Jogo sujo

Jefferson Portela é secretário da SSP

Jefferson Portela é secretário da SSP

Estranha (para dizer o mínimo) a atitude da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) de suprimir de sua página na internet o link “Estatística”. O “jogo sujo” do Governo do Estado foi notado ontem pela equipe de O Estado.

O fato ocorreu depois da publicação de reportagem produzida pelo jornalista Thiago Bastos, relatando o número de homicídios dolosos ocorridos no mês de janeiro, comparando os dados  com os de anos anteriores.

Além de suprimir as informações – que são públicas, diga-se de passagem – o titular da SSP, delegado Jefferson Portela, concedeu entrevista coletiva, na qual tentou desqualificar a reportagem.

Talvez acreditando na massificação da sua versão, aliada à supressão dos dados oficiais, o secretário criticou duramente o trabalho jornalístico de O Estado. O que ele não sabia é que todo o relatório que embasou a matéria – repita-se, fornecido pelo próprio site da SSP – fora impresso antes da retirada do link do ar, e está de posse do jornal, em caso de qualquer nova contestação.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Jefferson Portela será o secretário de Segurança de Flávio Dino

Jefferson Portela comandará a SSP

Jefferson Portela comandará a SSP

O delegado de Polícia, Jefferson Portela é quem cuidará da Segurança Pública no Governo do comunista Flávio Dino (PCdoB).

Dino confirmou a indicação em entrevista concedida à rádio Educadora AM na manhã de hoje. Portela é o sétimo auxiliar de Flávio já anunciado para a sua administração, que se estenderá de 1 de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2018.

Com a indicação de Portela quem teoricamente ganha força no Sistema de Segurança Pública é o ex-secretário Raimundo Cutrim (PCdoB), que é ligado ao delegado. Cutrim faz parte do rol de amigos de Portela, e certamente terá o seu devido espaço no setor.

Falta, no entanto, a indicação de Flávio para a Sejap, que cuida justamente do Sistema Prisional do Maranhão. O que virá por aí…?

Bandidos que assassinaram policial são apresentados pela SSP

Suspeitos de terem praticado atentados a postos da Polícia. Manoel Costa / TV Mirante

Suspeitos de terem praticado atentados a postos da Polícia. Manoel Costa / TV Mirante

Foram apresentados à imprensa os suspeitos de terem fuzilado um policial militar e atentado contra a vida de outros policiais no último fim de semana.

Iana Mara Silva Rodrigues; Quenilson Teixeira dos Santos, conhecido como “Lourinho”; Maílson Trindade Santos; Wesley Santos Correia; Felipe Amaral Mendes; Raílson Moraes Fernandes; Danrley Vítor Amorim Pereira; e Ricarde Moraes Fernandes; além de dois adolescentes goianos apreendidos foram apontados como os responsáveis pelos crimes. Um dos adolescentes confessou ter conduzido a caminhonete utilizada durante os ataques na Vila Nova, Bairro de Fátima e Turu.

“São todos suspeitos, com indícios muito fortes. Nós temos os carros usados nos ataques, nós temos as armas com calibres coincidentes com os usados nos ataques, nós temos os celulares com as mensagens de ordem dos ataques. Então, o conjunto de indícios é fortíssimo. Agora, as provas técnicas vão reafirmar isso”, afirmou o secretário Aloísio Mendes, que coordenou a operação policial.

É válido ressaltar, portanto, que apesar da audácia dos bandidos e da tentativa de desmoralizar o sistema de segurança pública, a polícia conseguiu reagir rápido, identificar e prender os criminosos. Ou seja, fez o que deveria ter feito, exatamente isso.fuzilaram 2

Hora de a polícia reagir

Ordem para matar policiais saiu de Complexo Penitenciário

Ordem para matar policiais saiu de Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís

O último fim de semana na capital foi marcado pela onda de violência e ataques a policiais militares em serviço. Um policial morreu e outro ficou baleado após ação de bandidos na Vila Nova, no Bairro de Fátima e no Turu.

Ontem o secretário de Segurança Aluisio Mendes, afirmou que a ordem para matar policiais saiu de dentro dos presídios do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Então é hora de a polícia reagir e mostrar aos bandidos quem é que manda.

Não se pode aceitar que criminosos debochem do Sistema de Segurança do estado e continuem amedrontando a população. Não se pode aceitar que o crime organizado domine a capital de dentro das celas de um presídio.

A polícia precisa ser enérgica e intolerante ao crime. Precisa responder com ações de desarticulação desses bandos. Mas precisa, antes de tudo, aniquilar a corrupção interna, caso contrário, a situação vai apenas piorar.

Não dá mais Aluisio…

Marco D’Eça – Todo o caos gerado na cidade desde a noite da última quarta-feira (09) é fruto, nada mais, nada menos que da incapacidade absoluta do Secretário de Estado de Segurança Pública, Aluísio Mendes, em dar respostas concretas à população.

Resultando também em uma grande braluisio mendesincadeira de telefone sem fio entre a população que está desesperada por informações concretas e seguras.

A culpa também é da incompetente polícia de Aluísio que construiu esse mito do “Bonde dos 40″, atribuindo a eles toda a culpa pelo pânico instalado na capital.

Aliás, a polícia também é culpada pela população ter que ficar trancada em casa, pois a PM não tem capacidade de conter uma ganguezinha de marginais, que a desafia, mostrando a eles sua falta de capacidade em conter um mísero grupo criminosos.

Devido a falta de informação e o desespero, boatos e mais boatos de arrastões pela cidade são espalhados e pessoas são aconselhadas a não irem para escola ou para o trabalho.

Uma estrutura completamente desorganizada e incompetente chamada Secretaria de Segurança Pública.

Frase do Dia

“É praxe do Secretário de Segurança Pública do Estado, quando não gosta de um cidadão, colocar o nome dele a essa expectativa, a esses roubos sujos, imorais que vêm acontecendo aqui no Maranhão?”.

Pergunta do deputado Hemetério Weba (PV) a Raimundo Cutrim (PSD). Isso após Cutrim voltar à tribuna da Assembleia para afirmar que foi vítima de inquérito forjado por Aluisio Mendes no caso Décio Sá.

Órgãos de segurança pública se reúnem para definir novas ações contra a poluição sonora

Representantes de todos os órgãos de segurança pública que integram a Força-Tarefa, operação que coíbe a poluição sonora na capital, se reuniram ontem no auditório do Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS), na Vila Palmeira, para avaliar e discutir as ações de combate ao crime. Ficou determinado que a partir do próximo fim de semana será escalado um delegado extra de plantão para acompanhar as ações, bem como deverão ser fixados horários de funcionamento de bares onde são reincidentes as práticas de abusos, principalmente no Olho d’Água. O disciplinamento ocorrerá por meio de portaria baixada pela Delegacia de Costumes e Diversões Públicas.

 De acordo com o superintendente do Centro Integrado de Defesa Social (CIDS) da Área Norte, Carlos Alberto Damasceno, comandante da operação de disciplinamento, até o momento, as ações têm obtido resultados positivos e chamado a atenção da população.

a Força-Tarefa já prendeu 54 pessoas e apreendeu 55 veículos utilizados para a prática doi crime de poluição sonora.