Tragédia anunciada

A tragédia ocorrida em Viana no fim de semana, após um confronto armado entre uma família de agricultores e indígenas da etnia Gamela – que ainda aguardam reconhecimento da Funai sobre demarcação da terra – estava anunciada há mais de um ano.

Esse é o período durante o qual moradores da cidade que vivem da agricultura de subsistência aguardam do Ministério da Justiça, da Funai e do poder público estadual uma solução para um conflito que começou desde que chegaram a uma área compreendida por Viana, Matinha, Penalva e Pedro do Rosários homens que se auto-intitulam indígenas e que reivindicam a posse de terras ocupadas pelos trabalhadores há quase 100 anos.

Desde então, a ação dos Gamela é cada vez mais recorrente e os agricultores reclamam de violência – há casos de pessoas sendo expulsas de suas propriedades.

No domingo, 30, moradores de Viana se reuniram em praça pública, quando receberam do deputado Aluisio Mendes (PTN) e de outras autoridades uma palavra de conforto: que aguardassem, sem violência, por mais 15 dias, porque o Ministério da Justiça assumiria a causa para dar uma solução definitiva.

Uma ação inusitada dos índios, no entanto, elevou o nível de tensão. Eles fizeram refém uma senhora de mais de 80 anos. Amarraram e amordaçaram a mulher, como uma espécie de recado aos demais.

Depois, partiram para tomar mais uma propriedade. Mas a família recebeu os invasores à bala, num confronto que terminou com duas pessoas gravemente feridas – os índios relatam que houve vítimas com mão decepadas e dizem que foram eles os atacados quando deixavam uma área.

Já passa da hora de a União – ou o Estado – interceder, para evitar mais mortes.

Sem energia – Os auto-intitulados índios Gamela não têm ameaçado apenas moradores da Baixada Maranhense na luta pelo reconhecimento de suas terras.
No início do ano, eles chegaram a impedir o trabalho de uma equipe da Cemar no local. Os trabalhadores implantavam uma nova linha de transmissão de energia.
Armados de arcos e flechas, eles cercaram a equipe de trabalho, e a ameaçou.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

TJ recebe denúncia contra prefeito de Bacuri por mortes de estudantes

TJMAOs desembargadores da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça receberam denúncia que submete o prefeito do município de Bacuri, José Baldoíno da Silva Nery, à ação penal para apurar responsabilidade na contratação irregular de empresa, cujo ônibus escolar envolveu-se em acidente que resultou na morte de oito crianças, em abril de 2015.

Também responderão à mesma ação o sócio da empresa Conservis – Construções Comércio e Serviços Ltda, o presidente, a secretária e um membro da Comissão Permanente de Licitação e um assessor jurídico do município.

A denúncia foi proposta pelo Ministério Público Estadual (MPMA), acusando o prefeito de ter contratado os serviços da empresa Conservis no valor de R$ 1.092.000,00 para a locação de veículos, com irregularidades que teriam frustrado o caráter competitivo da licitação, enquadrando os envolvidos no delito de fraude, previsto na Lei de Licitações.

O prefeito e os demais acusados defenderam-se, alegando não existirem provas da prática do crime, pedindo a rejeição da denúncia.

Para o relator, desembargador Joaquim Figueiredo, existem indícios da contribuição do sócio da empresa Conservis para a prática do crime, uma vez que ele habilitou-se no processo licitatório e assinou o contrato, em possível conluio com a administração para a prestação irregular do serviço de transporte escolar, assim como os demais acusados que atestaram a validade do procedimento.

Quanto à alegação de todos os acusados – falta de prova e improcedência da denúncia – , o magistrado a afastou por entender que a denúncia expôs o fato com todas as circunstâncias, qualificando os envolvidos e individualizando-os e classificando o delito conforme determina o Código de Processo Penal.

Ele também afastou as alegações de ausência de dolo, inclusive porque sua existência ou não deve ser apurada durante o curso da ação. “Durante a instrução, todas as indagações das defesas poderão ser respondidas, todavia, isso não pode ser feito nesse momento, onde não restam atestadas de forma absoluta essas verificações”, ponderou.

Flávio Dino diz que não sabia do indiciamento de adjunta

celia_indiciadaO governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou ontem a O Estado que não sabia do indiciamento de Célia Vitória Neri Silva pela morte de oito estudantes da cidade de Bacuri.

Célia foi nomeada pelo governador para atuar como adjunta do Cerimonial do Governo do Estado.

Ela foi indiciada pelo Ministério Público, acusada de fraude em licitação do transporte escolar, o que, segundo o MP, provocou a tragédia que resultou na morte dos jovens.

Os estudantes eram transportados num “pau-de-arara”. Célia, na ocasião, era secretária municipal de Educação de Bacuri.

“No caso dessa pessoa de Bacuri, eu estou tomando conhecimento agora. Vou apurar a situação e se, de fato for esta, claro que vamos tomar providências”, disse.

O blog acompanhará…

Indiciada pela morte de oito jovens é nomeada por Flávio Dino

celia_indiciadabacuri1-225x300O governador Flávio Dino (PCdoB), eleito com o discurso do “novo e da mudança”, nomeou para o Cerimonial do Governo do Estado, ou seja, para trabalhar diretamente consigo, Célia Vitoria Neri Silva, ex-secretária de Educação do Município de Bacuri, indicada pela Justiça do Maranhão pela morte de oito jovens no interior do estado.

O caso da morte dos jovens, que ganhou repercussão nacional e foi explorada de forma exaustiva por aliados do agora governador e pela mídia alinhada a ele, ocorreu no ano passado, quando jovens eram transportados de forma irregular pela administração municipal de Bacuri para a escola, num veículo conhecido como “pau-de-arara”.

Justiça bloqueou os bens de Célia Neri

Justiça bloqueou os bens de Célia Neri

A nomeação da ex-secretária, que teve os bens bloqueados pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, foi publicada no Diário Oficial do dia 15 deste mês. A informação foi dada em primeira mão pelo blog Atual 7.

O Atual 7 chegou a questionar o secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), quais teriam sido os critérios utilizados pelo Governo para nomear Célia como adjunta do Cerimonial – que é quem organiza todas as atividades oficiais do governador -, mas ele não soube explicar. Se limitou a dizer que ainda não teve “tempo de ver”.

Site Maranhão da Gente, alinhado ao projeto governista, explorou tragédia no ano passado

Site Maranhão da Gente, alinhado ao projeto governista, explorou tragédia no ano passado

Para quem não lembra, no ano passado, aliados do governador na Assembleia Legislativa, condenaram a postura da Secretaria de Educação de Bacuri, que transportava crianças em paus-de-arara, mas também tentou responsabilizar a governadora Roseana Sarney (PMDB) pelo ocorrido.

Bira do Pindaré (PSB), Raimundo Cutrim (PCdoB) – quem diria -, Neto Evangelista (PSDB), Othelino Neto (PCdoB) e Marcelo Tavares, repercutiram exaustivamente o tema na Assembleia.

Na oportunidade, disse Tavares: “Alguém já viu a governadora Roseana comprar ônibus escolar para fazer o transporte do ensino médio? Ninguém viu, mas, infelizmente, […] nós ainda temos que ver situações desastrosas, tragédias como essas que mataram muitos jovens maranhenses”, alardeou.

E agora Tavares, o que dizer a respeito do fato de ter de trabalhar com a ex-secretária e indiciada pela morte dos jovens? Certamente ficará calado.

Como se nota, a mudança que tanto Flávio Dino pregou durante a campanha eleitoral, ocorre para pior. Infelizmente…

Estudante de 12 anos mata colega na sala de aula em Paço do Lumiar

Pais de alunos e curiosos já começam a se aglomerar em frente da escola onde crime ocorreu

Pais de alunos e curiosos já começam a se aglomerar em frente da escola onde crime ocorreu

Um estudante de apenas 12 anos de idade, aluno da Unidade de Ensino Básico Paranã I, situada no Conjunto Residencial Paranã I, em Paço do Lumiar, Região Metropolitana de São Luís, assassinou um colega de sala de aula, de mesma idade, dentro da escola.

O adolescente matou o colega com um tiro de pistola 380 na boca. A polícia ainda investiga as circunstâncias do crime, que deve ganhar as páginas da imprensa nacional.

A tragédia chocou alunos, professores e pais de alunos, que desesperados, buscam por informações sobre o que teria motivado a tragédia.

De acordo com o blog de Daniel Matos, que primeiro noticiou a tragédia, a Secretaria Municipal de Educação de Paço do Lumiar emitirá uma nota em instantes sobre o trágico episódio.

Daqui a pouco mais informações.

Leia mais aqui: Morte de estudante em escola foi por tiro acidental, diz polícia

Tragédia: criança morre afogada em piscina do AABB

 Tragédia: um menino de cinco anos morreu dentro de uma piscina na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em São Luís.

Kalil Máximo estava com a família, quando, por volta das 13h de ontem, se afogou. O menino foi levado para o hospital UDI, no Jaracati, mas não resistiu e morreu.

Segundo a avó da criança, enquanto a família almoçava, Kalil passou de uma piscina destinada a crianças para uma de adultos, aproveitando o momento em que a porta que dá acesso estava aberta. Ele se jogou.

O corpo da criança foi liberado, ainda no domingo, pelo Instituto Médico Legal (IML), no Campus da Ufma, no Bacanga. O caso será investigado pela Delegacia de Proteção a Criança e Adolescentes (DPCA). O Corpo de Bombeiros deve fazer, nos próximos dias, fiscalizações no clube.

A reportagem da TV Mirante não conseguiu entrar em contato com a direção do clube.

Em Teresópolis, pai quebra a perna de filho para salvá-lo de soterramento

Do site G1 – Um morador de Teresópolis quebrou a perna do próprio filho na tentativa de salvá-lo de um soterramento em sua casa, durante a forte chuva que caiu sobre a cidade ontem (quarta-feira).

O auxiliar de supermercado Magno de Jesus Andrade, 43 anos, estava na madrugada do dia 12 em sua residência, no Morro do Espanhol, junto de sua mulher, Fernanda, de seus quatro filhos, da sogra e de um cunhado quando um desmoronamento ocorreu na parte de trás da casa.

Magno de Jesus e seu filho, Pedro Marlon de Andrade / Foto: Rafael Spuldar BBC Brasil

Segundo Magno, um de seus filhos, Pedro Marlon de Andrade, de 15 anos, tentava sair pela varanda quando um deslizamento de terra deixou-lhe preso entre uma parede e um pedaço do telhado que caíra

Sem conseguir tirar Pedro dos escombros, Magno tentou afrouxar e remover o entulho chutando e pisoteando com força os pedaços de madeira que prendiam a perna esquerda do jovem. ‘Ele se virava todo, mas não conseguia se soltar’, diz Magno. Neste esforço de salvamento, acabou quebrando a tíbia do garoto.

‘Eu só posso agradecer ao meu pai. Naquele dia, eu pensei que ia morrer’, afirma Pedro. ‘Na hora, eu só pensava neles (em sua família), então eu pedi para que o meu pai e a minha avó me deixassem lá.’

‘Eu disse para o meu filho, ‘eu posso arrancar a tua perna fora, mas eu vou te tirar daí”, diz Magno. ‘Não tinha a menor chance de eu deixar o Pedro ali, nenhuma.’

Com a ajuda da sogra, Magno conseguiu retirar o filho dos escombros. Ele diz que, levando o garoto no colo, teve de andar por vários metros com lama na altura do peito, até encontrar um meio de transporte no qual conseguisse levar Pedro a um hospital. Toda a família escapou com vida do soterramento.

Pai e filho foram à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Teresópolis, mas a falta de energia impediu que fosse feita uma radiografia da perna do menino, que doía muito. Pedro acabou atendido horas depois do deslizamento, no início da manhã, no Hospital das Clínicas, onde foi engessado e ficou em observação.

GTA vai ajudar no resgate de vítimas das enchentes no Rio

Novo helicóptero será utilizado pela equipe do GTA

Por Ronaldo Rocha – publicada em               O Estado

A pedido do Ministério da Justiça (MJ), por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), uma equipe de resgate especial do Grupamento Tático Aéreo (GTA) do Maranhão, composta por dois pilotos e nove policiais e bombeiros militares, seguiu, neste domingo (16), para auxiliar nas buscas e resgates de vítimas de deslizamentos no Rio de Janeiro. A determinação foi da governadora Roseana Sarney, que recebeu uma solicitação oficial da chefe da Senasp, Regina Miki. A equipe de resgate embarcou às 7h30, no hangar do GTA situado no Comando Geral da Polícia Militar, no Calhau.

De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública, Aluísio Mendes, a equipe utilizará o helicóptero adquirido pela corporação, um modelo EC-145, que dispõe de alta tecnologia. A máquina chegou ao Maranhão como resultado de um convênio assinado pelo Ministério da Justiça, por meio do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci), e o governo do Maranhão.

Segundo o secretário, o envio de uma equipe do GTA ao Rio de Janeiro mostra a qualidade e a valorização do policial maranhense. “Temos hoje uma das melhores equipes de resgate do país e somos o único estado a possuir uma aeronave com suporte para realizar operações de grande poder”, disse.

Aluísio Mendes falou que a utilização do helicóptero será essencial para as buscas de vítimas da tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro. “O super-helicóptero dispõe de uma estrutura superior à comum, tem capacidade para conduzir um número maior de militares e vítimas e pode ser utilizado à noite. Ou seja, a presença do GTA do Estado fará a diferença nas operações do Rio”, completou.

A equipe de resgate ficará na Região Serrana do Rio por tempo indeterminado. “Enquanto o Ministério da Justiça acreditar ser necessária a presença dos militares maranhenses, assim deve se proceder. A equipe é uma das mais bem preparadas do Brasil para este tipo de situação e pode contribuir bastante. Vale ressaltar que estaremos de prontidão, a disposição do Rio de Janeiro e de outros estados, para prestar este tipo de assistência”, finalizou.

Helicóptero

A aeronave, adquirida pelo governo do Maranhão por R$ 14,9 milhões, é certificada para voo por instrumentos monopilotados. Sua configuração tem especialidades para operações de combate e auxílio aeromédico. Possui gancho de carga, corta-cabos, filtro antiareia, farol de busca, portas laterais corrediças, porta traseira com possibilidade de entrada e saída de macas, macas dobráveis, parte fixa de guincho de resgate, dispositivo externo para rapel e fast roping, equipamentos de comunicação e rádio-navegação, piloto automático e sistema de GPS digital.

Tem amplo espaço interno e excelente visibilidade. Capacidade para dois pilotos e mais 10 passageiros. Seu peso de decolagem é de 3.585 kg; carga externa de 1.500 kg; velocidade de deslocamento de 246 km/h; alcance de 680 km; motores biturbina; comprimento com rotores girando de 13,03m; comprimento da fuselagem de 10,20m; altura de 3,45m e diâmetro do rotor principal de 11m.

Para operá-lo, quatro pilotos do Maranhão – um policial militar, um bombeiro militar e dois policiais civis – receberam treinamentos específicos na Alemanha, país onde a fábrica responsável pela construção do modelo fica situada.