SES tenta diminuir alerta após divulgação de casos de Meningite

Após ampla repercussão do conteúdo da nota informativa da Secretaria de Estado da Saúde (SES) com alerta a profissionais da área sobre o número elevado de casos de Meningite no Maranhão, o secretário Carlos Lula utilizou o seu perfil em rede social para tentar diminuir a situação.

Ele afirmou que não há surto da doença no estado. Disse que esta possibilidade está descartada e que trata-se de uma irresponsabilidade “espalhar pânico sob a forma de fakenews”.

Não há, contudo, informação na imprensa maranhense sobre um eventual surto da doença – apesar de assustadores os números de casos identificados e mortes registradas em 2019 -, portanto, desqualificada a defesa do auxiliar de Flávio Dino.

Não há também fakenews sobre o tema.

Todas as informações levadas à mídia até o momento, estão sustentadas num documento oficial da SES [baixe aqui], que detalha todos os casos notificados, registrados e confirmados na Saúde do Maranhão.

O problema de Carlos Lula, do Governo do Estado e gestores da Saúde, foi o vazamento da informação que, pelo visto, tentava-se esconder da imprensa.

No documento, há sim um ALERTA para profissionais de Saúde e registro de 124 casos suspeitos notificados no estado, com 44 confirmações e 13 mortes.

Tentar esconder, diminuir, ou amenizar dados tão relevantes é que é irresponsável.

E irresponsabilidade não combina com gestão pública.

Nem rima com Saúde.

 

SES confirma 44 casos de Meningite e 13 mortes no Maranhão em 2019

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, por meio de nota informativa [baixe aqui] 44 casos de Meningite no Maranhão em 2019. Na mesma nota, a SES emite um alerta a profissionais que atuam em áreas de muito contato com o público para medidas de prevenção e controle.

De acordo com a SES, ao todo foram notificados 124 casos suspeitos no estado. Destes, 44 já foram confirmados e 13 mortes registradas.

Somente em São Luís, como aponta o documento, foram confirmados 14 casos. Cinco pessoas morreram.

No início da semana um caso foi noticiado por uma escola situada na Região Metropolitana de São Luís. Foi somente depois disso que a SES divulgou o número total de registro em todo o estado.

O número elevado chama a atenção e requer alerta redobrado do sistema de saúde em todo o Maranhão.