Base governista ‘blinda’ Ted Lago e impede convocação na AL

Deputados estaduais aliados ao governador Flávio Dino (PCdoB) rejeitaram na manhã de hoje o requerimento de autoria do deputado César Pires (PV) que pedia a convocação do presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago.

A blindagem evita maior exposição do presidente da corporação pública, que tem sido alvo de crise no setor após a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) ter apontado saques ilegais de recursos do Porto do Itaqui.

Outra crise no setor diz respeito a um relatório da Polícia Federal que confirmou suspeitas de fraudes durante o processo de fiscalização das obras de dragagem de aprofundamento do P-100 ao P-104 do Porto de Itaqui (reveja).

César Pires queria a convocação de Ted Lago para que ele desse explicações sobre todos esses temas.

A base, contudo, agiu para preservar o Governo…

Governo financia ataques a José Sarney na mídia

El-PaísO Governo do Estado tem investido dinheiro público na mídia internacional para que esta ataque o ex-presidente da República, José Sarney e sua família.

A mais nova publicação, que trata sobre o Porto do Itaqui, do El País, leva como título “Há um ano sem família Sarney, Maranhão tenta deixar o século 16”.

A “reportagem”, que traz entrevista do presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emape), Ted Lago, tenta dar ao estado a imagem de uma civilização de quatro séculos atrás.

 A publicação, contudo, evidencia como próprios patrocinadores o Governo do Maranhão e, vejam só, o Porto do Itaqui, comandado justamente por Ted Lago.

O texto foi também republicado pela mídia alinhada ao Palácio dos Leões.

Alguma surpresa ao tom dado à “reportagem”?

Informações do blog do Gilberto Léda

A culpa pelo fracasso é de Edivaldo…

Holanda Júnior fracassa com perfil técnico

Holanda Júnior fracassa com perfil técnico em sua administração

É mais grave do que se imagina a crise no governo Edivaldo Holanda Júnior (PTC). Depois da humilhante e traumática demissão do médico Vinícius Nina, o assessor especial Ted Lago entregou o cargo, sem sequer conversar com o prefeito. Além do desgaste que vinha cumulando, Ted achou desrespeitosa a forma com a qual trataram o colega de gestão.

E aos poucos, o perfil técnico da gestão Holanda Júnior vai minguando. O grupo político, por outro lado, vence a queda de braço e atropela as intenções do prefeito. E a culpa, é única e exclusiva de Edivaldo Júnior.

Além de Nina e de Lago, o procurador Felipe Camarão, que seria o secretário de Urbanismo e Habitação, foi rifado pela disputa interna protagonizada entre os partidos PCdoB, PSB e PDT, todos da base do prefeito. Por esses e outros motivos também não fazem mais parte da gestão, Myriam Aguiar (SMTT) e Deborah Baesse (Assistência Social), além de Ricardo Carreira (Administração) – que sequer chegou a assumir o cargo, e Emília Figueiredo (Saúde), que abriu mão da pasta também antes de ocupar a vaga, em janeiro.

Edivaldo Júnior chegou ao sexto mês de gestão sem ter conseguindo sequer compactar uma equipe de trabalho. As sucessivas trocas no primeiro escalão, as secretarias não criadas e a guerra de bastidores impedem que sua administração avance. E não foi por falta de aviso.

Enquanto técnicos com currículos brilhantes e forte potencial para a administração pública – a exemplo de Felipe Camarão e Ted Lago -, se afastam do governo, personagens que apenas vislumbram a eleição para o Governo do Estado de 2014, como o secretário de comunicação Marcio Jerry (PCdoB), uma das peças de Flávio Dino (PCdoB) plantadas no governo petecista e responsável direto por mais de um terço das crises até então instaladas, continuam com espaço e força na administração.

Edivaldo Júnior quer um perfil técnico, mas não consegue sustentá-lo. Sabe do prejuízo que é manter o perfil político – tendo em vista as disputas de 2014 -, mas não tem habilidade para evitá-lo. E desta forma, ele mesmo vai sufocando a sua administração, com instabilidade e desconfiança, com falta de pulso firme e seguidos fracassos, uma administração que traria mudanças, mas que até agora não avançou. E nesse cenário o eleitor parece já ter se desiludido, mas a culpa é do próprio Edivaldo…

Após humilhação imposta a Vinícius Nina, Ted Lago entrega cargo

 

Ted Lago não compactuou com a demissão humilhante de Nina

Ted Lago não compactuou com a demissão humilhante de Vinícius Nina na Semus

A crise aumentou no governo Edivaldo Holanda Júnior (PTC) após a traumática queda de Vinícius Nina da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). Inconformado com a situação humilhante a qual foi submetido o médico, o assessor especial do prefeito, Ted Lago, coordenador do “Pacto por São Luís”, entregou hoje o cargo.

Ted sequer quis conversar com o prefeito. Decepcionado com os rumos da gestão petecista, ele apenas ligou para o secretário de Governo, Rodrigo Marques, e deixou a Prefeitura.

Lago assumiria a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, até então não criada, e coordenava ações que davam um caráter empreendedor à gestão. Ele já estava insatisfeito no posto, no entanto, por conta da intensa disputa de bastidores que há entre os partidos PCdoB, PDT e PSB na base do governo. Disputa essa que rifou Felipe Camarão da secretaria de Urbanismo e Habitação.

Também estava incomodado com uma prima de Edivaldo Júnior, que apesar de não ser nomeada na Prefeitura de São Luís, é quem dá ordens e circula de batedores da Guarda Municipal na cidade. O estopim, contudo, foi a traumática saída de Nina. O ex-secretário de saúde foi revistado, teve os celulares tomados e se disse constrangido pela ação de seguranças da Prefeitura. Ted Lago não compactuou com a atitude do governo petecista e entregou o cargo, decepcionado com tudo o que viu.