Governo confirma limite de R$ 500 para saques no FGTS

BRASÍLIA – O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou na manhã desta quarta-feira, 24, a liberação do saque de até R$ 500 das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em entrevista à Rádio Gaúcha, o ministro disse que a liberação irá injetar cerca de R$ 30 bilhões na economia brasileira neste ano e mais R$ 10 bilhões no ano que vem. Com os recursos do PIS/Pasep, o total chegará a R$ 42 bilhões, até março de 2020.

De acordo com o ministro, os saques terão o limite de R$ 500 por conta e não por CPF, contudo, serão proporcionais ao montante que o trabalhador tem na conta. Ou seja, quem tem um montante na faixa dos R$ 500, não poderá sacar tudo, pois terá de respeitar a proporcionalidade elaborada pela Caixa e que será anunciada na tarde desta quarta-feira, na cerimônia que ocorrerá a partir das 16h, no Palácio do Planalto. Onyx confirmou que dos 260 milhões de contas do FGTS, mais de 80%, ou 211 milhões, possuem saldo de apenas R$ 500.

A medida, de acordo com Onyx, deve ajudar até 96 milhões de trabalhadores e vem da preocupação do presidente Bolsonaro com os mais de 60 milhões de brasileiros endividados, que têm o nome sujo no Serasa.

Questionado sobre recentes comentários críticos do presidente Bolsonaro sobre a multa de 40% paga por empregadores a trabalhadores demitidos sem justa causa, o ministro afirmou que a regra, por enquanto, não será mudada, mas que concorda com Bolsonaro que há muitos encargos envolvidos. “Para rever isso, vamos ter que mexer na questão estruturante. A questão deverá ser tratada na reforma tributária”, disse.

Tropical Shopping, Mateus, Correios e escolas fecham no Renascença

Empresários e gestores dos estabelecimentos temem atos de vandalismos com manifestação programada para o local; Assembleia Legislativa pode ser alvo de protestos

A administração do Tropical Shopping informou há pouco ao blog que fechará as portas a partir das 15h. O motivo é tentar evitar transtornos a clientes e lojistas com a manifestação que tem início programado [concentração] em frente ao local.

Os manifestantes já anunciaram nas redes sociais que pretendem fechar a Avenida Colares Moreira e seguir a pé no sentido a Ponte José Sarney (Ponte do São Francisco) e repetir o que ocorreu sábado. Alguns defendem que o evento siga no sentido à Assembleia Legislativa do Maranhão.

O protesto, chamado de #SAOLUISACORDOU ou o terceiro ato, tem como foco o combate à corrupção, a aprovação da PEC 37 e melhorias na saúde pública da capital.

Além do Tropical Shopping, – a escola Crescimento, o Ceuma e o Supermercado Mateus não funcionarão, bem como bancos e a agência dos Correios do Renascença.

A Polícia Militar enviará patrulhas ao local. Caso haja depredação e saques aos estabelecimentos comerciais, a Tropa de Choque vai agir.

Vândalos provocam tumulto em frente ao Leões e ao La Ravardière

Início das manifestações na Praça Pedro Segundo

Início das manifestações na Praça Dom Pedro II, no Centro de Sao Luís

Manifestantes do #VEMPRARUASLZ – que foram para as ruas cobrar melhorias na mobilidade urbana da cidade – esqueceram a pauta dos protestos, se deixaram levar pela política partidária e acabaram mudando o foco do movimento.

Vândalos apedrejaram o Palácio dos Leões e o Palácio La Ravardière, a sede do Executivo Municipal, e como não poderia faltar, fizeram coro contra Sarney e contra a Mirante e seus profissionais, que exercem suas atividades com dignidade e excelência diariamente.

Evitei ao máximo falar dos protestos, pois vi em seu nascedouro a manipulação partidária. Partidos políticos de Esquerda, oposição e situação, tentaram desde ontem mudar os rumos dos protestos.

E os vândalos [aqueles que promoveram o quebra-quebra], foram às ruas como uns ventríloquos para protestar por nada, contra o nada e para nada. Alienação e falta do que fazer.

Além de apedrejar a sede do Governo do Estado e da Prefeitura de São Luís, os vândalos também saquearam uma ótica que fica próximo à Praça Deodoro. Crime!

E assim continua a manifestação em São Luís, uma bagunça.

Noleto, do PSTU, teve a bandeira do partido arrancada e queimada

Noleto, do PSTU, teve a bandeira do partido arrancada e queimada