repercussão do conteúdo da nota informativa da Secretaria de Estado da Saúde (SES) com alerta a profissionais da área sobre o número elevado de casos de Meningite no Maranhão, o secretário Carlos Lula utilizou o seu perfil em rede social para tentar diminuir a situação.

Ele afirmou que não há surto da doença no estado. Disse que esta possibilidade está descartada e que trata-se de uma irresponsabilidade “espalhar pânico sob a forma de fakenews”.

Não há, contudo, informação na imprensa maranhense sobre um eventual surto da doença – apesar de assustadores os números de casos identificados e mortes registradas em 2019 -, portanto, desqualificada a defesa do auxiliar de Flávio Dino.

Não há também fakenews sobre o tema.

Todas as informações levadas à mídia até o momento, estão sustentadas num documento oficial da SES [baixe aqui], que detalha todos os casos notificados, registrados e confirmados na Saúde do Maranhão.

O problema de Carlos Lula, do Governo do Estado e gestores da Saúde, foi o vazamento da informação que, pelo visto, tentava-se esconder da imprensa.

No documento, há sim um ALERTA para profissionais de Saúde e registro de 124 casos suspeitos notificados no estado, com 44 confirmações e 13 mortes.

Tentar esconder, diminuir, ou amenizar dados tão relevantes é que é irresponsável.

E irresponsabilidade não combina com gestão pública.

Nem rima com Saúde.

 

SES confirma 44 casos de Meningite e 13 mortes no Maranhão em 2019

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, por meio de nota informativa [baixe aqui] 44 casos de Meningite no Maranhão em 2019. Na mesma nota, a SES emite um alerta a profissionais que atuam em áreas de muito contato com o público para medidas de prevenção e controle.

De acordo com a SES, ao todo foram notificados 124 casos suspeitos no estado. Destes, 44 já foram confirmados e 13 mortes registradas.

Somente em São Luís, como aponta o documento, foram confirmados 14 casos. Cinco pessoas morreram.

No início da semana um caso foi noticiado por uma escola situada na Região Metropolitana de São Luís. Foi somente depois disso que a SES divulgou o número total de registro em todo o estado.

O número elevado chama a atenção e requer alerta redobrado do sistema de saúde em todo o Maranhão.

Assembleia autoriza empréstimo de mais de R$ 600 milhões ao Governo do MA

A base aliada ao governador Flávio Dino na Assembleia Legislativa aprovou hoje (8) o projeto de lei de autoria do Poder Executivo que autoriza a contração de empréstimo de R$ 623 milhões para o pagamento de precatórios.

Como a matéria foi votada em primeiro turno, o texto ainda será apreciado mais uma vez pelos parlamentares.

Apenas os deputados César Pires (PV) e Adriano Sarney (PV) manifestaram-se contrários ao encaminhamento. O deputado Wellington do Curso (PSDB) votou à favor, no entanto, fez a ressalva de que cobrará transparência do Governo.

O encaminhamento do pedido de empréstimo foi feito pelo Executivo no dia 26 de março deste ano. Após idas e vindas e negociações entre a base aliada e o Governo, nas últimas semanas, o projeto ganhou força e foi analisado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). O relator no grupo de trabalho foi Dr. Yglésio (PDT).

Em seguida, a matéria seguiu para a Comissão de Orçamento, onde também fora aprovado. Até o fechamento desta edição, o Governo não se manifestou sobre a aprovação do pedido.

Com informações de O Estado

Edilázio denuncia irregularidades em obra da MA-315 ao Ministério Público

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) apresentou ao Ministério Público uma representação sobre a precariedade e o pagamento de aditivos irregulares à obra de construção da MA-315, que liga Barreirinhas ao município de Paulino Neves.

A rodovia, que integra a “Rota das Emoções”, foi inaugurada no início do ano, mas já apresenta sérios problemas estruturais.

Edilázio já havia ingressado com uma ação na Justiça Estadual, no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e no Ministério Público de Contas. O caso agora está no Centro de Apoio de Probidade Administrativa do MP e será analisado pelo promotor Cláudio Alencar.

O parlamentar quer apuração a respeito da liberação de um aditivo de mais R$ 2 milhões à obra, que contraria o que determina o contrato da obra e a apuração a respeito da qualidade dos serviços já efetuados na rodovia.