Edlázio critica postura de Flávio Dino de tentar transferir responsabilidades por erros de sua gestão a antecessores

Edilázio é oposição na Casa

Edilázio é oposição na Casa

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) criticou a postura do governador Flávio Dino (PCdoB), que tem tentado transferir a responsabilidade das falhas da administração estadual  ao governo anterior.

No último domingo, por exemplo, quatro presos de Justiça foram resgatados do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, por bandidos que atacaram policiais e vigilantes de plantão. O caso ganhou repercussão nacional. Dino, no entanto, tentou responsabilizar a gestão passada.

“O governador Flávio Dino ao invés de ter a humildade e assumir as falhas, a culpa pelo que aconteceu, e chamar os seus secretários de Segurança e de Administração Penitenciária e determinar a imediata apuração, para saber se houve ou não conivência nesse resgate, vai para o twitter dizer que a culpa foi da oligarquia. Ficou um ranço no seu íntimo e tudo ele tenta transferir ao governo passado”, disse.

Edilázio lembrou que essa não foi a primeira vez que o comunista recorreu ao expediente de tentar transferir a responsabilidade de falhas de sua administração aos gestores que o antecederam e lamentou a postura de Dino.

“A população quer ver o governador trabalhando, a população quer ver o Maranhão melhor. Ele foi eleito cm essa esperança toda, para que realmente haja essa tamanha evolução e não para ele estar em twitter culpando os governos anteriores, olhando pelo retrovisor a todo tempo”, completou.

Ao final de seu discurso, Edilázio lembrou da reportagem veiculada na edição de hoje do Bom Dia Brasil, da TV Globo, que mostrou que um policial militar, da Companhia de Polícia Rodoviária, perdeu uma submetralhadora em ação, na capital, logo após uma blitz, e ironizou o governador, ao perguntar se ele também tentaria responsabilizar a gestão anterior por esse fato. “Amanhã ele deve colocar isso no twitter e dizer que foi culpa de Roseana”, salientou.

A base governista silenciou.

Ascom

O que faziam os presos fora de suas celas durante a madrugada, quando ocorreu o resgate em Pedrinhas?

O incrível e ao mesmo tempo absurdo resgate de presos de Justiça do Complexo Penitenciário de Pedrinhas na madrugada de ontem, além de mostrar a incompetência da administração penitenciária do Governo do Estado, chamou a atenção do blog para um detalhe no mínimo intrigante.

O que faziam os quatro presos resgatados por bandidos, do lado de fora de suas celas e alas às 4h da madrugada, quando ocorreu a ação criminosa que resultou nas fugas?

Ao que tudo indica, quando os criminosos se aproximaram do presídio em dois veículos e atacaram os policiais e vigilantes com armas de grosso calibre e ainda conseguiram armar uma escada e lançar cordas entrelaçadas para a área interna do complexo, os bandidos resgatados já estavam do lado de fora das celas, apenas aguardando a oportunidade para fugir.

Os bandidos estavam, na verdade, no pátio interno do presídio. E o Governo ainda terá de explicar também esse fator.

Por que os presos não foram recolhidos às suas celas por volta das 2h, quando houve o primeiro alarme do Ciops em relação à possível investida de bandidos ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas?

Por que a Sejap não pediu reforço policial para o lado externo do presídio?

Incompetência? Negligência?

Perguntas que devem ser respondidas pelo Governo do Estado.