Edilázio assume a direção estadual do PSD no Maranhão

O deputado federal Edilázio Júnior assumiu a direção estadual do Partido Social Democrático (PSD) no Maranhão.

O nome do parlamentar como presidente da legenda já consta no registro de informação de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ele assume o posto para conduzir a sigla nas eleições municipais 2020 no estado, após alcançar o status de um dos principais parlamentares do partido no Congresso Nacional.

Edilázio é membro titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara Federal.

Ele foi conduzido ao comando da legenda pelo presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. “Uma data que ficará marcada na minha trajetória. Tomei posse como presidente do PSD no Maranhão, homologado pelo presidente nacional do partido, Gilberto Kassab. Fico honrado por exercer tamanha função, a frente do meu partido que hoje é a quarta maior bancada da Câmara e a segunda maior do Senado. A responsabilidade vai ser grande e através do diálogo e da luta vamos alcançar nossos objetivos e fortalecer ainda mais o PSD”, disse.

Ele prometeu protagonismo da sigla nas eleições 2020 nas maiores cidades do Maranhão e agradeceu o trabalho de Cláudio Trinchão no comando da legenda. “Ele fez um excelente trabalho à frente do partido e merece todo reconhecimento”, disse.

A Executiva Estadual do PSD no Maranhão é composta ainda pelo primeiro vice-presidente, empresário Clóvis Fecury e pelo segundo vice-presidente, Ulisses Waquim, filho da ex-prefeita do município de Timon, Socorro Waquim.

Suspense

O juiz federal, Roberto Veloso, cotado para ser lançado como candidato à Prefeitura da capital maranhense pelo PSL, voltou a deixar a possibilidade no ar em entrevista na manhã de ontem, concedida no programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM.

“Eu não descarto. Porém, é uma decisão que preciso tomar, que é a saída da magistratura”, disse.

O magistrado também frisou que a decisão sobre ser candidato ou não depende da família.

Encontros – O que o juiz não falou na entrevista é que vem se encontrando com membros de partidos políticos para discutir uma possível filiação e a garantia de espaços para que ele venha disputar a Prefeitura da capital.

Veloso já conversou com o PSL, MDB e até o Novo, do empresário João Amoêdo. O encontro entre o magistrado e o empresário ocorreu em São Luís, no início deste mês.

Então, além da família, o juiz tem buscado espaços políticos que contribuam para que ele viabilize uma eventual candidatura sua.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Pré-candidatos a prefeito de São Luís têm até sexta-feira para trocar de partido

ElizianePré-candidatos a prefeito de São Luís só têm até a próxima sexta-feira para efetuar a troca de partido político, sem que haja o risco de perda de mandato eletivo.

Isso porque no dia 18 de fevereiro deste ano, o Congresso Nacional promulgou emenda à Constituição (PEC) que fixava janela para que todo detentor de mandato pudesse se desfiliar de partidos sem perder o mandato por infidelidade partidária.

Na capital, as atenções se voltam principalmente para a deputada federal Eliziane Gama, hoje no Rede, para o deputado estadual Bira do Pindaré, no PSB e para o deputado federal, João Castelo, do PSDB.

BiraGama tem convite para filiar-se ao PSB. Migrando para o partido, ela conseguiria neutralizar e inviabilizar a pré-candidatura de Bira do Pindaré pela sigla. Apesar disso, há resistência ao seu nome na legenda. Esta resistência é capitaneada por Marcelo Tavares, secretário-chefe da Casa Civil e por Luciano Leitoa, presidente do PSB e prefeito da cidade de Timon.

Bira do Pindaré, por sua vez, tem convite para filiar-se ao PT, sigla pela qual iniciou a sua trajetória política. Ele, contudo, tenta se manter no PSB, onde também teria como vantagem a estrutura partidária.

Castelo enfrenta tem como adversário dentro do PSDB, Neto Evangelista

Castelo enfrenta tem como adversário dentro do PSDB, Neto Evangelista

Já o deputado federal João Castelo, analisa a possiblidade de ingressar em outra legenda, diante da dificuldade imposta pelo comando do PSDB, à sua candidatura. Castelo não se relaciona com o vice-governador Carlos Brandão, presidente estadual do partido, e enfrenta, agora, a pré-candidatura do também tucano, Neto Evangelista.

A saída do PSDB, portanto, não está descartada.

O prazo, no entanto, que cada um dos pré-candidatos dispõe no momento, é a sexta-feira. Depois disso, não haverá mais o que fazer…