Eliziane declara apoio a Eduardo Braide para a disputa de 2º turno

Foto: Zeca Soares

Foto: Zeca Soares

A deputada federal Eiziane Gama (PPS) declarou ontem apoio ao deputado estadual e candidato a prefeito Eduardo Braide (PMN) para a disputa do 2º turno.

Gama disputou a Prefeitura de São Luís e acabou na quarta colocação no primeiro turno, atrás justamente de Edivaldo Júnior (PDT), Eduardo Braide e Wellington do Curso (PP).

Braide também deve alcançar o apoio de Fábio Câmara (PMDB) para a disputa do segundo turno.

Já Wellington do Curso, pode acabar neutro na disputa.

Edivaldo seguirá com os mesmos apoiadores do primeiro turno, todos pertencentes à coligação “Pra Seguir em Frente”.

Eduardo Braide surpreende e garante espaço no segundo turno

eduardo braide comitêO deputado estadual Eduardo Braide (PMN) surpreendeu na eleição de hoje e garantiu espaço no segundo turno em São Luís.

Até o momento, com mais de 99,90% das urnas apuradas, Braide ficou na segundo colocação com 21,35% dos votos válidos.

Edivaldo Holanda Júnior (PDT) ficou na primeira posição, com 45,66% dos votos.

Eduardo Braide desbancou Wellington do Curso (PP), que até o debate da TV Mirante figurava na segunda posição em todas as pesquisas de intenções de votos.

Braide termina o primeiro turno como o grande vencedor. E vai para o segundo com muito gás…

Flávio Dino diz que o mais provável é 2º turno entre Edivaldo e Eliziane

flaviodinoO governador Flávio Dino (PCdoB) fez uma análise política em relação ao cenário eleitoral de São Luís. Ao jornalista Raimundo Garrone, em entrevista concedida no Palácio dos Leões, o comunista afirmou que acredita num eventual segundo turno entre o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e a deputada federal Eliziane Gama (PPS).

“Eu tenho uma leitura política que o mais provável é que tenhamos um segundo turno entre o prefeito Edivaldo e a deputada Eliziane. Sendo assim, o mais provável, está mantido o compromisso”, disse o governador, que já havia adiantado que irá se envolver pessoalmente nas candidaturas aliadas, mas apenas nos fins de semana.

“O governo não se mete em eleição, o governador sim. E participarei somente durante os finais de semana”, completou.

Leia mais sobre o tema aqui

Econométrica: Edivaldo perde em todos os cenários de segundo turno

edivaldoA pesquisa Econométrica simulou três diferentes cenários de um eventual segundo turno em São Luís, entre os três principais candidatos ao Executivo Municipal. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) não leva vantagem em nenhum dos cenários.

No primeiro levantamento, a disputa se concentra entre a deputada federal Eliziane Gama (PPS) e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Gama a parece a frente com 40,0% das intenções de votos, contra 25,4% do pedetista.

Nestes cenários 29,9% dos eleitores afirmam que não votariam em nenhum dos dois nomes e 4,7% não souberam ou não quiseram responder.

O segundo cenário destaca a deputada Eliziane Gama e o deputado estadual Wellington do Curso (PP). Gama aparece à frente, com 39,4% das intenções de votos, contra 26,3% do pepista. Outros 29,% afirmaram que não votariam em nenhum dos dois pré-candidatos e 5,2% não souberam ou não quiseram responder.

No último cenário de segundo turno os nomes destacados foram de Wellington e do prefeito Edivaldo Júnior. Wellington aparece a frente com 35,9% das intenções de votos, contra 29,0% do prefeito. Outros 29,3% afirmaram eu não votariam em nenhum dos dois nomes e 5,8% não souberam ou não quiseram responder.

Rejeição – No item rejeição, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) também leva desvantagem. Na pesquisa Econométrica, o pedetista aparece como o candidato com o maior grau de rejeição na capital [35,9%]. Rose Sales, por sua vez, é a pré-candidata de menor grau de rejeição: apenas 4,7%. Andrea Murad aparece com 10,0% de rejeição; Eliziane Gama com 9,8%; Bentivi com 9,8%; Fábio Câmara com 6,5% e Wellington do Curso com 5,0%. Não souberam ou não quiseram responder, 18,2%.

A pesquisa foi registrada no TSE, sob o número de identificação MA-08340

Roseana com méritos no desempenho de Dilma no Maranhão

Roseana com o ministro Ricardo Berzoini e centenas de prefeitos para a campanha de Dilma no 2 turno

Roseana com o ministro Berzoini e centenas de prefeitos para a campanha de Dilma no 2º turno

Logo após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgar o resultado das urnas e oficializar a reeleição da presidente da República Dilma Rousseff (PT), a governadora Roseana Sarney (PMDB) comemorou, por meio de nota oficial distribuída à imprensa pela sua assessoria, a vitória nas urnas da petista.

Roseana destacou a parceria institucional entre o Governo Federal e o Governo do Estado, o que de certa forma também garantiu a maior votação proporcional do país para Dilma, aqui no Maranhão.

“Valeu muito a pena trabalharmos juntas. Espero que nessa nova etapa o Governo Dilma se dedique ainda mais aos programas para desenvolver o Nordeste, reduzindo as desigualdades sociais na região e melhorando a qualidade de vida do povo, especialmente no Maranhão, que deu à presidenta a votação mais expressiva do país. Estou muito feliz”, declarou Roseana.

Além parceria institucional, foi Roseana a principal articuladora política de Dilma no estado. Enquanto o governador eleito Flávio Dino (PCdoB) se manteve no campo da neutralidade até os 45 [coincidência ou não] do segundo tempo, Roseana arregaçou as mangas e chamou para si a responsabilidade.

Articulou um encontro do ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, coordenador da campanha de Dilma, em sua residência particular, no Calhau, com mais de 100 prefeitos aliados, deputados estaduais e federais e senadores. Pediu empenho das lideranças políticas em seus municípios e dedicação à campanha do PT.

Esteve à frente todo o tempo, por isso comemorou a vitória nas urnas e a continuidade do Governo Dilma Rousseff.

Mas ainda aparecerão oportunistas para tentar ganhar os louros…

Maranhão deu a maior votação proporcional a Dilma Rousseff

Roseana foi quem protagonizou a agenda da campanha de Dilma no estado

Roseana foi quem protagonizou a agenda da campanha de Dilma no estado

O Maranhão deu a maior votação proporcional à presidente Dilma Rousseff (PT) em todo o Brasil. Mais de 78% dos maranhenses votaram na petista. Em números reais, 2,4 milhões de votos para a presidente. O seu adversário, Aécio Neves (PSDB), teve pouco mais de 21%, pouco mais de 660 mil.

A presidente Dilma Rousseff ganhou em todos os municípios maranhenses. Ela conseguiu 2.467.908 votos, que representam 78,76%. No primeiro turno, a petista havia sido votada por 69,59% dos eleitores maranhenses. Aécio Neves quase dobrou sua votação no estado. No primeiro turno ele obteve pouco mais de 11%. Já no segundo, o tucano conseguiu aumentar sua votação, chegando a 21,25%.

Em Imperatriz, segundo maior colégio eleitoral do estado e considerada a cidade maranhense que tem maior oposição ao governo do PT, a presidente obteve mais de 60%. No primeiro turno, Imperatriz foi a cidade em que a petista teve menor votação, com pouco mais de 43%. Aécio Neves conseguiu pouco mais de 39% dos votos. No primeiro turno, o tucano teve pouco mais de 26%.

O município de Belágua mais uma vez se destacou na eleição com a maior votação para Dilma Rousseff: 93,93% dos votos válidos. O tucano Aécio Neves foi votado somente por 6,07% dos eleitores da cidade.

A abstenção no Maranhão aumentou em relação ao primeiro turno, quando 23% dos eleitores deixaram de votar. Neste segundo turno foram mais de 27% (1.228.838) o percentual de eleitores que não compareceram às urnas. São cerca de quatro pontos percentuais a mais que o registrado no primeiro turno.

De O Estado, com reportagem de Carla Lima

Antevendo vitória de Dilma, Flávio Dino explicita apoio à petista

Na hora 'H', Dino decide votar em Dilma

Na hora ‘H’, Dino decide votar em Dilma

Marco D’Eça – O governador eleito Flávio Dino (PCdoB) esperou o último momento da disputa presidencial no segundo turno para declarar seu voto.

Equilibrando-se no fio da navalha no primeiro turno, entre vários candidatos – inclusive com um vice do PSDB, de Aécio Neves – ele declarou-se neutro no início do segundo turno e sumiu do mapa.

Enquanto aliados de sua campanha se dividiam entre Aécio e Dilma, o comunista silenciou totalmente.

Só ontem ele apareceu, como se tivesse esperado a indicação das pesquisas antes de se posicionar por um ou por outro.

Primeiro em uma festa do presidente da OAB-MA, Mário Macieira, em que esteve vestido em uma camisa de Dilma. Hoje, se deixou fotografar ao lado do petista Márcio Jardim, enrolado em bandeira de Dilma.

E na hora da votação, finalmente declarou que votou em Dilma, seguindo orientação do PCdoB.

Posição ou oportunismo?!?

Lobão Filho vota em Dilma, mas não esconde descontentamento

Lobão Filho votou há pouco no Colégio Santa Tereza

Lobão Filho votou há pouco no Colégio Santa Tereza/ foto do blog

O senador da República Lobão Filho (PMDB) não escondeu há pouco, ao registrar o seu voto no Colégio Santa Tereza, o seu descontentamento político com a presidente Dilma Rousseff (PT).

Ele votou na presidente, mas deixou claro que somente por ter firmado compromisso político com a petista desde o primeiro turno. E para manter a palavra, cumpriu com a sua parte, foi maduro e coerente.

“Vim para votar, ser coerente com o meu posicionamento político desde o início dessa campanha. Escolhi Dilma desde o início. Ela não veio na minha campanha, não gravou para mim, não me ajudou financeiramente, mas mesmo assim, depois de dada a minha palavra eu não fujo dos meus compromissos. Portanto, estou hoje aqui, votando na presidenta Dilma para continuar administrando o nosso país”, disse.

Dilma, como bem enfatizou o peemedebista, fez jogo duplo no Maranhão. Sequer gravou um vídeo em apoio a Lobão, se limitou a ajudar o deputado federal Gastão Vieira (PMDB), candidato ao Senado da República.

Resultado disso foi que Flávio Dino (PCdoB) explorou a campanha inteira que era ele o candidato apoiado por Dilma no estado. E sem ser desmentido pela própria petista, sem ser incomodado, seguiu utilizando a marca PT. Dino lucrou e muito politicamente com isso.

A petista fechou os olhos, se fingiu de surda, muda e cega e contribuiu significativamente para que a disputa eleitoral no estado sequer chegasse ao segundo turno. E é esse o motivo do posicionamento duro do senador Lobão Filho. Coerente, sensato e – mesmo traído -, foi leal à presidente.

Dilma por outro lado, foi apenas infiel…

PCB classifica postura de Flávio Dino de “oportunismo sem volta”

pcbA direção nacional do Partido Comunista Brasileiro (PCB) fez dura critica à postura política adotada pelo governador eleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). A sigla divulgou uma nota em seu site oficial e na página oficial da sigla, sob o título “O caminho do oportunismo não tem volta”.

Para o PCB [leia o texto aqui], a decisão de neutralidade de Flávio apenas beneficiou a campanha de Aécio Neves (PSDB) no estado.

“Como a disputa do segundo turno está muito apertada, Dilma pode até perder a eleição em razão dessa traição, pois Flavio Dino assumiu um compromisso com Aécio Neves de ficar neutro no segundo turno, apesar de a fotografia de ambos estar circulando no Maranhão e em outros Estados”, destaca o texto.

“O PCB faz esta denúncia para contribuir para o fim da confusão, no imaginário popular, do nosso partido com o PCdoB. Em breve, oxalá não tenhamos mais o mesmo sobrenome”, completou.

“Dilma tem olhado por todo o Nordeste”, diz Ricardo Berzoini

Ricardo Berzoini conversou com O Estado

Ricardo Berzoini conversou com O Estado

De O Estado – O ministro de Relações Institucionais do Governo Federal, Ricardo Berzoini, afirmou, em entrevista exclusiva a O Estado, que a presidente da República, Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, governou o país com “um olhar pelo Maranhão e por todo o Nordeste de inclusão social”. Ele criticou o modelo de gestão do PSDB, do senador Aécio Neves, e disse que os tucanos historicamente privilegiaram apenas o Centro-Sul e a região Sudeste do país. Para Berzoini, uma eventual eleição de Aécio significaria retrocesso para o Brasil.

Berzoini destacou os principais programas sociais dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, como o Bolsa Família e o Luz para Todos, e afirmou que o modelo de gestão do PT alcançou todo o país, principalmente os estados das Região Nordeste, segundo ele, pouco atendida pelo governo Fernando Henrique Cardoso.

“Um de nossos objetivos com a candidatura de Dilma é justamente lembrar para o país todo, principalmente aqui no Nordeste, a importância da política da inclusão social e da redução das diferenças regionais”, disse.

De acordo com o ministro, a candidatura da petista representa a busca pela igualdade social. “O governo do PSDB foi focado muito no Centro-Sul e no Sudeste do país foi focado numa política que não reconhecia a democracia, e que não reconhecia a necessidade de se diminuir as desigualdades sociais. E no Brasil a desigualdade tem um traço regional e social. Se nós não desenvolvermos fortemente as regiões Norte e Nordeste do país, teremos sempre uma federação desequilibrada, uma democracia torta. Nós queremos, contudo, uma democracia para valer”, completou.

Integração – Berzoini afirmou que a gestão da presidente Dilma, por outro lado, atendeu as demandas de todas as regiões do país. “Nós desenvolvemos políticas sociais para atender os mais carentes, os mais pobres, com políticas econômicas que possam reduzir a desigualdade de desenvolvimento e um política de uma integração total entre as unidades da federação”, completou.

O ministro de Relações Institucionais conversou com O Estado após um almoço com lideranças políticas e membros do PT num restaurante situado na Avenida Litorânea.

Lá, ele pediu o empenho da classe política na condução da campanha de Dilma em todas as regiões do Maranhão e também pediu a integração entre as alas da sigla ligadas aos grupos políticos liderados pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e ao governador eleito Flávio Dino (PCdoB).

“Nossa agenda é primeiro de agradecimento pela expressiva votação que a presidente Dilma recebeu no primeiro turno. Nós também não podemos esquecer que temos de recompor os interesses dos dois diferentes grupos políticos no estado e consolidar a vitória nas urnas. Neste aspecto específico, é válido ressaltar, o Maranhão está no caminho certo”, finalizou.