Uma página virada…

marcos-caldasO deputado estadual Alexandre Almeida (PTN) assegurou ontem ao blog do jornalista Gilberto Léda, que retornará as suas atividades na Assembleia Legislativa.

Ele estava licenciado da Casa em decorrência do seu envolvimento direto na disputa eleitoral do município de Timon, e acabou abrindo espaços para o suplente Marcos Caldas (PSDB).

Foram difíceis 121 dias no Parlamento Estadual.

Ex-membro da base da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), Caldas passou de “sarneyzista” para um inflamado tucano-comunista.

E protagonizou cenas lamentáveis no Parlamento.

No início da semana, tentou constranger e bateu boca com a deputada Andrea Murad (PMDB). Utilizou palavras de baixo nível no plenário da Casa. O presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho (PDT), foi obrigado a encerrar a sessão.

Foi a gota d’água para o fim da passagem de Caldas pela Casa.

Alexandre havia protocolado requerimento para renovar a licença por mais 121 dias. Depois do episódio, recuou. Ele, literalmente, vai retirar Caldas do mandato suplente.

E demorou…

Fernando Furtado será interpelado judicialmente após acusar esquema no TJ

fernandofurtado1O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), com base no artigo 144 do Código Penal, decidiu, por unanimidade, que o deputado estadual Fernando Furtado seja interpelado judicialmente pela Procuradoria Geral de Justiça e pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA).

A decisão do colegiado acolheu proposição do desembargador Joaquim Figueiredo, que ressaltou a necessidade de o deputado prestar explicações sobre a denúncia em que afirmou ter presenciado, em um posto de combustível de São Luís, o pagamento de propina a um genro de desembargador, com o objetivo de retornar ao cargo prefeito cassado por corrupção.

A acusação do parlamentar ocorreu durante audiência pública realizada em São João do Caru, quando afirmou em seu pronunciamento que alguns deputados tinham trânsito no Tribunal de Justiça para negociar a volta de prefeitos ao cargo pelos valores de R$100 e 200 mil.

De acordo com o artigo 144 do Código Penal, “referências, alusões ou frases que inferem calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa”.

Edivaldo Holanda será substituído por suplente

tocaO suplente de deputado estadual Toca da Serra (PTC) assumirá mandato por um período de 120 dias na Assembleia Legislativa.

Ele substituirá o deputado eleito Edivaldo Holanda (PTC), que entrou com um pedido de licença médica junto a Mesa Diretora da Casa.

Toca Serra é irmão do prefeito da cidade de Pedro do Rosário, Irlan Serra. Ambos são adversários políticos do também suplente, Fernando Furtado (PCdoB), que substitui no parlamento, o deputado Bira do Pindaré (PSB), licenciado por conta do cargo de secretário no primeiro escalão do Governo do Maranhão.

Toca Serra assume a cadeira na próxima terça-feira.

Jota Pinto: fez tudo certo, mas não foi reeleito

Jota Pinto não foi reeleito

Jota Pinto não foi reeleito

Incrível. O deputado Jota Pinto vai entrar para a crônica das eleições como o político que fez tudo certo, mas ficou na estrada, sem alcançar a reeleição. Ele fundou o PEN no Maranhão, fortaleceu-o com nomes de expressão para a corrida eleitoral e foi para as urnas com a certeza de que sairia reeleito. Ficou na entrada como suplente, mesmo tendo recebido 37.638 votos, votação maior do que a de 21 deputados eleitos.

Da coluna Estado Maior, com edição do blog

Antônio Heluy definido como suplente de Gastão Vieira para o Senado

Zé Antônio Heluy ao lado de Lobão Filho

Zé Antônio Heluy ao lado de Lobão Filho

O Partido dos Trabalhadores e os demais presidentes dos partidos que compõem a coligação “Pra Frente Maranhão”, escolheram o ex-secretário de Estado do Trabalho e Economia Solidária, José Antônio Heluy (PT), como o candidato a 1ª primeira suplência de Senado na chapa encabeçada pelo deputado federal Gastão Vieira (PMDB).

Heluy já tinha a preferência da maioria dos membros do PT, inclusive das alas mais ligadas à oposição, e conseguiu superar outros atores que pleiteavam o mesmo espaço, como o furta-cor Honorato Fernandes, vereador de São Luís.

Heluy assume o lugar do presidente do PT, Raimundo Monteiro, que teve o seu registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Monteiro foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

O petista, que já estava integrado à campanha de Lobão Filho (PMDB), torce agora mais do que nunca para a consolidação da vitória de Gastão Vieira. Até porque sabe que terá enorme chance de assumir a vaga no futuro…

Jota Pinto antecipa retorno à Assembleia após crise com Priscylla Sá

Jota Pinto em crise com Priscylla Sá

Jota Pinto em crise com a colega Priscylla Sá

O deputado estadual Jota Pinto (PEN), que havia se licenciado para tratamento de saúde, retornou hoje a Assembleia Legislativa e assumiu cadeira que estava sendo ocupada interinamente pela suplente Priscylla Sá (PEN).

Ocorre que Jota antecipou o seu retorno à Casa [que ocorreria somente em 2014], justamente por conta de uma crise com a colega de partido.

Segundo fonte do blog, Priscylla se recusou a encaminhar à Comissão de Orçamento da Casa, as emendas parlamentares de Jota. Irritado, o parlamentar acionou a Mesa Diretora e resolveu retornar de imediato para a Assembleia.

Priscylla Sá já havia se envolvido em outra polêmica há duas semanas, quando atingiu o Governo do Estado com acusação de uso politiqueiro de convênios, somente pelo fato de não ter sido convidada para uma solenidade de assinatura de convênio no município de Presidente Dutra, base eleitoral da parlamentar.

Priscylla Sá naquela ocasião, já provocava indisposição com a base do governo. Agora, com a movimentação de bastidores contra Jota, sepultou novamente o mandato suplente, que durou pouco mais de um mês.

 Nota: Jota Pinto afirmou ao blog que antecipou o seu retorno para a Assembleia porque somente poderia indicar emendas no posto de deputado. Ele nega crise com a colega de partido.

Prisão de Carioca é revogada

Suplente de vereador já havia conseguido habeas corpus na Justiça Estadual

Carioca havia deixado a prisão semana passada

Carioca havia deixado a prisão na semana passada

O suplente de vereador de São Luís, Paulo Roberto Pinto Lima, o Carioca (PRTB), conseguiu na Justiça alvará de soltura, assinado pela juíza Samira Barros Heluy. Carioca, que havia sido preso por ter faltado às audiências de instrução de um processo em que ele é acusado de posse sexual mediante fraude, já estava solto desde a semana passada, mas apenas por força de um habeas corpus concedido pelo desembargador José Bernardo Silva Rodrigues.

O alvará de soltura ocorreu logo após advogados do suplente de vereador entrarem com recursos na 2ª Vara da Comarca de Itapecuru-Mirim. Na decisão, a juíza Heluy destaca que após ter analisado os autos, verificou que “restaram demonstradas as alegações do reu, bem como a falta de concreta ameaça à aplicação da lei ou instrução processual com sua soltura”.

“Ocorre que, consoante demonstrado no presente pedido, por meio de farta documentação, é o acusado pessoa pública, porquanto suplente de vereador na cidade de São Luís, fato de ampla notoriedade, com endereço fixo e família constituída, sem antecedentes criminais, não havendo, portanto, que se cogitar, no presente momento, na existência de qualquer ameaça à aplicação da lei penal”, considerou.

“À vista de tais considerações, revogo a prisão preventiva decretada em desfavor do de Paulo Roberto Pinto Lima”, decidiu a juíza.